Café Visual & Um Comentário

20 Comments









@ Fotografias de Pedro Moita


Comentário Cafeano: pelo que se pode ler nos blogues, o concerto de Paulino Vieira motivou sentimentos contraditórios. Houve quem não gostasse do facto de ter tido conversa a mais e música de menos. Houve referências a vassouras e números de circo. A um público divertido e a jogadas de marketing. Referência a uma orquestra de grandes executantes e à ausência de uma viola de 12 cordas. É bom que haja opiniões divergentes. Mas eu, que não estive lá e portanto só opino porque sou um grande atrevido, declaro: atenção que Paulino não é apenas e só um músico genial. Paulino é um filófoso, um poeta, um contador de histórias. É herança e é memória. E tendo em conta a dimensão da pessoa em causa parece-me que não há nada a lamentar, muito menos a perdoar. Aprender. Aprender com os grandes. Aprender com os excessos dos grandes. Aprender sempre. Abençoado o país que gera criaturas como esta. E mais não digo.




You may also like

20 comentários:

Kuskas disse...

Oh João
Até que enfim encontro alguem com uma opinião quase igual a minha sobre o Paulino.

Conheço o HOMEM desde que tenho meus 7 anos, pois eles e uns outros quantos bons "tocadores" de viola, cavaquinho e violino e contadores de "estória", costumavam frequentar a casa dos meus pais para tocatinas.

Só quem não conhece o HOMEM e o SER que é o Paulino que fica esperando um show man ou um espectaculo convencional de musica.
Se o pessoal que lá esteve ou que o ouviu pela rádio, fizer uso de pelo menos uma das mensagens que ele passou como aquela, de agradecermos a alguem que nos ensinou alguma coisa de bom na vida sempre que nós a encontrarmos.

Gostei do espectáculo que foi um SHOW e digo que são pessoas como o PV que me fazem ter orgulho de ser Cabo-verdiana e Patchê Parloa.

Tchale Figueira disse...

Cantar e falar babozeira durante horas, falar sobre coisas que são recalcamentos?

O pessoal devia ser mais profundo nas suas analises.

Ou será que Freud não esclarece?

J disse...

Tchalé podem até ser recalcamentos, mas são verdades que poucos ousam dizer em voz alta.

Já diziam o mesmo do Ildo Lobo quando ele afirmou que não se sentia valorizado e que os cabo-verdianos só valorizam os artistas que têm quando estes são valorizados pelos paises estrangeiros.

O Paulino falou muito mas ele que ele já fez shows piores em que me senti meio envergonhado, e sabado não foi o caso.

Gostei mais do show dele do que dos ultimos shows que a Mayra e a Sara Tavares deram aqui na Praia

da caps disse...

Afinal,
este blog até sabes umas coisas

(este vai mais em jeito de reconhecimento k de provocação)

Abraço

JB disse...

de caps, como quem não quer a coisa deixa que te diga que hoje vou dormir muito mais tranquilo! (assim mais em jeito de reconhecimento do que de ironia sem piada!)

Abraço

lamin disse...

mais uma vez concordo com tudo aliás dificilmente vejo algum post seu, onde não esteja presente uma enorme capacidade de análise , não deixando de opinar mas nunca denegrindo ou desvalorizando quem quer que seja . continua firme com o blog porque isto sim é serviço público de qualidade . Cultura , informaçao e inteligencia a serviço de todos.

Anónimo disse...

A minha opinião é antiga e digo-a sempre, só por que é Paulino Viera não tenho de me curvar e dizer que ele tem estado a dizer asneiras. Até admiro as músicas e o seu talento, mas o gajo tem exagerado muito ultimamente, convenhamos, chamando a Cesária de "farsa", insultando-a, ai pobre da Cize. Temos de começar a dizer algumas coisas que o próprio Paulino não quer ouvir. Há espectáculos e há espectáculos, o gajo é um génio e daí, não é passível de ser criticado. Já vi alguns concertos dele ultimamente e há coisas que ele diz que estraga tudo! Ele pensa que pode dizer tudo o que quer e lhe apetece, muito bem mas as pessoas também podem fazer o mesmo. Há coisas que ele diz, por ex. chamando alguns de mafiosos e tal, mas pessoal isso é coisa grave e que ele devia provar no lugar adequado e não andar por aí falar que fulano e sicrano é mafioso sem provar absolutamente nada.


José Araújo.

Anónimo disse...

tretas a parte o Homem é um grande homem e ser como já disse alguém aqui, e sim devemos aprender com os grandes e ter HUMILDADE o que faltou a um comentarista aqui que penssa ser um grande.

