Um Café a Investigar

13 Comments



Notícia a RTC: "Começa quinta-feira no auditório Jorge Barbosa na cidade da Praia o primeiro encontro nacional de investigação e desenvolvimento. Durante três dias e sob a temática geral investigação científica, integração regional e desenvolvimento, especialistas e investigadores nacionais e internacionais vão proferir comunicações e apresentar investigações nas diversas áreas da ciência. O encontro nacional de investigação de desenvolvimento surge no âmbito do projecto da criação do instituto de África ocidental, IAO. O Instituto é um projecto em que estão envolvidos a CEDEAO, a UNESCO, a EMOA, o ECOBANCO, e o Governo de Cabo Verde, que decidiram criar um centro de investigação principalmente sobre a problemática da integração regional no mundo. (...) Corsino Tolentino, presidente da comissão organizadora do encontro acredita que o IAO poderá elevar o nome de Cabo Verde enquanto um centro de conhecimento e capaz de promover o diálogo intra e inter-regional."

Assim, como quem não quer a coisa, pergunto: e a Universidade de Cabo Verde? Não é esta estrutura, recém-criada, sustentada pelo Estado, apontada como a grande aposta do país na existência de uma instituição de ensino superior público, credível e de qualidade, o local por excelência para ser a grande aposta enquanto centro de investigação e conhecimento? (Na notícia não vem nenhuma referência a uma eventual participação da Universidade de Cabo Verde nesta iniciativa). Andará o Estado a fazer concorrência a si próprio?

E já agora, numa altura em que congressos políticos e competições desportivas foram adiadas por causa da crise da Dengue, com a cidade da Praia a registar (ainda) entre 700 e 900 casos por dia, é razoável que se concentrem, durante três dias, pessoas oriundas das mais diversas proveniências?

São dúvidas pertinentes, parecem-me. Mas se não forem, ficam registadas na mesma. Agora responda quem souber.




You may also like

13 comentários:

Do contra disse...

Número de casos no Rio de Janeiro versus jogos olímpicos... chega de fazer drama. A situação é preocupante não é necessário fazê-la mais do que é.

Paulo Santos Silva disse...

Respostas (como quem não quer a coisa):
E a Universidade de Cabo Verde ? A investigação científica não é e nunca será objecto de "concorrência" como tu estás a colocar a questão. Por outro lado a UniCV não foi criado para fazer Congressos Científicos. Os congressos científicos em si não são "feitos" por uma Universidade mas sim são consequência de trabalhos desenvolvidos por uma ou várias instituições entre as quais universidades. Os congressos reunem um alargado número de pessoas que se reunem para escutarem, analisarem e discutirem assuntos numa determinada área cienífica. Portanto ninguém tem que ter "autorização" e o selo da UniCV para realizar um congresso. UniCV está de certeza devidamente representado (não pomposamente) mas estará bem representado com certeza pois haverá nesse encontro diversos Docentes e Investigadores da UniCV.Digo eu.

Anónimo disse...

o instituto é do corsino. ele vai ser finalmente o reitor, o investigador, o porteiro, o electricista, o canalizador e sobretudo o grande iluminado da ciencia. haja paciencia.

JB disse...

Do conttra, a vida continua mas a situação do Rio de Janeiro não é comparável de nenhuma forma. Na cidade da Praia a epidemia é nova (e a experiência em combatê-la mais nova ainda) e ainda não entrou na sua curva descendente (segundo os especialistas) e está no seu maior pico de gravidade. Por alguma razão, e só para dar um exemplo, o Congresso do PAICV foi adiado. Mas tudo bem, obrigado pela opinião.

Paulo, não é uma questão de concorrência, é uma questão de gestão de recursos humanos e financeiros, já que ambas aqui são financiadas pelo Estado. Sempre ouvi falar que uma Universidade - qualquer que fosse - tinha a componente do ensino e a da investigação. É uma casa do conhecimento. Essa máxima que uma universidade não organiza congressos é novidade para mim. Além de que, quem organiza este congresso, é um instituto (ou seja, uma instituição do ensino superior, vulgo, universidade...)

Como indicia o comentário do Anónimo - continuo a não entender porque é que estas coisas não se discutem com as pessoas a dar a cara - parece-me que aqui haverá também alguma "guerra" de protagonismos. Se não for o caso, melhor para a festa. Vamos lá reunir os nossos investigadores. Só estranho que a recém-criada UniCV não tivesse sido tida nem achada no assunto (e se foi, não foi noticiado).

zito azevedo disse...

Ou me engano muito ou está-se a correr um risco desnecessário, muito superior a qualquer vaidade particular ou colectiva...Já é criminoso não prevenir convenientemente a saude dos nossos!

Paulo Santos Silva disse...

Qual é a missão de uma Universidade ?? Organizar Congressos ? Pelo menos na minha área os congressos são organizados pela APSI, OOPSLA, ACM, etc. Não conheço nenhuma universidade que foi criada "para organizar congressos". Não estou a dizer que a Universidade "não pode" organizar um congresso. Claro que sim. Assim como qualquer outra instituição pode. Universidades estão presentes nos congressos. Estão lá porque o seu Pessoal Docente e Investigador está lá. Aliás num Congresso está docentes e investigadores e especialistas de uma determinada área.Isso para dizer que um Congresso é algo que decorre da Produção Científica. E não é porque se é Universidade temos que ter congressos. Isso tudo o que acabei de dizer é sabido e não é novidade nenhuma. Então Não percebo essa insistência que a UniCV tem que "dar o seu aval" para se realizar um Congresso ? De facto nem sei porque é que estamos a falar de congresso se o que vai haver é um "Encontro". Gostamos é de arranjar polémicas. Já está um comentador Anónimo a ofender gratuitamente pessoas. enfim ...

