Declaração Cafeana

18 Comments



A situação epidemológica do arquipélago cabo-verdiano se não é alarmante, caminha a passos largos para o ser. Já não nos bastava o paludismo e a gripe A, eis que chega vindo não se sabe muito bem de onde nem como, um surto de Dengue que já fez vítimas mortais e tem provocado o caos e o alarme em boa parte da população, contabilizando-se em menos de uma semana milhares de casos referenciados. Sabendo-se que as estatísticas que vem a lume pecam sempre por defeito, acredita-se que a situação real no terreno possa ser ainda pior.

A morte tem destas coisas: desperta os vivos. E como as mortes começaram a bater-nos à porta eis que surge o desespero e a dor, primeiro; a raiva, logo de seguida; e finalmente, a noção muito clara de que se não fizermos algo muito sério e verdadeiramente mobilizador a nível nacional, outras desgraças se seguirão. Acabou o tempo dos paninhos quentes. A situação é grave, ponto final. E situações graves requerem medidas de força e de excepção.

Não há médicos suficientes? Solicite-se ajuda internacional aos muitos parceiros que o país tem granjeado por esse mundo fora. Não há meios suficientes para combater os focos principais de infecção, que são aqueles locais onde o mosquito, único veículo transmissor desta doença, se pode transmitir? Tomem-se medidas extraordinárias de prevenção mobilizando todos os serviços públicos. Não há civismo suficiente para que as medidas indispensáveis possam ser exequíveis? Mais uma vez, convoquem-se as forças policiais, ponha-se a tropa na rua a fazer limpezas, a controlar o comportamento indevido dos cidadãos que continuam a mijar e a cagar nas ruas impunemente ou deitando lixo na via pública mesmo sabendo que com esse comportamento está a ser um aliado da praga e um inimigo do seu próprio país, cidade, bairro ou rua.

O Estado deve acordar. Tem que agir em força. Por mim, decretava-se desde já o estado de emergência nacional (não sei se é este o termo jurídico), interrompiam-se os debates na Assembleia Nacional (que como vimos ontem servem para pouco) e mobilizava-se toda a população, empregada e desempregada, do público e do privado, velhos e novos, ricos e pobres, para uma verdadeira e convincente luta contra uma doença que é também - embora não apenas - um terrível sintoma do nosso comportamento (anti) civilizacional.

Imagem recebida por mail

Todas as informações sobre a doença e a luta contra o mosquito podem ser encontradas aqui




You may also like

18 comentários:

Paulo Santos Silva disse...

Pois é João ! Acho que é preciso começar a tomar medidas e principalmente é PRECISO AGIR ! Não me canso de o dizer (e desculpem se estou a tornar repetetivo) a questões dos contentores de Lixo em S.Vicnete SERIA cómico se não fosse rídiculo. Se temos uma Srª Dr.ª Presidente de Câmara que nem recolher o lixo da seu município consegue ... tá visto que não vamos longe. (Só falta ela dar a tradicional entrevista no Expresso das Ilhas a acusar o Governo por ela não conseguir recolher o lixo e de vir dizer que a não recolha de lixo é um Cabala contra ela). Mas aposto que ela á primeira que vai Exigir qeu a TCV fale com ela para ela dizer algumas BALELAS e que "estamos a trabalhar" e que "estamos a agir" e blá blá ... enquanto DIARIAMENTE amontoam LIXO e mais LIXO a volta dos locais onde há contentores. Já avisei a Essa Sr.ª o que iremos fazer com os contentres que estão ao pé do polivalente da Chã de Alecrim portanto a menos de 100 metros da casa dela. É PRECISO AGIR E NÓS VAMOS AGIR.É que a propósito do que li num outro blog nós não somos Cidadãos da Bosta !

Anónimo disse...

"anti civilizacional" já é demais! é preciso saber medir as palavras porque elas, embora apenas expressão escrita, também agridem. cuidado!
SMSL

Tchale Figueira disse...

EU AVISEI AOS SACANAS NUM POST SOBRE A SITUAçAO FAZ QUASE UM MES, LEMBRAS? NUM OUTRO PAÌS O MINISTRO DA SAÙDE SERIA "DECAPITADO"

ESTOU FARTO DOS POLITICOS DE MERDA DESTA TERRA.

