Mensagem Margosa

15 Comments




Porque acho que alguns ainda não entenderam, digo, de forma clara e inequívoca: a arte e a cultura são bens de primeira necessidade. Está mais do que provado, está mais do que estudado, não devia ser preciso estar sempre a dizer a mesma coisa. Obrigado.




You may also like

15 comentários:

zito azevedo disse...

Como parece que os destinatários dessa mensagem são surdos, talvez utilizando a comunicação gestual...

Anónimo disse...

- Mãe tenho fome.
- Vá lá na estante e come um bocado de um dos Actos de "Waiting for Godot".
- Mas esse não me apetece.
- Então come um bocado do Tomé Varela em ALUPEKI!
- Não esse comi há dias e não caiu bem.
- Então come alguns capítulos de Flagelados de Vento leste ...

[ehehehehe ainda dizem que cultura não é bem de primeira necessidade]

Paulo Silva

JB disse...

Conclusão: mesmo que seja atrasado mental, o importante é que se esteja sempre de barriga cheia. Entendi.

Anónimo disse...

Sim entendeste. Mas o que parece que não queres aceitar é que há bens que são de facto de PRIMEIRA necessidade ou seja sem a qual não se pode viver. E há bens que são de primeira necessidade somente em determinadas circunstâncias.
Acho que devemos viver segundo a nossa realidade ou não ? Quanto custa um bilhete para uma peça de teatro ? Quinhentos escudos ? Quantas famílias em S.Vicente não tem esse valor para viver num dia ?
Ou seja essa "guerra" de cultura é segundo a minha opinião também uma guerra de classes.
Querem que se investe na construção de um teatro para meia dúzia de pessoas. E a maioria vai fazer o quê ? Varredor do teatro ? Os filhos desses vão ser o quê ? Porteiros do teatro ? Os filhos deste vão ser o quê ? Mendigos que vivem de esmolinhas da "pseudo élite" qe vai ao teatro ? E os filhos desses vão ser o quê gang de kasu body ?
-Paulo Silva

JB disse...

Paulo, construção de teatro "para meia dúzia de pessoas"? Tu vives mesmo no Mindelo ou andas muito distraído? Vai ver, por exemplo, as pessoas que andam a correr desesperadas por um bilhete de 700 escudos para ir ver o Juventude em Marcha. E porque vão? Porque procuram? Porque se identificam, se divertem, se sentem mais felizes. Isso não é primeira necessidade, de facto? Desculpa lá, mas o teu comentário está impregnado de pre-conceito, que até é contrário a muitas outras tuas intervenções noutros assuntos.

Abraço

JB disse...

E aqui vai o que escreveu uma cliente no post que gerou esta discussão, porque me parece importante e certamente ela não se importa:

Sarabudja disse...
A oferta cultural é importante para a saúde mental, para a educação, a capacidade de interpretação e abstracção que escasseia nos jovens, é geradora de empregos, ... e por aí fora.

Lá está.

Tchale Figueira disse...

Basta consultar, qual é o buget da Alemanha para a Cultura. A cultura é fundamental para o desenvolvimento intelectual e espiritual dos Homens e ao contrário daquilo que o nosso amigo Paulo argumenta, não tem que ser elitista... Quando um carpinteiro faz molduras para as minhas telas, ganha, quando um livro é publicado, a gráfica ganha, seus trabalhadores, quando os museus forem bem feitos e bem pensados, ganham os empregados do museu, ganha o Estado... Em fim, se a Cultura fosse tomada a sério e os politicos vaidosos, petulantes e incultos, tivessem um "CUCUCA" de cérebro, poderiamos em fim, criar, uma Industria da Cultura, teriamos várias pessoas trabalhando, e também, muitos dos Kasi Body, talvez a pintar,a fazer teatro, musica, etc etc. A Falha caro Paulo, não está na Cultura e nos que fazem cultura, a falha está nos nossos politicos, deputados, que em vez de investirem com um Buget forte na Cultura, andam a enpanturrar o exercito de pacotilha que nem trabalho civico fazem, e se houver Guerra (SALVO SEJA!) com um peido desaparece na fumaça...