PAULINO ,FOI, È e SERÀ sempre um mestre doa a quem doer e o espectaculo de sabado foi um SHOW:
~LERIAS a parte .

Carla disse...

Show de Paulino Vieira foi d´quel bom, moda gente de soncente ta dzê.
mim um adora se Show (com conversa e tudo).
Obrigada ao Mestre.
Ah, João será que o Hernani vem apresentar o espectáculo dele na Praia? Estamos a espera!

Anónimo disse...

João concordo que seja um génio, talvez demasiado transcendental para este mundo e que como bem dizes podemos aprender com pessoas assim.

Alguém aqui nos comentários falou em as pessoas estarem à espera de shows e espectáculos convencionais, não. Não se tratou disso. Acho que acima de tudo as pessoas estavam à espera de música, musicalidade, sonoridades e encantamentos a que a música de Paulino superiormente representa.

Acho que houve um desrespeito pelo público muito grande.

Se devemos respeitar as suas locuras e alucinações por ser um gênio, não deveria ele respeitar quem vai para assistir à sua música?

Tantas bocas contraditórias que mandou, mas não vive ele também da sua música, dos seus shows, das suas estratégias?
Se vive da música e partilha o showbusiness, também ele está inscrito no sistema.

As pessoas têm de ver as coisas como elas são.É genial, é mestre, o melhor, mas tem de ser profissional e respeitar o seu público e isso, ele não fez.

Então, o show deveria ter sido "encontro descontraído com Paulino" e não concerto de Paulino Vieira. De concerto, aquilo apenas teve os músicos que o acompanharam.

Um abraço nada Margosos

Anónimo disse...

João concordo que seja um génio, talvez demasiado transcendental para este mundo e que como bem dizes podemos aprender com pessoas assim.

Alguém aqui nos comentários falou em as pessoas estarem à espera de shows e espectáculos convencionais, não. Não se tratou disso. Acho que acima de tudo as pessoas estavam à espera de música, musicalidade, sonoridades e encantamentos a que a música de Paulino superiormente representa.

Acho que houve um desrespeito pelo público muito grande.

Se devemos respeitar as suas locuras e alucinações por ser um gênio, não deveria ele respeitar quem vai para assistir à sua música?

Tantas bocas contraditórias que mandou, mas não vive ele também da sua música, dos seus shows, das suas estratégias?
Se vive da música e partilha o showbusiness, também ele está inscrito no sistema.

As pessoas têm de ver as coisas como elas são.É genial, é mestre, o melhor, mas tem de ser profissional e respeitar o seu público e isso, ele não fez.

Então, o show deveria ter sido "encontro descontraído com Paulino" e não concerto de Paulino Vieira. De concerto, aquilo apenas teve os músicos que o acompanharam.

Um abraço nada Margosos

JB disse...

Como se pode ver, há aqui duas posições mais ou menos extremadas. E como se costuma dizer, no meio é que está a virtude - muito embora nem sempre concorde com isto. O Paulino Vieira é especial sim. Talvez por isso aquilo que alguns apenas consideraram como puro "desrespeito" outros abriram o "brok d'ovid" e tentaram tirar alguma ilação. Há contradições no discurso do Paulino? Certamente, mas quem não as tem?

O maior crime é fazer como habitualmente: esperar a morte para aceitar o reconhecimento público. Mais vale fazê-lo em vida, porque todos os mortos são heróis.

Ariane Morais-Abreu disse...

JB, basta de sacralizaçao de um musico que afinal esta a dar o que ele é. Muita rancor, muita conversa, muita leviandade, muita reprodutividade e por fim pouca musica, originalidade e evoluçao !! Sim pouca musica porque o que ouvimos no Mindelhotel no passado, mês de setembro, laisse à désirer da genialidade de Paulino Vieira, um artista que se perdeu em si mesmo e nos meandros do pesadelo cabo-verdiano. O seu come back parece hoje uma troça a ele mesmo. Se alguém fosse realmente sincero com ele, nao assistiriamos a ta ridiculas actuaçoes e declaraçoes mediaticas. A desmedida fracassa (qualquer um)...

Anónimo disse...

JB homenagem a Paulino faremos sempre, porque ele merece e todos gostam da sua música e do seu talento, mas dizer que ele anda a "dar tiro no próprio pé", acusando um sistema que, de certa forma, ele faz parte e manchando a imagem de alguns sem nenhuma prova concreta, isso também diremos.
José Araujo.

Tchale Figueira disse...

João: Todos os mortos são hérois é um cliche: Consideras Salazar um Heroi? Idi Amin Dada, Mobutu, Hitler, Polpote, Stalin...

