Perguntas Cafeanas

10 Comments



Qual a real influência das novelas
brasileiras no dia-a-dia crioulo?


À melhor resposta, ofereço um café


You may also like

10 comentários:

Teatrakacia disse...

Eu acho que a influência é bem grande! Nota-se no ar, e sente-se nas pessoas. Mas ao mesmo tempo - felizmente - há uma espécie de 'filtro' que se coloca para neutralizar certas dessas influências. Porque o brasileiro é querido, é especial, é próximo de nós... mas ao mesmo tempo... há um quê de 'não merece ser levado muito a sério'.

João Branco disse...

Será daí que vem a frase «esse jeitinho brasileiro de ser»?

Kuskas disse...

Oh João
A influencia é tremenda! Principalmente nos nossos adolecentes e crianças. Como hoje em dia os pais andam meio que ocupados demais para serem pais, não andam a acompanhar da melhor forma o que as novelas andam a passar.
É preciso chamar atenção para o facto de apesar de termos realidades meio parecidas, as nossas culturas são muito DIFERENTES. Aliás, há algumas coisas que passam nas novelas que são normais no sul do Brasil, mas que são inadmissiveis no Norte.

Não tenho mais pachorra para ver novelas. Antigamente assistia e só via até o final aquelas que me prendiam a atenção com o enredo.

Durante o meu tempo de estudante lá, comecei a ver as novelas (quando não coincidiam com as aulas) da seguinte forma: assistia ao primeio mês da novela, depois assistia o 4º mês e depois o ultimo mês.

A Unica Excepção foi a "proxima vitima" que era uma novela policial, com uma historia de fazer inveja a Agatha Cristie.
AHAHAHAh
PS: Não estou de férias não. Ando é a viajar muito dentro desse nosso pais querido a trabalho, e por isso a falta de comparencia.

Anónimo disse...

No dia a dia não sei mas no campo da imaginação a influência é muita com certeza...

João Branco disse...

Kuskas, a última novela que vi com vício foi o Clone. Tinha uma história muito interessante, que misturava cultura árabe (graças a ela aprendemos a dizer Inshalá!, e outras coisas), belas paisagens de Marrocos, um dos mais espectaculares paises do mundo, questões de indole científico relacionados com clonagem e o sempre problemático problema da dependência de drogas, por um lado, e de alccol, por outro. Excelente!

Anónimo, e o que está na nossa imaginação não influencia a forma como nos comportamos na realidade? Eu acho que sim!

Olga disse...

...só de pensar nos nomes que damos às nossas crianças, que pobrezinhas não pediram para nascer, quanto mais terem de aprender a soletrar nomes estapafurdios e serem "zoadas" na escola...

Kuskas disse...

João, lembro-me quando passava no Brasil a temporada do New Wave ou Malhação, em que se abordou a questão do HIV na adolescencia, houve um amplo debate a volta disso e acho que a "galera" parou para pensar e repensar o comportamento pessoal.

Eu esperava que isso pudesse acontecer aqui, quando passou essa temporada, mas houve um silencio TOTAL. A mesma coisa aconteceu com o problema da droga retratada no Clone.

Uma coisa boa das novelas LÁ no Brasil, é que levam para discussão publica, problemas importantes.

Se o gay é hoje aceite e respeitado no Brasil em muito deve as novelas. Mas nem isso foi pacifico. Foi um processo longo e moroso o introduzir da tematica HOMOSEXUALIDADE nas novelas.

Até hoje, o casal gay que o publico Brasileiro mais gostou foi formado por dois atores que agora não lembro o nome da novela " A proxima Vitima". E um era NEGRO e o outro Branco.

Abraços

João Branco disse...

Olga, olha um aspecto que nem me tinha lembrado mas em que penso muitas vezes... realmente, sai-nos com cada nome!

Kuskas, sem dúvida. Mas essas componentes «pedagógicas» das novelas são muito pouco aproveitadas aqui. Lembro-me do caso de «Mulheres Apaixonadas» onde seria muito bom falar-se mais da violência sobre a mulher, por exemplo...

Sisi disse...

Com certeza têm uma grande influência, que vai desde o facto que a Olga referiu até às expressões que adoptamos das novelas como o "inshalá" referido por ti João. Contudo a influência mais importante que deveria ter, que são essas tais componentes pedagógicas que mencionaste João, não se nota.
Por acaso tb para mim até hoje o "Clone" foi a melhor produção da globo em todos os sentidos e ñ sei se vocês estão recordados, mas teve sim um impacto (ainda que pequeno e menos do que o merecido)em CV. Lembro que foi dedicado uma edição de um programa que era para jovens cujo nome ñ estou recordada para abordar a questão das drogas, tendo como pano de fundo a novela, inclusive teve a participação de um dos actores que era toxicodependente na novela directamente do Brasil via telefone. Era tb para a Debóra Falabela (a personagem Mel)ter participado, mas houve algum imprevisto, e ela ñ conseguiu. Nesse programa, informaram que a partir dos episódios em que os personagens chegaram às fases mais críticas, houve um aumento de pedido de ajuda por parte das pessoas em CV na linha SOS droga.

João Branco disse...

Sisi. lembro-me muito bem da influência da novela Clone, nomeadamente com a moda de dança do ventre que invadiu Soncent naquele ano! Pena que não tenha continuado porque é tão linda, como tudo o que diz respeito ao norte de África, aliás! Quanto ao programa, também me lembro bem, e o actor que falou fazia um personagem dependente do álcool e não de outra droga...