Plágio 18: Podes ficar aí deitadinha

7 Comments



Mais uma vez vem aqui à baila esta mulher cafeana do Margoso que, afinal, vejam só, não é perfeita. Li um artigo no espaço Bitaites, sobre o famoso CD da doce Scarlett a interpretar o grande Tom Waits. E estive na FNAC. E ouvi o que aqui mesmo foi classificado como um dos acontecimentos do ano. Mas está-se sempre aprender. Nem tudo o que parece, é.


Então lá diz assim:


«À Scarlett Johansson (...) estamos sempre dispostos a perdoar-lhe tudo.

Tudo - excepto gravar um álbum com dez canções de Tom Waits e perturbar o catálogo do mestre da rouquidão poética e da copofonia filosófica com a voz mais vulgar e sonolenta de que tenho memória de ouvir, sobretudo se pensar que aquela voz que me aborrece até à exaustão é soprada pela mesma boquinha que tanto me quer espevitar até à exaustão. Disse ela aos jornalistas que o seu «maior medo» era Tom Waits detestar o disco. «Mas amigos que o conhecem fizeram-me saber que ficou muito satisfeito».

Eu percebo bem a resposta do Tom. Ficou satisfeito, mas não disse com o quê. Se a Scarlett estivesse deitada a meu lado na caminha cantando-me uma canção do Tom Waits ao ouvido, eu ficava muito, muito satisfeito - e também não seria necessário dizer com o quê.»

É caso para dizer: cuidado com as louras que se põem a querer cantar, quando tem (muito) jeito para outras artes. Não se deixem enganar...




You may also like

7 comentários:

Peps disse...

Há aqui uma parte que me fez lembrar uma pequena história de alguns bons anitos atrás.
Enquanto via o The crying game, dei comigo a pensar quase o mesmo que aqui é dito, mas o rumo foi diferente: que bom seria se a cantora/protagonista "estivesse deitada a meu lado na caminha cantando-me" the crying game. Chegado ao final do filme, com um bom susto mudei logo de idéias! Um excelente filme, quanto a mim!
Mas quem nunca ficou perdido na tradução!

ps: este blog é passagem obrigatória na minha ronda :-)

the crying game (http://www.imdb.com/title/tt0104036/)

Sisi disse...

Olha João, assim k pusseste aquele post sobre o album dela, fui a net ouvir os trechos das músicas do cd, porque como é óbvio a minha reacção foi "Scarlett cantando???", e sinceramente, ela é muito boa a representar, mas a cantar ou ela tem muito que aprender ainda ou ñ tem jeito nehum para a coisa.

Anónimo disse...

Adoro a actriz, mas confesso que fiquei com uma espécie de nó no estômago quando soube, aqui, que havia, corajosamente, "ousado" cantar um dos meus gurús (Tom Waits e Chico Buarque...) - "é preciso coragem" - pensei... e fiquei com certo receio de ouvir o resultado.

Entretanto esqueci-me de tentar ouvir. Mas acabei por ler num outro blog amigo uma opinião tão parecida com a postada agora, que tomo a liberdade para partilhá-la:

"Parafraseando Woody Allen, não há nada mais bonito que o canto de um passarinho a acordar-nos pela manhã. É claro que se ele continuar a cantar por período maior que o desejável podemos ganhar uma dor de cabeça. Se o canto da avezinha for interminável, a vontade de lhe meter uma meia pela goela abaixo pode ser mesmo indomável.
De uma outra maneira: se é verdade que as plantas necessitam de água para sobreviver, encharcar-lhe as raízes do - cada vez mais - precioso líquido pode matá-las. Que é que isto tem a ver com o disco da starlet Johansson? Não faço puto de ideia, mas a primeira coisa que me vem à cabeça com a audição de "Anywhere I Lay My Head" é uma sinestesia: "encharcado em som".
David Sitek (TV On The Radio), o produtor, parece ser o grande responsável. Até um certo ponto, entende-se a linha de raciocínio. A voz de Scarlett não é a oitava maravilha do mundo e toca de imbricar o som em produção. Muitas das músicas de Waits são agrestes, outras são quase pequenos segredos, histórias que nada ficam a dever ao glamour. Ora, a primeira função de um cacto não é servir de distracção para narizes ou olhos alheios. E neste disco, aconteceu um pouco isso: cactos, cravos ou jacintos, todos ficaram a parecer rosas. [Já chegava de Botânica, digo eu...]
Em conclusão, querer pegar no jazz, no blues, no folk e tudo mais de Waits, misturar tudo no mesmo caldeirão, dissolver a mistura em pop dos 80's com um feel karaoke, e tirar de lá uma poçãozinha de "glam-pop" pode não ter sido a melhor ideia do mundo.

No mais, continuo a achar Scarlett Johansson uma das mais impressionantes conquistas visuais da Humanidade..." (www.androideparanoide.blogspot.com)

Eu, por cá, continuo sem ouvir...

Alex disse...

Subscrevo. Delicioso. Como um bom café!
João, o gajo deu cabo da tua "religião", do teu fanatismo!
Eh,eh,eh ... na muge!
ZC

João Branco disse...

Olhem, pessoal, ainda não perceberam que este "braço a torcer" foi só um pretexto para poder colocar esta bela imagem da Scarlett no Margoso sem ser questionado pelo facto? e ninguém repara nisso? (hehe)

Catarina disse...

não sei porque fiquei anónima... foi lapso!

João Branco disse...

O seu a seu dono, portanto, Catarina! Um abraço!