Sarabudja disse...

Caro João, não me importo nada, bem pelo contrário.
Sou uma cidadã atenta, preocupo-me verdadeiramente com as pessoas.

A cultura tem que ser pensada e encarada como uma forma de enriquecer o povo, não pode continuar a ser vista, erradamente-do meu ponto de vista- como um nicho de luxo para uma minoria.

Por cá, na capital, começam a dar frutos os projectos que se fazem junto de comunidades de bairros problemáticos. Os míudos têm acesso a música dita erudita, a dança (e não é só hip hop, e nada contra o hip hop -para os mais nervosinhos no dedo) e podem assistir a espectáculos de qualidade.
Se lhes perguntarem o que preferem, entre a comida e a cultura, certamente responderão: as duas coisas!
E cá eu que sou dada a poucos dias de ovelha ronhosa acredito que é possível terem as duas.

Sarabudja disse...

Ah! Eu sou um bocadinho precoce no envio de mensagens e fica sempre alguma coisa para dizer.
O ponto referido por Tchale Figueira é como uma consequência do que referi em relação ao abrir a cultura a todos. Se o meu filho está saudavelmente ocupado, ele não faz asneiras, o mesmo acontece com o filho de toda a gente.

Outro ah! Uso frequentemente a ironia para fazer humor, mas irrita-me que se use em conversas sérias. Perde-se tempo.

ManuMoreno disse...

Sarabudja, desculpe:

mas quem faz ASNEIRAS E DAS GROSSAS SAO OS QUE ESTAO SAUDAVELMENTE OCUPADO, e se queres saber quem aposta na educacao tem que ter a cultura no pensamento.
Cultura e'Incentivar a investigação, recolha, registo e divulgação de bens ou práticas culturais tradicionais, numa lógica de afirmação de identidades regionais (artesanato, usos e costumes, gastronomia, música,Teatro, danças, literatura,Fotografia
etc.)
Deixo ficar uma pergunta:

E'S A FAVOR DO TURISMO?

ManuMoreno
Kel Abxom Di Kuraxom

Sarabudja disse...

Manu Moreno,
e onde, no meu discurso, tenho uma visão contrária a essa visão da educação aliada à cultura e vice versa? - defendo desde o primeiro comentário que a cultura é um bem essencial.
Com excepção óbvia para ASNEIRAS E DAS GROSSAS SAO OS QUE ESTAO SAUDAVELMENTE OCUPADO" concordo com o que disse.
Ah! E discursos que aparentam um dedinho nervoso em riste... 'tou fora...
Atenção vem aí um tomo irónico para fazer humor corrosivo: será que se sente aí alguma falta de interpretação?????

JB disse...

Quer me parecer que o Mano se equivocou aqui e está a dizer o mesmo que tu, pensando que está a dizer o contrário! The show must go on!

ManuMoreno disse...

Tens razao Sarabudja(desculpe)...ontem foi um dos meus dias de cabexa pequena!
ManuMoreno
Kel Abxom Di kuraxom

Sarabudja disse...

Desculpadissimo. Acontece aos melhores.
Gostei da atitude!

Pss disse...

João é verdade que muita gente procura bilhete de Teatro e a procura para ver as peças excede de longe a oferta. Não quero minimizar os espetáculos. Mas (e como dizia o outro) há sempre uma mas ...não podemos esquecer que muitos mais gostariam de ter os 700 paus para comprar qualquer coisa para comer (não vais me dizer que algunm humano prefere ver teatro a ter que comer). Ou seja eu estou a defender algo que nem me toca pessoalmente mas é a realidade que vejo. Mas creio que não é muito difícil pormos em acordo do seguinte: Cultura pode trazesr desenvolvimento sim, pode gerar riqueza sim, é bem de primera necessidade sim, porém isso nem sempre é verdade e aplica assim sem mais a S.Vicente no estamos em que estamos.