Declaração Cafeana

7 Comments



Não sou um anti-tabagista radical, carregado de intolerância, daqueles que vê em cada fumador um terrorista, o culpado de todos os males do Universo e arredores. Fui fumador durante cerca de 25 anos. Na madrugada de 31 de Junho para 01 de Julho de 2008, há precisamente 16 meses, 28 dias, 14 horas e 18 minutos tomei a decisão - não programada anteriormente - de nunca mais tocar num cigarro na vida, pelo menos com intenção de fumá-lo.

Desde essa data é o que se sabe: a qualidade de vida aumenta exponencialmente, o sono melhora, os alimentos adquirem outro sabor, os beijos dados e recebidos são dados e recebidos de forma mais ávida, a respiração adquire outra tranquilidade, a sensibilidade aos cheiros (incluindo o cheiro do cigarro) torna-se poderosa, pelo menos comparando com o que era antes. Também sabemos que há centenas de livros e milhares de sites na Internet de auto-ajuda sobre como deixar de fumar, mas isso de pouco adianta. A única coisa que conta somos nós próprios. Não acredito em terapias, hipnoses, sêlos e pastilhas de nicotina se a acompanhar não houver uma vontade férrea, pessoal e intransmissível, de parar.

Já havia parado de fumar outras vezes, mas nunca tinha deixado de fumar, numa decisão encarada como definitiva. Na gravidez das minhas duas filhas e durante os seus primeiros meses de vida não fumei, assim como nunca mais fumei dentro da minha casa desde o dia em que me tornei progenitor. O retomar do vício foi, então, assumido como algo natural: como com um casal que "dá um tempo" e depois volta ao salutar (que não saudável) convívio, porque estão convencidos que foram feitos um para o outro. Mas desta vez não. Assinei a carta do divórcio sem retorno. Consegui a minha carta de alforria.

Num site que visito bastante - ver aqui - e que tem apenas uma página, podemos calcular facilmente os ganhos de ter parado de fumar a partir do cálculo dos dias em que nos mantivemos longe do vício. E os resultados podem ser surpreendentes e animadores. Ficamos a saber o dinheiro que se poupou, o tempo de vida que se ganhou, que o risco de ter um ataque cardíaco fulminante é metade do que era há uma ano atrás, por exemplo, entre outras informações interessantes. E dizer que escrevo este post, nesta altura do campeonato, porque a minha filha Laura, de 12 anos, me lembrou ontem: "pai, vai fazer 17 meses que não fumas. Parabéns." A minha filha Laura quer ser médica e eu gosto muito dela.

Imagem: "The Smoke" de Lucas Zoltows




You may also like

7 comentários:

zito azevedo disse...

Meu amigo: eu fumei durante sessenta anos - o meu primeiro foi um Lucky Strike - e deixei de fumar numa noite de 24 de Dezembro em que fui parar ao Hospital com uma dor na zona do estomago pela qual estive internado uma semana e aínda hoje estou para saber o que me aconteceu a não ser ter deixado de fumar sem mais aquelas...Hoje, passados tantos anos de Chesterfields, Marlboros, Philip Morris, etc. aínda me interrogo porque é que eu fumava e não encontro nenhuma explicação, nenhuma razão, nenhum motivo...É que, alguns anos depois dee ter deixado, eu aínda tenho aquela maldita tosse de fumador que, hoje, me envergonha! E os outros?

Carla disse...

É. Eu ainda estou nas tentativas. mas sei que vou conseguir!

Felina disse...

Eu ex fumadora me confesso... comecei a fumar porque quando era jovem não nos diziam que fumar fazia mal... só diziam que fumar eram só para homens e eram incentivados a fumar desde muito novos... mas era feio as mulheres fumarem e eu para contrariar comecei a fumar... só mais tarde me apercebi da idiotice e deixei, e é como o JB diz ajudas e esquemas não funcionam se nós não quizermos mesmo abandonar esse vicio para mim foi fácil bastou o pretexto da gravidez...

Felina disse...

Esqueci de acrescentar...

Parabéns... mais uma luta que venceste e foi lindo este momento de ternura da tua filha...

Anónimo disse...

Sou fumador inveterado. Mas reconheço que ando com muita vontade de apanhar a "pedrada" dos não fumadores!

a) RB

zito azevedo disse...

Aqui fica o desafio de fazer desta luta contra o fumo uma cruzada,mas sem cristãos nem infiéis, apenas com gente inteligente que sabe que fumar mata: os que fumam e os que assistem...

Como parar de fumar disse...

Para quem está querendo parar recomendo muito o site: http://www.saibacomoparardefumar.com.br