Blog Joint: Declaração Cafeana

11 Comments



Existem doutores a mais em Cabo Verde? Eis o tema proposto para o relançamento desta plataforma de discussão blogueira. Devo dizer, que pessoalmente, compreendi o sentido desta frase, que foi aliás retirada do seu contexto e deturpada para fins claramente políticos (para não dizer partidários) e que sou até tentado a concordar com ela. Porque é preciso que se entenda o que se quer dizer com este "doutores". Quando dizemos, por exemplo, com algum sarcasmo, "isto é um país de doutores!", estamos naturalmente a referir-nos ao pessoal que, confortavelmente instalado nos seus gabinetes climatizados, faz pouco mais do que nada para ocupar o seu precioso tempo que justifique o título académico que ostentam com tanta sobranceria.

Se por um lado, todos temos o direito constitucional a prosseguir a nossa educação, sendo até dos que defende que só se evolui estudando durante toda a vida, também me parece muito claro que uma importante franja do pessoal que hoje luta pelo canudo o faz por motivos meramente orçamentais: subir alguns pontos na tabela salarial do serviço, conseguir um trabalho mais bem remunerado, ambições que são, à partida, totalmente legítimas. Mas isso não chega.

Deixam de ser legítimas, isso sim, quando se verifica que se procura desesperadamente um emprego mas que não dê muito trabalho. Uma coisa assim, tipo leve, horário único, escapadela para o café e ala que se faz tarde, embora lá gozar o fim-de-semana. Aquele tipo de emprego sem brio, sem esforço, sem qualidade, sem evolução e, pior de tudo, sem avaliação por quem de direito, o que faz com que estes lugares se tornem não só muito desejados, como eternas conquistas que nunca são postas em causa, e isto apenas porque se conseguiu, sabe-se lá à custa do quê, uma pós graduaçãozinha aqui, um mestradozote acolá...

O que falta a este país não são doutores ou engenheiros. O que faz falta são profissionais que, além de qualificados nestas e outras áreas (gestores, economistas, sociólgos, técnicos informáticos e advogados, mas também electricistas, canalizadores, pedreiros, carpinteiros, agentes de segurança, enfermeiros, professores primários, educadores de infância, músicos, etc.), tenham orgulho no seu próprio trabalho, que procurem, através do estudo auto-didacta e do esforço pessoal, ser melhores hoje do que foram ontem, e que vejam o seu salário ao fim do mês não como uma regalia, mas como uma justa recompensa pelo contributo dado ao desenvolvimento do próprio país.







You may also like

11 comentários:

Dobra disse...

O problema é sempre o mesmo: falta de competência. Começam em pequenos, com os pais a fazer a papinha toda aos meninos, coitadinhos. A falta de uma educação de esforço e dedicação, de vontade e de luta, resulta em desempenhos profissionais medíocres. Porque o que interessa é o que é fácil. Triste, muito triste.

Álvaro Ludgero Andrade disse...

Meu querido João, arrancaste esta semana com "power". Tu enquadraste exactamente a questão, facto a que acrescento um dado: os que chegam agora, estando no privado ou no público, querem emprego, não trabalho. É só ouvir alguns falarem, seja em português ou no crioulo para se saber para quê necessitam do diploma. Abraço!

Martinho Rodrigues Monteiro disse...

A foto é o espelho desses seres. Desordem e Caos total, "se tá assim deixa assim ". O pior é que se queres ser atendido "em alguma instituição", basta usares a palavrinha mágica Doutor ou Doutora, que aí até te chamam de engenheiros.

Acho que o maior problema se reflecte nessa palavrinha doida e seco que se chama "STATUS" criada pela nossa sociedade, que para muitos significa "MORDOMIA/CONFORTO" e nada mais. "Para que querer subir tanto, se iremos todos para baixo"

zito azevedo disse...

As novas "sociedades da tecnologia" não sobrevivem sem quadros médios altamente qualificados, aquilo a que eu chamaria "os sargentos dos exercitos", que são os homens que sabem COMO FAZER AS COISAS...O ensino técnico ou profissionalizante é, pois, o alicerce do futuro!
Zito

Et disse...

Lendo o seu texto que é claro e coeso e coerente, estou de acordo com o Álvaro:Comunicação i expressão nem na kriolu ki fari na purtuges. Ver um testu di un JUis di Fogu http://kauverdianu.blogspot.com/

Anónimo disse...

Há doutores a mais mesmo. Se mandarmos tudo pelos ares quem sabe se nasce Cabo vede com um número bastante razoável de agricultores, agora que começou a chover mais, dava jeito.

Paulo Santos Silva disse...

Creio que a questão é uma falsa questão !

Anónimo disse...

Ora aí está Paulo, bem visto! Podias ter fundamentado mais, mas acho que para um bom entendedor...

JB disse...

Hum Paulo, explica lá isso como seu eu fosse um miúdo de 8 anos?

Paulo Santos Silva disse...

Sei que isso não tem nada a ver ! E vem a completo despropósito. Mas como aqui é um Café ... e estamos a falar de "doutorices", Que tal dar um café à Doutora (ou Será Dr.ª?) Isaura Gomes. Que tal dar-lhe um VALENTE SE CALHAR Duplo ou Triplo CAFé MARGOSO ?
Qualquer um que faz a caminhada de manhã cedo depara na Av. de Chã de Alecrim com uma Montanha (Literalmente) De LIXO ! Paredes meias com essa montanha de Lixo na Av. principal há um Jardim infantil. Em frente e para todos os lados a essa montanha de Lixo há habitações. Isso não é o único sítio. A poucos metros da casa dessa Doutora (ou chamar-lhe-ei outra coisa ?) atrás do Polivalente onde ela passa quase diariamente no seu Toyota presto lustroso (Se calhar não sente o cheiro pois os vidros estão sempre fechados) há também mais um Montanha de LIXO. E porquê ? Simplesmente porque o camião de lixo não faz a recolha e o lixo vai amontoando. Isso tudo nas barbas dessa Sr.ª. Ela que é VASSALADA em muito coisa mas EXCEPTO NO QUE DEVIA SER.
Ou seja isso afinal até tem a ver com o que falaste no post João. Isso de certa gentinha que depois de terem o canudo só querem uma cadeirinha para sentarem e ficar a ver-nos de cima com ar de superiores.
Essa questão de montanhas de lixo não é de hoje não. Mas eu que moro nesse Bairro começo a preocupar-me a sério com isso depois dessa epidemia de dengue ou dengue+gripe a ou de dengue mais febre hemorrágica ... enfim é só escolher

Paulo Santos Silva disse...

Já se sabe que Sexta-feira vai haver tolerância de ponto. Eu e alguns aqui no Bairro de Chã de Alecrim já temos o nosso plano para esse dia : ATT Dr. ISAURA GOMES - Se por acaso nesse dia estiver os contentores de lixo por de trás do polivalente (a escassos 100 metros da casa da Presidente de Câmara de S.V. tal como têm estado nos últimos três meses) VAMOS FAZER O SEGUINTE: PEGAR NELES E IR COLOCAR EM FRENTE á SUA CASA !