Perguntas Cafeanas

14 Comments




O que aconteceria a Romeu e Julieta,
após 15 anos de vida conjunta?


À melhor resposta, ofereço um café





You may also like

14 comentários:

neulopes disse...

Estariam a planear alguma greve juntamente com alguma organização sindical, reivindicando aumento salarial e ainda procurando um comprador para seu 4x4, uma vez que o preço do combustível tornou-se insuportável.

João Branco disse...

E a Julieta, onde é que entra nessa história? Deve estar em casa a lavar pratos ou quê?! rs

Kuskas disse...

Estariam a enfrentar a crise dos 15 anos de "casamento", onde a Julieta já perto dos quarenta resolve dar uma repaginada na vida, tipo voltar a estudar (especialização), corta o cabelo, exibe sem vergonha o corpasso que ela ama de paixão (mesmo com algula celulite), enquanto o Romeu meio barrigudo devido as bafas que acompanham os Uisques e cervejas, faz contas a vida para ver como reconquistar e trazer de volta aquela menina de 16 anos por ele se apaixonou e quase foi morto por.....

Se forem daqueles casair felizardos, vão ultrapassar essa crise com belas discussões e muitas risadas. No final as pazes são muito mais prazerosas.

Abraços

kalu disse...

(mais) uma frase célebre:
"amor impossível é amor eterno"

Humor Negro disse...

O mesmo. Ela, pelos cabelos, colocar-lhe-ia veneno na sopa, e por distracção prová-la-ia para ver se estava boa.

Dundu disse...

Texto de Gilberto G. Pereira


A civilização ocidental não seria a mesma, garantem críticos literários e estudiosos da obra de William Shakespeare (1564-1616). Se os dois personagens principais não tivessem morrido, a peça teria um final diferente, ou seja, não seria o Romeu e Julieta que todos conhecemos. Os especialistas dizem que a grande força da história é não apenas a forma como Shakespeare descreveu o relacionamento proibido entre os dois jovens, mas seu trágico desfecho. Ao matar os protagonistas, ele criou o texto definitivo sobre o amor sem limites, 100% humano (...)
É por isso que muitos consideram a peça uma das obras-primas do drama e da literatura universais, que rendeu incontáveis adaptações para cinema, música e teatro.
(...)O crítico literário americano Harold Bloom vai além e a coloca como um pilar da nossa cultura: "Shakespeare inventou o ser humano."
(...) Num ponto, todos concordam: sir William foi o maior de todos os adaptadores, com uma habilidade extraordinária para traduzir para a linguagem literária mitos comuns a várias culturas (como é o caso do amor romântico de Romeu e Julieta). Assim, se ele tivesse bolado um fim diferente para a peça, o mito do amor puro e arrebatador teria continuado em aberto, até que outro autor escrevesse um texto definitivo.

**********
Por não conseguir imaginar o cenário (assim como não imagino como seria hoje o pensamento de Cabral e Che Guevara, as musicas de Lennon e Marley) deixei a análise acima do Pereira.
Tentei, mas talvez condicionada pela realidade perversa da realidade que vivemos, comecei a desenhar um quadro negativo e parei.
Deixemos a "fantasia" nos invadir. Antecipemos o Carnaval

João Branco disse...

Kuskas, a eterna optimista!

Kalu, acho que foi o grande Nelson Rodrigues que escreveu, «o amor é eterno, e se não é eterno, não é amor...»

Humor negro, hehe, eis um comentário condizente com o nome de quem o faz!

Dundu, excelente, sem dúvida. Aliás, que me conhece sabe que sou grande admirador de Sir William, em todos os sentidos. E foi, sem dúvida, uma forma inteligente, criativa e pedagógica de tentar responder a esta pergunta, precisamente devido ao que falas na parte final. Os dias de hoje tem demasiadas armadilhas, não é? Ai, ai, a familia já não é o que era!

Catarina disse...

hehehhe,

andavam a tentar envenenar-se de mansinho......!


abç

Catarina Cardoso

João Branco disse...

Mas não é isso que fazem um pouco todos os casais, Catarina? hehe

Neu Lopes disse...

João, foi mesmo o Nelson Rodrigues.
E Bob Marley escreveu:
"Quando você acha que sabe todas as perguntas, vem a vida e muda todas as respostas."

rcv disse...

15 anos é um suspiro para o amor eterno... logo, estariam à mesma: amando-se louca e perigosamente... eternamente! Não?
Tchá

João Branco disse...

Tchá, isso é o argumento para alguma grande produção de Hollywood, tipo «romeu e julieta - the return»? Acoooorda! hehe

neulopes disse...

Caramba, João.
Nãoé que passou-me pela cabeça escrever uma peça teatral à volta desse tema?
João, és um génio. Depois do Professor pardal és tu meu herói.
Calma, rapaz. Estou a falara a sério!

João Branco disse...

Nem tanto, Neu, nem tanto. Já há peças de teatro escritas e inspiradas nesta mesma pergunta, que aliás foi motivada quando li uma noticia sobre isso mesmo. Posso-te dizer depois quem é o dramaturgo para investigares. Um abraço!