A morte faz parte da nossa existencia. Mas a memória fica nos vivos e é fundamental aquilo que deixamos para a posteriedade.

No caso do nosso musico ele tem obra feita, mas creio que necessita tranquilidade de espirito. A amargura da alma é a pior das enfermedades.

JB disse...

Ok expliquei-me mal, Tchalê. O que eu queria dizer é que estou FARTO de ver o pessoal a gritar elogios e adjectivos quando o pessoal morre, sendo que ignoraram ou falaram mesmo mal do sujeito quando este estava vivo. Tu que acompanhaste os últimos dias do João Vário sabes disso muito bem.

Ou seja, é fácil elevar os mortos à categoria de herois. O que é preciso, e raramente é feito, é reconhecer aos vivos o estatuto de fora-de-série.

Entendes? É isso.

Tchale Figueira disse...

ok

Ariane Morais-Abreu disse...

Ler e ver Paulino Vieira nesses ultimos anos demostra que pagamos sempre os erros cometidos e o principal erro de Paulino foi a sua colaboraçao com a Lusafrica, podemos constatar, por motivos objectivos e subjectivos. Assistimos ao maior roubo de direitos de autor com o caso "Sodade", ao ostracismo de Bana, a uniformizaçao da musica cv, a monopolizaçao da produçao musical cv, e por fim ao empobrecimento da criaçao musical. Agora vociferar contra a Cesaria (a "Cindirella" invejada) que é também e antes de tudo uma vitima do sistema em causa, da a medida do nivel do gajo. Afinal "génio", em qual definiçao?!! A unica obra que eu poderia qualificar de genial é o "Mirim d'agua" mas este é do pai. Veja o pai, entenderas o filho...

JP disse...

Primeiro que tudo, uma só coisa a dizer: tenho INVEJA, dessas de ficar verde mesmo, de quem pôde assistir a este concerto.

Aos anos que quero ver Paulino ao vivo, aí outra vez a deslumbrar. Aqui há tempos encontrei-o aqui em Lisboa e cumprimentei-o, queixei-me de que fazia falta ouvi-lo outra vez, quando é que teríamos o prazer de o ouvir, etc e tal (graxa). Resposta pronta dele:

"Inda bzot ka nem entendê kej ot trabói, já bzot crê más ainda?"

Típico Paulino. Goste-se ou não da pessoa, é um génio musical e deve ser celebrado como tal, concordo em absoluto contigo João, que se cantem aos 4 ventos as suas virtudes. Quem discordar que compare por ex. Cize/Celina com e sem os arranjos dele...Não tem comparação mesmo.

E depois, quanto aos seus "excessos", sempre gostei mais da máxima "antes fdp do que coitadinho" e acho que ele faz muito bem em botar a boca no trombone. Paninhos quentes e respeitinho nunca mudaram o que quer que fosse, e sinceramente respeito-o mais por ter assumido a sua independência do que a outros artistas que se calhar até gostavam de dizer as mesmas verdades mas não querem morder a mão que lhes dá de comer.

Ariane Morais-Abreu disse...

"Inda bzot ka nem entendê kej ot trabói, já bzot crê más ainda?"

Que desprezo para os que fazem viver a sua musica!! So ele pode entender!! Afinal o que tem para entender a musica de Paulino Vieira??! Ele é espertinho d'mundo, temporiza com resposta desviada porque nada tem para apresentar (se tinha, ja teria vendida a catchupa), a nao ser musicas requentadas e conversa descabida. Que as pessaos nao se enganam porque nao é uma questao de gostar ou nao de Paulino Vieira, mas de situar a sua produçao no conjuto da musicografia cv, e mundial sobretudo. Sera que o compositor esta na altura do instrumentista? Olhamos um pouco mais de perto os seus trabalhos (de arranjos e pessoais) e vejamos onde esta a originalidade, a novidade, a genialidade. Sera que o homem merece tanta cega compaixao (de remorso colectivo) quando nega "pour ainsi dire" a existência de outras musicas como por exemplo o Zouk no panorama cv? Que pensar da sua mania de mestre incontestavel perante os outros colegas que considera meninos de mandado ajoelhados? Se consideramos o PV um génio da musica cv qual substantivo vamos poder usar (ou inventar) para qualificar a consequente e original obra do falecido Manel d'Novas?!!! A desmedida esta fracassando puro e simplismente a criaçao cv no seu todo com mediocridade feita norma, imposturas starificadas, reprodutores feitos genios... Quase todos estes musicos comeram ou comem nas mesmas maos e praticam a mesma interesseira censura e ausência de honestidade intelectual!! Entao a historia de PV nao passa de mais um melodrama cv...