JB disse...

Vamos lá a ver: onde é que está escrito que aqui se defende que uma universidade tem por "missão" organizar congressos? Onde é que está escrito que a UniCV tem que "dar o seu aval"? O Paulo é que me parece estar a fazer muita onda com uma pergunta que é simples. está a ser criado um instituto. O que é um instituto? para que serve? este estará ligado ao Ministério dos Negócios Estrangeiros. Achas isto lógico? com a escassez de recursos que existe no país? quem souber que me explique, porque a minha cabecinha pensadora não consegue alcançar...

ManuMoreno disse...

A saude esta' doente,
o saber a aprodecer
nas ilhas que um dia sonhei
ser perolas num fio d'amizade
...mas enganei.
Presumo ser temporariamente!

ManuMoreno
KelAbxomDiKuraxom

Paulo Santos Silva disse...

Eu sou do tempo que se aprendia a nadar na Praia de Matiota ! (Há fotos se calhar no espólio de Foto Melo). Ai nos meses de Novembro a Fevereiro fazia-se grandes ondas. Talvez por isso é que estou a fazer ondas. Ninguém é dona da Ciência. Aliás nos dias que corre ninguém é dono de nada "ki fari" Ciência. Por isso: eu não sei respostas as perguntas (e nem que tenho que saber) mas Viva o Instituto de não sei o quê. Se é para Ciência é bem vindo. Precisamos de MUITA CIÊNCIA !! MAS MUITA mesmo para ver se acabamos com os passadores de pau. (Passadores de pau segundo o autor do livro com o mesmo nome lançado por estes dias é uma das três figuras colectivas criadas pelo Cientista Prof. Varela)

Anónimo disse...

Infelizmente nesse país tudo que o é novo é alvo de críticas infundadas e obviamente mal-intencionadas. O referido instituto ora criado sob aval da UNESCO e de outras instituições internacionais de cariz humanitário não concorre em nada com a UNICV. A UNICV já é uma realidade, bem representada, e seguindo a passos largos os objetivos que o norteiam. Não vejo essa concorrência, se a própria UNICV foi promotora do encontro. Não vejo problemas de gestão de recursos, se os recursos necessários para criação da referida instituição são provenientes de instituições internacionais que apoiam a integração regional, a ciência e a busca de solução de problemas humanitários comuns. Concordo com o Paulo, que a maioria dos congressos não são organizados pelas universidades. Infelizmente neste país mete-se o nariz em tudo e nem sempre com conhecimento de causa.

JB disse...

Isso deve ser dito a quem fez a notícia sobre este encontro, que não fez qualquer referência à UniCv. Se a UniCv foi "promotora" do encontro, melhor assim. Embora saiba de fontes internas da própria UNICV que esta não foi tida nem achada para o caso, mas pronto.

Também como parece que este último anónimo, cujo comentário publiquei pelo interesse da informação que ele contém, está muito bem informado sobre este novo instituto, não vejo porque tenha que falar sob a capa do anonimato. É daquelas coisas. Dizer que "infelizmente neste país mete-se o nariz em tudo e nem sempre com conhecimento de causa" é fácil, principalmente vindo de alguém que não sabemos quem é. Mas também tem que ver o outro lado da moeda: graças a ter "metido o nariz" neste assunto, tivemos a sorte e a oportunidade de ler as preciosas informações que constam do seu comentário.

Por acaso até penso o contrário: o que faz falta neste país é gente com coragem para "meter o nariz" onde não é chamada, e sobretudo, questionar, questionar, questionar.

Aquele abraço

Vasco Valente disse...

Alguns docentes e investigadores da Uni-CV participam sim com comunicações e como moderadores no encontro.

Quanto ao facto do Governo dar tiros no próprio pé, fazendo concorrência a sí mesmo...bem, em "vésperas" de eleições há que (tentar) agradar a todos os compadres, gente.

Martinho Rodrigues Monteiro disse...

Bom, o estado deveria se preocupar em divulgar também as coisas boas e as oportunidades. Não vi nada se quer circulando acerca do PROGRAMA CIÊNCIA GLOBAL com a FCT - Fundação para a Ciência e a Tecnologia. http://alfa.fct.mctes.pt/

Este é um programa que disponibiliza bolsas de investigação para o Doutoramento e Pós-Doutoramento para todos os países da CPLP. Infelizmente encerrou ontem domingo “15/11/2009” o processo de candidatura. Mas o estado de cabo verde está envolvido.

Confira acerca do programa aqui, http://alfa.fct.mctes.pt/apoios/bolsas/concursos/ciencia_global2009.pdf , bem como a assinatura do envolvimento de CABO VERDE com a assinatura da nossa ministra de educação "Vera Duarte",aqui http://www.mctes.pt/archive/doc/Declaracao_CPLP.pdf

Pena que não tive tempo nesses dias para dar uma “fuçada” no blog do JB :), mas o programa continua, e é para divulgar.

Rumo a investigação, para acalmar os pessimistas hhehehe

JB, mesmo tarde, mas bem que poderias abrir um espacinho para divulgar ISSO, tudo começou este ano