Um Café com o vestido rosa

6 Comments




Através do Bitaites. cheguei ao blogue do jornalista brasileiro Fausto Salvadori Filho, Boteco Sujo, que foi quem denunciou o caso: "uma estudante de Turismo cometeu o crime de ir para faculdade usando apenas uma blusinha que mal chegava até suas coxas, um vestido curto (nada que já não pudesse ser usado nos anos 30). Quando a garota começou a subir uma das rampas da universidade, oferecendo uma vista privilegiada das suas redundâncias, provocou um levante entre marmanjos que provavelmente nunca haviam visto uma mulher sem roupa desde que foram desmamados. Os estudantes começaram a cercar a moça, com gritos e galanteios de pedreiro, e foram se empolgando até que ameaçaram estuprá-la. Ela, então, correu e se trancou numa sala. Foi aí que todos os alunos abandonaram as aulas e se aglomeraram numa multidão que ameaçava invadir a sala onde a garota havia se escondido, aos gritos de "puta, puta!". Homens e mulheres se juntaram para xingá-la. Foi preciso que um grupo de policiais militares entrasse no prédio para evitar que a menina se tornasse a protagonista de um gang bang forçado."

Nos dias de hoje já se sabe: um telemóvel, uma filmagem, um vídeo no Youtube e o caso torna-se global. A menina, Geyse Arruda, de 20 anos lá teve que ir à televisão, num programa da Rede Record - que nunca perderia um pitéu destes! - para dizer de sua justiça. O apresentador de serviço comparou o seu caso a Maria Madalena, a prostituta apedrejada do Novo Testamento. Um inquérito decorre na Universidade, pois ao que parece o apedrejamento colectivo, que obrigou a que a menina recebesse tratamento hospitalar, teve a conivência de professores e seguranças. A confusão só terminou mesmo com a intervenção da Polícia Militar local. "Os moleques gritavam "puta!" e falavam que iam comer ela — me contou um aluno da Uniban que viu a cena. — Ela saiu da sala com os PMs, vestindo avental de professor. Todo mundo foi para cima e a polícia jogou spray de pimenta para dispersar", relata o blogue Boteco Sujo. (Vejam o relato vídeo, aqui)

O que pensar de tudo isto, no país que praticamente inventou o fio dental, recordista mundial de operações plásticas ou que tem um Carnaval onde se vê mais pele do que roupa? A garota, no programa de televisão, lá admitiu que aquela podia não ser a roupa adequada para se estar numa sala de aula, mas com os diabos, é isso mesmo que está em causa? Ou é apenas a manifestação de uma sociedade hipócrita, que passa a vida a atirar pedras ao telhado do vizinho, mesmo sabendo que tem paredes de vidro? Falsos moralismos, é o que é.




You may also like

6 comentários:

zito azevedo disse...

Numa palavra (que serão duas) FALTA DE RESPEITO !!!
Zito

Carla disse...

Credo!
ninguém merece!!!!!
mas os brasileiros não são esses liberais, descontraidos que dizem por aí. pode até ser no rio mas vai para o interior do país pra vc ver!

da caps disse...

Quer isso dizer que o país que praticamente inventou o fio dental, recordista mundial de operações plásticas ou que tem um Carnaval onde se vê mais pele do que roupa, não tem estofo para aguentar suas próprias ..invenções..

Lily disse...

Perfeitamente absurdo. Um desrespeito pela liberdade de escolha e da postura individual.

telmo disse...

bem eu só axo q isso é falta de gosto para apreciar.se ela axa q deve ir assim para a faculdade,eu se tivesse lá só ia apreciar heheheheh

tirando o gozo axo q a unica coisa q sobra disso é a falta de bom senso de uma população q s diz sp a nata de uma sociedade por serem universitários

Anónimo disse...

num país onde sexo é mais barato (borla) do que comida... RIDÍCULO