JB disse...

SMSl, não sei onde é que está a ofensa. A doença de Dengue é, principalmente, o resultado de uma atitude de falta de higiene urbana generalizada e toda a gente sabe disso. Agora se vc prefere ficar muito ofendido(a) em vez de pensar como pode ajudar a combater este mal que passa, em primeiro lugar, por uma mudança profunda de mentalidades, é lá consigo.

Tchalê, ah pois é. Mas parece que acordaram.

zito azevedo disse...

Sería trágico transformar este assunto em querela política: trata-se de uma questão de interesse nacional, de todos, portanto!
Zito

Anónimo disse...

Isso, continuem a fazer o que é mais fácil: culpem o governo e os políticos.
o que eu estranho, sinceramente, é como é que "iluminados" como o Tchalê Figueira adoptam sempre a mesma postura: "eu avisei, eu avisei, não quiseram ouvir, mas eu avisei" (mas não levanta o rabo para fazer NADA).
Saiam mas é das vossas tocas protegidas e usem essa "iluminação" em favor do bem geral e não apenas dos vossos egos.
E para terminar, o governo não acordou APENAS; o governo está a AGIR, que é exactamente o que todos clamam. Reconheçam, pois, e abstenham-se deste constante discurso do bota-abaixo e do espezinhar: também isto é um traço anti-civilizacional e não apenas a falta de higiene.
SMSL

JB disse...

Desculpe: onde é que você vê "bota-abaixismo" no presente post? Leia com olhos de ler em vez de ficar ofendido(a) porque alguém ousou criticar o Governo. Típico! Quanto ao resto, concordo com o último parágrafo. O bota-baixismo também é um traço anti-civilizacional e como tal exige uma luta que passa - também aqui - pela alteração de mentalidades. Resta saber se os comentários como o seu ajudam alguma coisa para que isso aconteça.

Se o Governo está a agir, muito bem, porque está a fazer aquilo para que foi ELEITO. É a sua OBRIGAÇÃO. O Tchalê, que eu saiba, não é Ministro da Saúde nem tem responsabilidades PÚBLICAS directas nessa matéria. Chamou atenção enquanto CIDADÃO ATENTO. Não é preciso vc vir aqui dizer isso como se nos tivessem a fazer um grande favor.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Uma vez mais, parabêns pelo alerta.
Acompanho as noticias diariamente cá em Portugal e digo-lhe, estou aflitissima.A sensação que tenho é que nada se faz!!! Ontem na Praia estava esgotado em todos os supermercados o cravinho para fazer o repelente e todos os repelentes. Não posso acreditar.
Por favor não se calem, por favor ...
IM

MrCosmos disse...

Caro JB,

Venho acompanhando o teu blogue de a um tempito à esta parte, e muito me tem cativado. Parabéns. Vale o que vale, mas penso inclusive em tecer minha opinião sobre este teu espaço em breve em sede própria. sou apolinário do entrosamento de culturas, acho que a riqueza dos portugueses passa muito por isso, e no fundo é isso que me traz cá mais vezes.

cumptos, e boa continuação.
Paulo César

Margarida disse...

Porque é que os governantes deste país têm tanta dificuldade em agir em situação de crise! Fica-se neste chove e não molha à espera que alguma entidade divina resolva o problema.
A situação não pede diplomacias nem paninhos quentes. Exige-se pulso firme da parte dos governantes para assumirem as rédeas, actuando efectivamente!
Não basta conquistar o poder, é preciso exercê-lo!

Anónimo disse...

Este é um combate sem tréguas e em que todos - de uma forma ou de outra - têm que colaborar. Sem partidarismos ou aproveitamentos políticos inúteis, estéreis e obstrutivos, porque de uma grave questão de saúde pública se trata. E não só a curto prazo, mas sobretudo com vista à erradicação definitiva da doença a mais longo prazo.

Dito isto, uma pergunta a pedir esclarecimento: Os TACV (ou a ASA ou quem de direito) estão a proceder à desinfestação dos seus aviões, incluindo os inter-ilhas?

a) RB

Carla disse...

