7 Comments


        Se não puderes ser um pinheiro
        no topo de uma colina
        sê um arbusto no vale,
        mas sê o melhor arbusto à margem do regato.

        Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
        Se não puderes ser um ramo,
        sê um pouco de relva,
        e dá alegria a algum caminho.

        Se não puderes ser uma estrada,
        sê apenas uma senda.

        Se não puderes ser o Sol,
        sê uma estrela.

        Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
        Mas sê o melhor no que quer que sejas.

        Pablo Neruda

        Imagem: fotografia de Kizó Oliveira






You may also like

7 comentários:

Paulino Dias disse...

Mais um doce, JB, mais um doce...

Porra!, que assim me deixas ainda mais viciado neste cafe temperado com poesia, pa!

Abraco,
Paulino

Sisi disse...

Sê o melhor daquilo que podes ser e que acima de tudo te faça sentir realizado.

João Branco disse...

Eh Paulo, nada como a boa poesia para ter que aturar certas coisas...

Sisi, certamente!

Teatrakacia disse...

Ser poeta, só, não chega! É preciso ser o melhor. E este é um exemplo do melhor em poesia.
Para além da bela poesia... os ensinamentos para a vida.
Tchá

João Branco disse...

Neruda é um dos maiores, sem dúvida!

Luiza Caetano disse...

Cheguei a este blogue pela indicação de um amigo que de Cabo Verde é apaixonado e a mim me fez também.

Deixo comentário neste maravilhoso poema de Neruda, como se deixasse em cada um dos artigos. Extretamente cuidado, crítico e estético, primando pela selecção e pela qualidade dentro de muita criatividade.
PARABÉNS

LuizaCaetano

João Branco disse...

Cara Luiza, fico muito feliz com a visita e pelo facto de ter gostado do «estabelecimento». Espero que volte mais vezes. Aquele abraço fraterno!