Café Cinematográfico

5 Comments



«Este vibrante filme de Desplechin é um dos mais magníficos retratos de mulher de que o cinema destes dias é capaz
Jorge Leitão Ramos, Expresso

Londres, fim do século XIX. Esther Kahn vive no East End. Os seus pais são emigrantes judeus. Trabalham todos no atelier de costura da família. Esther é lenta e teimosa, nunca tem uma opinião sobre nada, nunca sente nada por ninguém: é uma pedra. Um dia, no teatro, Esther "acorda" e anima-se: porque ela não vê as peças como os outros, ela vive-as. Decide tornar-se actriz. Começa então a aprender a representar e a viver. E são estas lições que, de repente, uma noite em palco, a fazem revelar vinte anos de vida reprimida.

Um filme extraordinário, sobre a vida e sobre a força do teatro. Uma interpretação perfeita da actriz Summer Phoenix. A ver, absolutamente.


Obrigado, ZCunha





You may also like

5 comentários:

Teatrakacia disse...

Oh João, desculpa lá, mas és decididamente um mau. Sim, sempre a 'mexer na ferida', po! É dolorosa esta realidade: hoje em dia - constatação abrupta - já não vejo filmes, leio cinema! Há direito? (e depois ainda por cima, dói!)
Tchá

neulopes disse...

Fiquei interassadíssimo. Há muito que não vejo um filme sobre a arte de representar. Espero vê-lo em DVD, daqui a alguns meses. Espero pacientemente porque detesto as piratices.

João Branco disse...

Tchá e Neu, tenho o filme em DVD. É só mandar um msn e quem quiser vê. Não é no escurinho da sala de cinema, mas é melhor que nada!

neulopes disse...

Oba!
Continuo com saudade do cinema, mas minha fome cinéfila não me deixa negar um convite desses.

João Branco disse...

OK!