Plágio 15: A nova web ou o poder ao povo

10 Comments


Ontem, aqui no Margoso demos conta dessa ideia defendida num Fórum na cidade da Praia, de que a Internet deveria ser gratuita. O debate continua e por isso se publica um estudo da Universal McCann de Março último, sobre o impacto dos serviços de web social no mundo. A análise deste estudo foi feita por vários sites e blogues, entre os quais está o site obvious. Pelo interesse e pertinência, aqui se divulgam algumas das conclusões.

Então é assim:

Foram entrevistados 17 mil utilizadores de internet em mais de 29 países, demonstrando tudo aquilo que já se adivinhava e que é sempre importante frisar.

  • A grande maioria dos utilizadores está a produzir conteúdo, havendo uma tendência cada vez maior na participação.
  • A expressão dos conteúdos ricos, como vídeo e podcasts é cada vez mais uma realidade.
  • A simbiose entre marcas, publicitários e serviços web nunca esteve tão ao rubro, em parte pelo papel aglutinador dos serviços sociais.

O estudo é extremamente pertinente num momento em que os novos media se posicionam num mercado completamente dominado pelas grandes marcas e portais. Já muito se disse sobre influência e sobre a verdadeira democratização dos serviços e conteúdos que, agora, estão completamente fora do controle racional de uns poucos, para se tornar num verdadeiro ecossistema vivo, complexo e autónomo.

Apesar de toda esta linha de pensamento ser de simples percepção para muitas pessoas que vivem estes tempos de mudança, não deixa de ser tremendamente interessante observar alguns números verdadeiramente esmagadores.

Algumas notas do estudo:

  • Os Media sociais - orkut, facebook, myspace, outros - são assumidamente um fenómeno global, independentemente dos mercados, das economias envolventes e dos desenvolvimentos sócio-culturais. Se você está ligado à internet, decididamente você usa um serviço social.
  • Os mercados Asiáticos lideram totalmente em termos de participação e criação de conteúdos.
  • A plataforma de vídeos é a que está em mais rápida expansão, subindo de 31% de penetração em 2006 para 83% de penetração em Março de 2008.
  • 57% dos internautas juntaram-se a plataformas de Social Networking, elegendo-as como o principal meio para produzir e partilhar conteúdo.
  • 55% dos utilizadores fez upload de fotos.
  • 22% dos utilizadores fez upload de videos.
  • A economia dos widgets está em franca expansão:
    - 23% dos utilizadores instalou uma aplicação
    - 18% dos utilizadores de blogs instalou uma aplicação.

  • Os blogs tornaram-se decididamente mainstream. 73% dos utilizadores são leitores blogs»

    Pode-se ter acesso ao estudo integral, em formato PDF, aqui.

    O Brasil lidera o ranking mundial de visitas diárias em blogues, estando no 4º lugar do ranking mundial de utilizadores da Internet, liderado pelos EUA: Eis porque penso que em Cabo Verde ainda temos muito que andar, para entrar num índice digno de um país PDM. E avançar para uma descida radical de preços, para acesso a conteúdos na Internet, seria um primeiro (e decisivo) passo para se lá chegar.



  • You may also like

    10 comentários:

    Teatrakacia disse...

    Há informações que dizem que os Chineses destronaram os EUA em nº de internautas no mundo.
    Mas, mais dia menos dia, uma revolução (serena) há-de acontecer, modificando por completo o 'status quo' e a ordem internacional das comunicações ( e do poder)
    Tchá

    João Branco disse...

    Pode ser que sim, Tchá, mas olha que tenho a ideia de que na China o acesso de determinados conteúdos na Net é altamente controlado pelo Estado...

    centooitentagrau disse...

    Bali JB, fantástico já considero o teu blog um serviço de utilidade publica. obrigado por partilhares o pdf, vou buscar tempo pra ler. Quando eu li a noticia no jornal pensei "puxa finalmente alguém diz uma grande verdade. Resta ir mais a fundo para entender esse pensamento invertido de querer ganhar dinheiro com acesso à Internet. O ouro mesmo está em produzir riqueza dentro da rede. Mt caro produzir video com os preços q se pratica por cá.

    Bali otu bes.
    TD

    João Branco disse...

    O acesso a esta informação foi-me dada por um dos melhores sites que conheci nos últimos tempos - o obvious - que também está «linkado» na noticia. Quanto ao caso de Cabo Verde, o que dizes é dvera: ver vídeos aqui, nem pensar! Paga-se logo uma fortuna. Os preços tem que baixar e é já!

    Alex disse...