Gnete
Aimpressão que eu tenho é que o governo está a fazer o seu trabalho.
a doença apareceu há algum tempo relamente, mas também devem saber que em toda a região ostes afrciana só existe um laborat´roior de referencia para este tipo de exame que está sobre carregado devido a várias epidemias que tem assolado esta parte do globo. então, demorou mesmo para sabr se era dengue. cabo verde não tem capacidade para sozinho montar ums instituo pasteur, portanto depende da OMs.
outra coisa é atitude da população que mesmo correndo desesperado para comprar paracetamol nas farmácias, chega á casa e joga água na rua ( eu vi!)!. quando passam o tempo todo a dizr que a higiene e sanemaneto do meio é fundamental!
há relato de uma pessoa que faleceu, porserecusar a internar-se e receber soro. acho que a cota de responsabilidade do Governo mas os cabo-verdianos não ajudam.
ah, outra questão: este país funciona em ponto de ruptura. basta haver uma procura a mais por um produto que ele desaparece. qual é a necessidade que alguém tem de comprar quilos de cravinho parafazer stock em casa, para que os outros não achem nem um só grão?
tudo o que não precisamos neste momento como disse o Zito é que transformem essa epidemia em arma de arremesso político. acho que podemos combatê-la junstos. temos capacidade para isso.

Anónimo disse...

Margarida é feio fazeres este comentário... os paninhos quentes do governo são elevados ao pedestal mediatico com a ajuda do Nha Terra Nha Cretcheu. Espera-se que depois dessa epidemia não mais tenham a lata de mostrar o país cartão postal.

Lena disse...

é pena que neste imputar de responsabilidades se limitem ao Governo e todos esqueçam que as cãmaras é que t~em compet~encias nesta matéria. acho que o governo devia responsabilizar mais as câmaras quando não cumprem o seu papel.
Mas neste caso a responsabilidade é de todos. o mosquito sempre existiu por aqui e continuamos por falta de civismo e responsabilidade a criar condições para que ele prolifere e faça danos.

Paulo Santos Silva disse...

Anti-civilizacional sim ! Eu apoio a expressão usada. É anti-civilizacional comportamentos que á partida já sabemos que contribuirão mais tarde ou mais cedo por produzir calamidades.
Nada de vir aqui ficar chocados com palavras ! O que choca mesmo sabemos todos o que é: é ser picado pelo mosquito e morrer. E isso está mais perto de acontencer cada dia que passa se não tomarmos medidas ! Isso sim é drama. Quanto ao resto discutir palavras que ofendem aos mais sensíveis ... isso é perda de tempo.

Paulo Santos Silva disse...

E ninguém está a transformar isso em polítca. Era o que faltava. Agora não podemos é ficar calados perante irresponsabilidades, perantes actos criminoss (crime nem que for por irresponsabilidade!). Eu tenho FOTOS tirados com meu telemóvel de contentores de Lixo em S.Vicente próximos de onde eu moro, a menos de 100 metros da casa onde mora o Presidente da Câmara. Mesmo que a Sr.ª presidente da Câmara de S.V. não fizesse mais nada na sua vidinha de presidente eu já me daria por satisfeito isto: ela mandar ou alguém por ela mandar recolher como é NORMAL o lixo dos contentores.

JB disse...

Digo e repito, isto não tem nada a ver com politica, ou melhor, com politiquices. Tem a ver com cidadania e com responsabilidade pública. OBVIAMENTE, que muito desse trabalho passa também pelas Câmaras Municipais, que além do mais são quem está mais próximas das populações. Quem chamou atenção para este aspecto, tem toda a razão.

Rosi disse...

Todos nos devemos fazer a nossa parte, seja o governo, seja as câmaras, seja a sociedade civil. Não basta estarmos a deitar culpas nos outros e não fazermos nada.Li algures algumas recomendações k devem ser úteis para o combate da dengue.
Tentar informar os mais desatentos, através de programas de radio, panfletos, jornais, etc..
Tentar sensibilizar as pessoas na área de residência sobre as aguas paradas (mesmo a agua limpa), os lixos fora dos contentores.
O k me pareceu interessante tb foi o facto de criar um dia para o combate a dengue. Se todos nos fizermos a nossa parte, de certeza que melhora.
Já agora um vídeo sobre como se propaga o vírus da dengue http://www.youtube.com/watch?v=HaBgJ6skWnY&feature=related