Romance Fragmentado 01

5 Comments



Não lho perguntou, e mesmo que perguntasse seria duvidoso que ela conseguisse responder, há memórias que por mais que tentemos que saiam cá para fora nunca conseguimos materializar em palavras, recordações que parecem ter vida própria, uma vontade férrea de permanecer na obscuridade, por mais força e esforço que façamos nada nem ninguém consegue desencravar, e aquela era uma dor demasiado profunda, não ia sair dali por tuta e meia, nunca o havia contado a ninguém, nem ao padre em confissão, nem ao médico de família em consulta privada, nem à melhor amiga em conversa intimista, muito menos com um namorado ainda pintado de fresco, como era o caso presente. E por muito que na sua cabeça mil e uma hipóteses lhe passassem pela mente a verdade é que ele nunca chegou a acumular altivez suficiente que lhe permitisse ir directo ao assunto, doesse a quem doesse, a verdade tinha que vir ao de cima, todos sabemos que é como azeite na água.


Ilustração: «defense» by anormals





You may also like

5 comentários:

moreia disse...

Prosa purgatória. Gostei.

João Branco disse...

Obrigado. Isto vai indo, assim, a conta gotas... senão é capaz de ficar muito chato! Enfim, como diz na etiqueta, «manias de escritor»...

Kuskas disse...

tou a espera da proxima gota...

moreia disse...

Subjectivamente e para ser chata, e como animadora de ateliês literarios vou avançar uns pontos fracos após uma segunda leitura rapida, se é o começo dum romance:

Forma: as repetições podem tornar o texto muito pesado. Sensação de "tourner en rond"...

Fundo: ums tips: quid "décor", personagens ainda muito vago, os cinco sentidos ausentes. Que tipo de narrador? Que género literário? Fico à espera do II.

Ponto forte: começo dum "suspense" que aguça a curiosidade do leitor.

Coragem porque a tarefa não será fácil.

João Branco disse...

Moreia: fantástico. Estou a ver que tenho aqui uma leitora critica e atenta. Mas olha, não é o inicio de nada, muito menos de um romance. É mesmo um fragmento. Como pensamentos. Se depois isso puder ser arrumado de outra forma para dar algo mais consistente, melhor. Mas nem sequer é esse o objectivo. Abraço!