    Cá está um dos problemas dos blogues. Fica tudo pela rama, e as coisas sérias não assumem as proporções que deveriam. Este tema merece uma reflexão mais profunda e cuidada, que não se compadece com a velocidade, e a voracidade, actual das postagens. Não há tempo nem para reflectir, nem para digerir. Este é um dos problemas actuais da COMUNICAÇÃO, que a mim me deixa apreensivo.
    O excesso de informação, de notícias, de conteúdos é benéfico? Ou tem uma missão precisa? Será que o que estas estatísticas traduzem é BOM? Alguém faz ideia do KAOS que por aí vai? A quem interessa esta aparente plataforma "democrática", este mundo de livre pensadores (livres postadores), onde cada um vive refugiado no seu Blog/Buraco/Cocoon. Alguma vez o grau de exposição individual atingiu estes níveis? Alguém ainda se lembra daquela frase "(mais)dividir para (melhor)reinar"? Estou a ser paranóico? Antes estivesse, ao menos eu estaria errado, e esse vosso optimismo contagiante estaria correcto. Alguém acredita nesta pseudo liberdade? Alguém tem dúvidas que no dia em que a Blogosfera se tornasse um verdadeiro poder (e não o poder virtual que é), e ameaçasse o Status-Quo que o acesso não nos seria vedado? Quem controla tudo isto? NINGUÉM? Quem tem o poder de manter este instrumento a funcionar? E quem tem o poder de o impedir de funcionar? NÓS??? Nem tudo o que luz é ouro! Nestas coisas alguma desconfiança é sempre prudente!
    Já sabemos que num Blog o que não está na primeira página NÃO EXISTE (deixou de existir)! Ao ritmo que os temas aparecem e desaparecem numa euforia desmesurada, numa fuga p'rá frente alucinada, as postagens não passam de PASTAGENS para o gado sonolento.
    Eis um bom exemplo do que os media podiam fazer, e não fazem. Por estupidez crónica? Por Ignorância? Por sobranceria? Por orgulho? Qualquer media electrónico, inteligente e com visão, estaria hoje inevitavelmente a beber temas e assuntos na Blogosfera, estabelecenfo pontes e parcerias (olha o Sapo.CV), catapultando alguns dos assuntos mais pertinentes para um universo de debate mais alargado. A ideia das Plataformas é uma delas. Mas estou céptico. Porquê? Vão aos Blogues do Abraão, do Djinho, do Paulino, do Jorge Brito, do Filinto, ou do Virgilio Brandão, e digam-me quantos comentários lá encontram nos Post's que estão na montra? Um deserto de almas! Se nem nós próprios, e somos poucos, nos visitamos regularmente, comentamos, e alimentamos esta corrente utópica de reflexão, debate, e partilhas, o que dizer do que vai por esse universo WWWebbiano?
    O Projecto Praia City ou a ideia Cabo Verde Blog, em que ponto é que estão? Eis outra discussão com interesse para se saber o que se pretende do futuro. Caso contrário adiram todos ao SAPO.CV e deixem-se de conversas da treta. A questão foi levantada pelo Djinho à tempos. Até teve alguma participação (deve ter sido o Post mais comentado do Son di Santiago nos últimos meses) e acabou em NADA! As discussões são assim a modos que MUITO FOGO DE ARTIFÍCIO, MUITO FOGUETÓRIO, mas é só rastilho, depois PUUFFFFF, esvazia-se o balão de entusiasmo!!!
    Devia haver uma SÍTIO, um SITE ou um HIPERBLOG (já que os pasquins Electrónicos não se querem dar verdadeiramente ao trabalho) onde alguns temas (como este p.ex.) fossem repescados, onde deveriam 'desaguar' naturalmente, e permanecer em debate, em "canal aberto", (passe a expressão fique a ideia). E reparem que só falei de meia dúzia de Blogues desta nossa capoeira verdiana (Onde por acaso o Margoso é Galo, e fanfarrão!). Mas gasto latim!
    Tchau.
    ZC

    João Branco disse...

    Eu não partilho deste cepticismo quase kafkiano do Zé Cunha. A Internet é uma arma poderosa, e como todas as armas poderosas, pode ser bem ou mal utilizada. A vantagem da internet é que isso depende de nós. Zé, a realidade da Internet em Cabo Verde ainda é absolutamente pré-histórica. Neste momento, estou a pagar uma chamada local para poder deixar este comentário, com a internet ligada via regit ou lá como se chama. Não consigo ver videos e há imagens que demoram mais de 15 minutos para abrir. Isto para te dizer, que no momento em que a Internet estiver num outro comprimento de onda, mais de acordo com o que a tecnologia hoje permite em qualquer ponto do globo, certamente o grau de participaçao será muito maior.

