Crónica Desaforada

9 Comments



Responda quem souber

Através do blogue Retalhos, cheguei a esta notícia espantosa, de Agosto de 2008, cujo maior destaque é este (mas mesmo assim vale uma leitura integral):

"O mosquito transmissor do vírus da dengue foi detectado nos últimos dias nas ilhas do Sal, de Santiago e de São Vicente, em Cabo Verde, segundo autoridades sanitárias do país. O delegado da Saúde da Praia, José da Rosa, disse à Rádio de Cabo Verde (RCV) que o insecto terá vindo do Brasil e da costa ocidental africana, transportado, provavelmente, por meios de transporte aéreo que realizam ligações frequentes com essas regiões. Contudo, o delegado de Saúde da capital cabo-verdiana tranquilizou a população sobre a ocorrência duma eventual epidemia de dengue em Cabo Verde, garantindo que a possibilidade é bastante remota."

Pois é, pela boca morre o peixe, como se costuma dizer. Entretanto, o Governo de Cabo Verde decreta a próxima sexta-feira uma tolerância de ponto para o combate colectivo ao mosquito. Muito bem. Estou como o César Schofield e fico sem saber o que raio vou fazer eu na sexta-feira além de limpar a minha casa, como faço sempre.

Entretanto, é preciso que se tenha consciência que este vendaval chegou com outro a decorrer, pois não nos podemos esquecer da Gripe A que por aí anda. Já para não falar do Paludismo. Certo, certo é que já há por aí muito boa gente a confundir umas e outras, a jurar a pés juntos que apanhou Dengue porque esteve nas urgências em contacto com outros doentes quando este vírus não se transmite entre humanos, ou que pensam que colocando uma máscara na cara estão protegidas contra a ameaça. São necessários esclarecimentos urgentes e concretos, a todas as horas e por todos os meios possíveis.

Algumas perguntas sobre esta crise:

1. Onde está o plano de contingência para uma situação destas?
2. Se o mosquito foi identificado no território cabo-verdiano há 15 meses, porque é que não foram tomadas medidas em consonância?
3. Se o mosquito veio por via aérea porque raio que nos voos dos TACV não se procede à desinfestação dos aviões como acontece noutras companhias?
4. Porque não se utilizam os SMS's para prevenir a população, tendo em conta a elevada taxa de utilização do telemóvel em Cabo Verde?
5. Para quem eu telefono se tiver uma filha minha com sintomas?
6. Quem esclarece as minhas dúvidas?
7. Se na farmácia não há repelente e no mercado não há cravo ou limões, o que faço eu para me proteger a mim e aos meus, além das normais medidas de prevenção e higiene?
8. Porque ainda não foi montado um número de telefone gratuíto, disponível 24 horas, para esclarecer a população?
9. Se me dizem que é raro o agregado familiar que não tem (ou teve) alguém doente na capital, porque é que me parece que os 8 mil casos anunciados até agora pecam por defeito?
10. Porque não foi solicitada (ou aceite, se oferecida) ajuda internacional?
11. Porquê sexta-feira e não hoje, tendo em conta que se podem salvar vidas?
12. Como estão os institutos e serviços públicos a preparar-se para este combate?
13. E finalmente, alguém que me explique por raio estou eu tão assustado com tudo isto?

E para não entrar em outros campos já nem falo de demissões de ministros da saúde ou coisa que o valha, porque urge concentrar no mais importante: nas pessoas, principalmente naquelas que não sabem, não conseguem ou não se podem defender. Entretanto, responda quem souber.


Mindelo, 04 de Novembro de 2009





You may also like

9 comentários:

lamin disse...

caro João branco infelizmente em cabo verde a prevenção é algo que não se fala e nem se faz . E como médico radicado num país onde a dengue vem fustigando a população como é o caso do brasil garanto-te que não é com tolerância nacional que se combate o mosquito mas sim com programas concretos de vigilância epidemiológica ,criar grupos especializados em detetizar as residencias e o mais importante informar a população sobre a doença, sobre o risco de deixar água acumulada , e enfatizar o saneamento básico alem de preparar os hospitais , postos de saúde, criar unidades de pronto atendimento para os casos suspeitos de dengue nos bairros e equipá- los com soro fisiológico, ringer e dipirona que é a base do tratamento.Se quiseres um conselho para a sexta , vai curtir a praia da laginha porque se fosse aqui no rio eu iria curtir a praia de ipanema ainda mais com este calor de 40 graus que tem feito estes dias por aqui. abraços

Paulo Santos Silva disse...

