Café Cinematográfico

4 Comments


Este filme foi muito mal recebido pela crítica, ao que parece é um pastelão, mas é aqui colocado por várias razões. Pela estreia de uma actriz auspiciosa, pelo (restante) elenco, pelas imagens e pela tradução do título do filme decidida em Portugal.

Falo do filme intitulado «My Blueberry Nights», do realizador Kar Wai Wong, que estreia esta semana em Portugal. Marca também a primeira experiência cinematográfica de Norah Jones, e só por isso justifica uma ida ao cinema. Mas não é só: ela vem acompanhada de mais duas belas mulheres, Natalie Portman e Rachel Weisz. E, claro, Jude Law, também ele um belo actor em todos os sentidos.

O filme conta-nos a história de Elizabeth (Norah Jones), uma jovem mulher desencantada, que embarca numa viagem de reencontro emocional para esquecer um coração partido. À medida que as feridas emocionais começam a desaparecer, as experiências de Elizabeth com uma série de estranhos levam-na a novos e inesperados capítulos na sua vida. Dos devaneios poéticos do proprietário de um café (Jude Law), às propostas desesperadas de uma jogadora numa maré de azar (Natalie Portman), ao laço quebrado entre um polícia perturbado (David Strathairn) e a sua rebelde esposa (Rachel Weisz), estes indivíduos redefinem a perspectiva de Elizabeth sobre a vida, os relacionamentos e finalmente a sua própria identidade.



Pela sinopse parece interessante, as imagens são lindas (uma delas vai ter um post próprio), mas parece que não tem entusiasmado. E pelo que se pode ouvir na net, tem uma banda sonora maravilhosa. Eu iria ver, se houvesse um cinema.

Finalmente, uma referência à tradução para o mercado português do titulo do filme. Originalmente chamado «My Blueberry Nights», foi traduzido (?) para «O sabor do amor» (!). Mesmo que a tradução literal possa ficar esquisita («As minhas noites qualquer coisa»), sempre seria melhor do que o resultado final.

Melhor, muito melhor, neste caso, o título no Brasil, «O Beijo Roubado». Não há acordos ortográficos para títulos de filmes?




You may also like

4 comentários:

neulopes disse...

Estou mais é cansado dessas críticas muito intelectuais que dão estrelas a filmes que às vezes nem merecem. De qualquer forma, o filme tem nomes sonantes como Jude Law, Natalie Portman e Rachel Weisz. Com certeza, o filme não poderá ser mau de todo, pelo menos no que tange à interpetação, para além da inegável e abundante beleza feminina.
Pelo que vi no trailer, não se deixa muito a perder com Norah Jones. Parece ser uma boa estreia.
Agora, João, permite-me uma pequena correcção: em "Moulin Rouge" quem faz dupla com Nicole Kidman não é o Jude Law, mas sim o Ewan McGregor que também aparece nas séries Starwars (Episódios I, II e III). E canta extraordinariamente bem com a Nicole Kidman que já tinha cantado também com o Robin Williams o tema "Something Stupid" (há uma versão cantada anteriormente por Frank Sinatra e a filha Nancy Sinatra).
Pena não termos um cinema. Como dizes: "Se houvesse um cinema..."
Abraços cinéfilos

João Branco disse...

A sério? Nao era o Judi Law? Fonix, que patada! Vou tirar essa parte do post... Thank's Neu!

Alex disse...

Ná, ainda não é hoje João. Já são 1:43h. E com esta me vou.
Amanhã tb é difícil. É a Pina Baush no CCB (Mazurca Fogo).
Mas o prometido é devido.
Volto já.
ZC

P.S.- Neu, acho que na verdade já não há verdadeiramente crítica de cinema, mas afirmações pessoais de gosto (ainda se fosse de bom gosto). Com a 'crítica' literária também é a mesma coisa. O que vai por aí nos jornais é assim uma espécie de mercenarismo publicitário, ou prostituição da pena. Ainda podemos reler o João Bénard. Alta escola. Nunca se morre de fastio. O João Lopes também vale a pena. Que falta me faz o EPCoelho.

João Branco disse...

Pina Baush, Mazurca Fogo! OH QUE INVEJA!!!!!!!!!!