    A verdade é que as pessoas não vivem para isto, escolherão um, dois, no máximo três blogues para visitar diariamente. Se não há actualização, deixa-se de visitar. É um pouco como os jornais diários: não faria sentido estarem todos os dias com a mesma primeira página. Deixariam, pura e simplesmente, de serem lidos.

    Para lançar mais uma ideia para o debate devo dizer que antes de entrar neste projecto editorial que é o Café Margoso, não conhecia, ou conhecia muito mal, pessoas como o Djinho, o Abraão, o Virgilio, o Zé Cunha e tantos outros. Hoje, sinto-me menos só, neste combate por uma Humanidade, como dizer, mais «humana».

    Já é um bom começo...

    Anónimo disse...

    Ena pá! Isso em CV é mesmo assustador (no que respeita à net). Isso é mesmo assim? Que seria de mim sem o cafézinho da manhã (live) acompanhdo de uma visitinha aqui ao Margoso para ler os vossos comments e os novos posts? E de outras visitas a outros blogs? E isto em apenas 30 minutos! Também sinto o mesmo que o João (apesar de nunca me ter sentido realmente só - foi um acréscimo em termos de troca de ideias - novas pessoas, novos comentários, novas perspectivas)...
    Mas antes (quero dizer antes da internet) passávamos horas no café a trocar ideias (e tu bem sabes que era assim João!) e era TÃO BOM!!!

    João Branco disse...

    Anónimo, uma coisa não invalida a outra. Conversar em cafés tornou-se mais raro não por causa do aparecimento da Internet, mas por causa do ritmo desenfreado imposto pela sociedade global e capitalista. As pessoas, pura e simplesmente, deixaram de ter tempo umas para as outras. O que a Internet faz, penso eu, é fazer com que as pessoas continuem a falar, APESAR do mundo louco que as rodeia.

    neulopes disse...

    Uma coisa é certa. Mesmo que seja caro, o acesso à net tem conhecido uma ascendência terrível. Principalmente com a "banda larga" (não muito larga, não? Ainda ontem estava a assistir o programa 2010 da RTP e fiquei abismado com toda a informação que acabei por obter sobre internet, cinema digital e 3D, HDTV, Blue Ray e muitas coisas mais do país dos terrabytes. Estamos a caminhar a passos largos. A película, que já tem mais de 110 anos de vida, vai desaparecer. A câmera fotográfica digital ganhou terreno e já é imperatriz no mundo das imagens. As captures através do firewire são mais que uma realidade.
    Além disso somos um mundo cada vez mais globalizado e consumista. Há mais informação para consumo do que propriamente para assimilação e aprendizagem. De qualquer forma, há quem sempre aprende pouca, alguma ou muita coisa.
    Muita coisa que só vímos em filmes como 007, Regresso ao Futuro, A.I., Starwars, Bladeruner, e muito mais estão a acontecer ou vão acontecer num futuro muito próximo. E muitos gadgets estão entrando em nossas salas. Os japoneses já têm preparado equipamentos de TV, Informática, e Cinema para 2015. Os chineses não devem estar muito longe, outalvez ainda mais avançados (quem sabe?)
    Cabo Verde conheceu ultimamente um blogbum. O Cabo Verde Blog é uma iniciativa interessante e quase todos os dias estão a chegar mais participantes. Penso que isso é benéfico, obriga-nos a escrever e a ler (embora prefira ler no papel, e caso não fosse estaria a contribuir mais para o enterro do livro), emitir opiniões, participar em debates e democratizar ainda mais a informação. E volto a dizer que a comunicação é o motor chave para o desenvolvimento de qualquer país.
    Os coments doutros blog são em menor, número com certeza. Por exemplo o blog da SARRON.COM não é muito participativo. Mas tem sempre pessoas que vão lá consultá-lo. O Café Margoso é diferente. É um fenómeno da blogosfera num meio pequeno. Mas deve-se muito ao dinamismo do joão, da natureza dos posts, da descontração e ainda da indignação que certos temas oferecem.

    Vamos lá tomar um cafezinho?

    João Branco disse...

    Belo texto, Neu. Nem preciso dizer mais nada! Aliás, falando do Margoso, uma das razões para o seu sucesso é a qualidade das intervenções via comment's, como tu acabas cabalmente de demonstrar. (E depois desta troca de galhardetes, vou actualizar a coisa, antes que digam que estou a ficar demasiado basofo sem razão aparente!) Abraço.