A Bela e o Monstro

11 Comments



Eu tinha dito aqui que não ia falar dos Jogos Olimpicos. Mas não podia deixar de falar da fraudulenta utilização de uma bonita criança, cantando na cerimónia de abertura em «play back», porque a verdadeira dona da voz não tinha uma cara perfeita para a ocasião.

Como veio noticiado em vários sítios na internet. Como no sítio do Jornal de Notícias, que relata assim:

«Afinal, não foi a voz de Lin Miaoke que se ouviu no Ninho de Pássaros a cantar a "Ode à Pátria" durante a cerimónia de abertura dos Jogos Olímpicos. A lindíssima Miaoke, de nove anos, acabou por estar no centro das atenções apenas pela sua beleza, já que o que se ouviu foi um "play-back".

A extraordinária voz que se escutou pertence a outra jovem, Yang Peiyi, de sete anos, afastada da abertura por fisicamente não ser tão perfeita.

Inicialmente, Peiyi teria a honra de pisar o estádio olímpico e de cantar ao vivo, mas tudo mudou num dos últimos ensaios, a que asssistiu um dos mais altos dirigentes do Partido Comunista Chinês. O homem não gostou da aparência de Peiyi - não tão bonita e com os dentes imperfeitos - e chamou a atenção ao director musical responsável pelo espectáculo, Chen Qigang.

"Ele disse-nos que tínhamos um problema para resolver, e nós resolvemo-lo", adiantou Qigang, justificando: "Nós queríamos projectar a imagem perfeita e pensámos no que era melhor para o país. Era uma questão de interesse nacional. A criança deveria ter uma boa apresentação, ser expressiva. Lin Miaoke é excelente nestes aspectos, mas quanto à voz, a de Peiyi é perfeita. Por isso, decidimos usar o play-back".

Mas não se ficaram por aqui os truques na cerimónia de abertura. Os chineses admitiram ter usado imagens pré-gravadas no fogo-de-artíficio que abriu a cerimónia, e alegamente recolhidas por um helicóptero, já que o céu encoberto nesse dia não permitiu uma boa visualização.»



Desculpem lá que vos diga, mas a única palavra
que me vem à cabeça, assim derrepente, é
nojo.

Cartoon de Clay Bennett, via aqui
Notícia aqui




You may also like

11 comentários:

lumadian disse...

Já há uns dias postei sobre este assunto, e um indivíduo comento muito aborrecido, estranhando tanto barulho por isto. Pois eu também sou da opinião de que mete nojo. A ditadura comunista da china, apenas se preocupa em mostrar ao mundo coisas bonitas, escondendo a miséria, a fome e tudo o que de mal acontece naquele país.

João Branco disse...

A grande merda é que isto se faz um pouco por todo o lado. Lembro-me de uma vez em que estava prevista uma visita de um qualquer chefe de estado ou governo aqui ao Mindelo. De repente, assim, como um passe de mágica, desapareceram todos os meninos de rua da cidade. Pelo menos por uns dias...

Kuskas disse...

oh João
Isso não me estranhou nem um pouco. Eu sou uma viciada na literatura oriental e as coisas que descobri lendo e depois quando lá fui ( estive na China e em Singapura a trabalho), cada vez mais "destesto" o modelo chinês.

Só a forma como há 70 anos tratavam os pés das mulheres, para que essas mantivessem os pezinhos com 8 cm, me dá urticaria.

Lembro de uma vez o secretário da embaixada da china, reclamar com o Ministro que tutelava a Comunicação Social, sobre o facto de a TCV ter no espaço de 6 meses, passado por 2 vezes o filme " Justiça Vermelha" com o Richard Gere..

Teatrakacia disse...

Para corroborar a ideia do nojo que é, que pessoas se preocupem mais com os pormenores do que com os conteúdos. Dar mais atenção ao envelope...
Infelizmente, não se atém à ditadura comunista da China... está um pouco por todo o lado ainda no século XXI. Faz-se e pronto! Paga-se bem ao 'lesado'... todos ficam satisfeitos. Mas atrelado à palavra 'nojo' vem, sobretudo quanto a mim, a INJUSTIÇA! Que não se deve tolerar!!!

Sisi disse...

Minutos antes de ler este teu post João, estava vendo alguns trechos da abertura dos jogos olímpicos na net e nesta altura que a menina cantava, estava sempre comentando o facto dela ser bonita, mas ñ me passou este facto pela cabeça. Tens toda razão, mete nojo mesmo, fico a pensar como deve ter sentido a outra menina, ou será que ela já é mentalmente preparada para este tipo de situações??

Álvaro Ludgero Andrade disse...

João, o oficio e o gosto pelo desporto me afastaram do Café esses dias em que tudo é Made in China, mas, a propósito do teu post, também tenho "nojo" ao ver o mundo que proclama liberdade e democracia para iraques, irans, coréias, cubas e outros absurdos que ainda subsistem por aí, de "quatro" frente à próxima potência económica, política e militar do mundo. A propósito, tem algo que não seja falso na China???

Paulino Dias disse...

JB, a mim outra palavra que me ocorre eh POOOOOORRRA!!!!!

Abraco

Anónimo disse...

isso já é prática há muito tempo. Quem dá a cara normalmente é quem realmente faz. querem exemplos? nacionais ou internacionais? bem comecemos cá de dentro ... os discursos políticos. comecemos de cima, do Sr. Presidenti ... quem os faz? ;) ... querem ir baixando na hierarquia ou não é preciso?

Neste mundo infelizmente temos de desconfiar de tudo o q nos é apresentado à mesa ...

Anónimo disse...

Vês amigo Lumadian como não é uma realidade comunista... como diz o João:"Isto se faz um pouco por todo o lado"....

lumadian disse...

Isso todos sabemos, existe sempre uma preocupação em limpar um pouco a face, mas no caso da china, este caso não é órfão, nem filho único, existem por lá coisas bem piores e que os direitos humanos fingem não ver.

João Branco disse...

Kuskas, esse é o mesmo modelo que tem sido visto como um fantástico caso de desenvolvimento económico? Porra!

Tchá, a injustiça vem depois. O nojo é mais epidérmico...

Sisi, acho que deve considerar como um nobre serviço à Patria. Como so soldados americanos que andam pelo Iraque sem perceber muito bem o que estão ali a fazer...

Ludgero, a nação super-poderosa que nunca tenha pecado em matéria de direitos humanos que atire a primeira pedra... É por isso, agora mudando um pouco de assunto, que não posso deixar de me rir quando vejo o Bush muito sério e compenetrado a dizer aos russos que não podem invadir paises soberanos... é preciso ter lata!

Paulino, eu gritei.

Anónimo, por isso mesmo dei o exemplo dos meninos de rua «desaparecidos» por conveniência. A cosmética politica é uma prática global...

Lumadian, por lá, por cá, por aí... enfim, o mundo está como está!