Um Café Curto (sem) Dengue?

10 Comments




Acabei de ler na A Semana online:

"No âmbito das suas competências, aquela comissão realizou com a ajuda das Forças Armadas a desinfestação em quase todas as ilhas de Cabo Verde, sobretudo naquelas onde o número de casos de dengue se mostraram mais fortes. Hoje, na ilha da Boa Vista, está prevista uma acção de terreno nos focos já localizados. Artur Correia acredita, inclusive, que foi graças a esse tipo de acção de terreno, reforçado com campanhas de limpeza, que a dengue foi praticamente dominada."

Não é um bocadinho cedo para se fazer uma afirmação como esta? Isto não poderá fazer, ainda, com que se "baixe a guarda" e se volte a cometer os mesmos erros de sempre? Em que consiste, em termos concretos, "dominar" um surto epidérmico? Se, de facto, Cabo Verde conseguiu essa proeza fantástica de erradicar uma epidemia com esta rapidez e competência, que se importe, de imediato, toda o nosso pioneirismo crioulo nesta matéria para outros locais do planeta, onde uma situação como esta demora anos - gerações - a resolver. A humanidade agradece.

Notícia completa: aqui




You may also like

10 comentários:

Anónimo disse...

...ufa!! é um milagre pré-natal(icio)...

Hiena

Carla disse...

Tens toda a razão.
Eu também acho que estão a cantar vitória muito cedo. Além do que, há especialistas que afirmam que nunca mais vamos nos livar da dengue: ou seja, todos os anos depois das chuvas vão aparecer casos. e se não continuarmos a limpeza, o sanemanto do meio, eliminação de água paradas no próximo ano teremos epidemia novamente.
è isso que as pessoas precisam entender.
Agora já estamos com menos 200 casos/dia, e se lembramos que já houve dia em que foram 1105, reduzir para 200 é trabalho feito. mas por outro lado, acho que cerca de 200 casos ainda é muito, e por isso concordo contigo só devemos festajar quando não sobrar unzinho para contar história.

Lily disse...

Uma coisa é erradicar o surto outra é dominá-lo...
É provável que o surto tenha já atingido o seu pico, e, como se apresenta em fase descendente, falam em "dominação". Contudo, erradicar será muito pouco provável. Esse é que é o grave problema de fundo.

Anónimo disse...

fico feliz em ver que os casos de dengue estão diminuindo . Mas seria bom esclarecer que a epedemia de dengue tem um comportamento sazonal e pelo facto das temperaturas estarem caíndo em cabo verde pode -se gerar alguma confusão alem do mais pesquisas feitas aqui no brasil mostram que a epedemia se dá em dois picos onde num primeiro momento apareçe e tende a caír para num segundo momento após o inverno ressurgir daí considero que agora mais do que nunca devem ser apertadas as medidas de controlo vectorial. Participei numa conferencia algumas semanas atrás onde teve um trabalho sobre a epedemia de dengue que mostrava precisamente este comportamento de haver um primeiro surto interrompido pelo inverno e um segundo surto logo que as temperaturas aumentem. acredito que vamos vencer estya batalha mas devemos ficar alertas

zito azevedo disse...

Alinho com Carla e Lily...Às vezes, estas coisas das epidemias são como o vento-leste: passa, mas volta!

Anónimo disse...

Eu não quero ser pessimista, mas o facto é quase toda a população da Praia foi contaminada pelo vírus, e parece-me lógico que sendo muito poucos os que ainda não o foram, normal será que o número descresça. Parece óbvio, não é? O que nos mata é essa propaganda política que anda a "infectar" tudo neste país, e isso cheira-me claramente a propaganda, e ainda por cima enganosa. Como é possível que no Brasil, um país com mais meios, mas muito maior é verdade, até hoje não se irradicou a dengue e a luta continua? Concordo que estamos a pôr, mais uma vez a carroça à frente dos bois,e deixar, mais uma vez, a vaidade e basofaria crioula, imperar, o que a médio longo prazo dará os seus frutos, como sempre muito amargos.

Sáude para todos,

Pimintinha

GJ disse...

Claramente cedo demais, quando ainda há dias recebia um pedido de ajuda do Padre Nuno, para medicamentos, mosquiteiros e antirepelentes a serem enviados no próximo contentor que sai de Portugal no dia 28.

JB disse...

Atenção, para que não restem dúvidas: é fantástico que o número de casos esteja a diminuir, mas isso já era expectável, não? Como diz o Pimintinha, nem sequer haveria população suficiente para se manter o ritmo. Medidas importantes foram tomadas, sem dúvida, Ninguém está a desvalorizar isso. Apenas temo que declarações como estas possam fazer a sociedade civil e o próprio estado, amolecer numa luta que tem que ser contínua e sem tréguas.

GJ disse...

João, publiquei o email recebido e linkei o seu post.
Claro, que são repelentes e não antirepelentes:|

Ilda disse...

Pois, pois... O governo vem insistindo todos os dias (diria todas as horas) que é necessário manter a luta anti-vectorial e anti-larval. Mas parece que essa parte não é ouvida...
A capacidade de resposta foi muito positiva; veio do Brasil por isso diga-me se viu o exército na rua a fumigar... se viu a fantástica campanha de comunicação (a CMP conseguiu pôr cartazes na rua três semanas depois)... a mobilização geral da população em todas as ilhas
Dominada não quer dizer eliminada! A saúde tem repetido vezes sem conta o perigo da endemia... façam o favor de não repetir coisas ditas como se fossem novidade
E, não, não teria baixado se não fossem as medidas