Na criol di Alupek ta fladu "si bu obi e consedju, se não é conbersu" ! Acho que o "medico radicado no Brasil" está somente a (desc)conversar.
Creio que é brincadeira (e de muito mau gosto) dizer que o melhor é ir para Laginha. Enfim há brincalhões para todas as ocasiões.
Eu acho engraçado toda a gente saber como é que NÃO se combate a dengue. Mas a questão é: como é que se combate ? O que fazer ? Ir para Laginha é que me parece estupidez absoluta !

zito azevedo disse...

Iamim, é isso, é preciso colocar a falar quem sabe do assunto e pode dar à informação o valor acrescentado da experiência, embora sofrida. Como diz, isto não é uma brincadeira de fim-se-semana prolongado: é um caso muitíssiomo sério de saude publica que, via de regra, se costuma prevenir que é, como se sabe, melhor do que remediar. Ora, a ponta do véu já tinha sido levantada hà muitos meses...Entretanto.....silêncio de ouro que,neste caso, pode ser de morte!

Anónimo disse...

Onde pára o Ministro da Saude Basilio Ramos? Há 2 dias que o homem não dá a cara? Foi afastado por incompetencia pelo Primeiro Ministro que agora é quem está a falr em nome do Governo ou será que foi picado pelo mosquito e está a recuperar-se do "sacudim"?

Dundu disse...

João, penso que em Cabo Verde sempre tivemos o mosquito do dengue (o mesmo vector transmissor da febre amarela - Aedes Aegypti e o Aedes Albopictus).
O que nunca tínhamos tido era a proliferação da doença através de alguém infectado.
As minhas informações não são baseadas em documentos de alguma instituição e sim em comentários de pessoas que já estiveram mais de perto deste assunto.
Convém, entretanto, informar melhor sobre assunto para não passarmos informações erradas.
Quanto às questões, sinceramente, nao possuo as respostas.

Cptos

valdemar pereira disse...

Amadores. Todos amadores. Em qualquer outro Pais quem falhou apresentaria a sua demissão. Na nossa terra mobilizam-se numa sexta-feira. Lembrem-se de que quem a sua sexta-feira?
Que Deus nos acuda.

lamin ramos disse...

meu caro paulo! a dengue deve ser encarada de forma séria e responsavel, o que tentei passar é que nao se combate a dengue numa sexta feira e sim com medidas acertadas e programadas .E quanto ao senso de humor acho que devias adotá -lo para a vida porque andar de cara amarrada é so um jeito de viver na pior.pense nisso. abraços.

Paulo Santos Silva disse...

Assim sendo como dizem os brasileiros malagueta no do outros é refresco.
Tentam brincar com algo sério, ainda por cima quem diz que é médico (de cirurgia plástica?).
Quem disse que o dengue se combate numa Sexta-feira ?????? Quem afirmou isso ???? Você talvez. Eu não ouvi ninguém do governo afirmar que se vai combater o dengue "na Sexta". O que foi dito é que lançar-se-á um Campanha nacional com um mobilização de toda a gente (Exceptos os Sr. Dr. como você que vão para Laginha) com acções que de certeza perdurarão tanto quanto for necessário. Há um simbolismo em decretar tolerância de ponto. Querem passar a mensagem que o caso é grave e que portanto vamos mobilizar toda a gente.

Ariane Morais-Abreu disse...

Os responsaveis sanitarios publicos de CV falham ha muitos anos e a irresponsabilidade deles causam inumeros mortos e doentes (que vao morrer em Portugal). Tempo chegou de fazer compreender a este pessoal que crime é condenavel por justiça e que as familias tem todo o direito de queixar contra a incuria destes responsaveis (insanos). Em democracia, o sentido de dever/responsabilidade é o pilar de todo o sistema... Quanta a grippe A (uma provavel fabricaçao de laboratorio), vejam a intoxicaçao mediatica a volta all around the world desde, os avisos este verao nos aeroportos de CV e a imposiçao do tamiflu (cuja toxicidade nao conhecemos)!! Com a vida de quem estao a brincar os poderosos?!!!! A eradicaçao do paludismo e da dengue nao interessa os laboratorios pelos vistos, nao é lucrativo.