Café Crioulo & Dourado

13 Comments


Nelson Évora acabou de ganhar a medalha de ouro do triplo salto nos Jogos Olimpicos de Pequim. Isto não é para falar dos Jogos, mas sim do orgulho por o Nelson ser, pelo menos em parte, menino de Soncent. Bem, pelo menos os pais são!


Nelson Évora esteve recentemente no Mindelo para ser a cara de uma campanha a favor das crianças de Cabo Verde, no âmbito do projecto Djunta Mom. Na altura referiu numa entrevista: “adoro o clima quente e o que tenho vindo a constatar é que consoante vou conhecendo pessoas vejo que são muito próximas de mim e da minha família o que acaba por ser giro, para além de ser bom saber que os meus pais quando eram pequenos andaram por essas ruas”, acrescentou.


Parabéns!




You may also like

13 comentários:

CrioulodeLisboa disse...

Os Parabens a todos. Mas como Caboverdeano vivendo em Portugal não posso deixar de comentar o seguinte : Se o Nelson tivesse andado a roubar teriam dito que a medalha era de Cabo Verde.

João Branco disse...

Espero que esta vitória também possa contribuir para alguma mudança de mentalidades a esse nivel...

Anónimo disse...

O proprio João Branco prefere Sanvicent em vez de cabo Verde (mno caso do ouro), imagina aqueles que lá estão... é só balançar a coisa, que dá no mesmo.

Teatrakacia disse...

Os parabéns, com certeza!!!
Para além da questão que o criouledelisboa levanta, já muito falado e constatado ao longo dos tempos... penso que já se melhorou um bocado nessa matéria. Mas, por outro lado, além do orgulho de ter as mesmas origens, o 'desassossego' de o ver 'saltando' por outra bandeira que não a nossa. Pelas limitações que o impõem!

João Branco disse...

Oh Anónimo, até te fica mal fazeres um comemtário desse e não te apresentares! Ou seja, dares a cara! Custa assim tanto? Os pais são, de facto, de Soncent, qual é o problema? Ele esteve de visita ao Mindelo, sim, qual é o caso? Evidentemente, é tudo cabo Verde e isso está implicito no titulo do post: café CRIOULO!

Abraço!

Tchá, pensei muito nesse tal «desassossego», mas a verdade é que dificilmente aqui se encontram condições para competir ao mais alto nivel desportivo. No futebol é a mesma coisa, com vários «crioulos» a jogar pela selecção de portugal...

CrioulodeLisboa disse...

Infelizmente, estas mudanças de comportamento são muito lentas e nem sempre em todos e para todos. Vejam-se os ciganos cuja descriminação continua a ser "aceitavel". Mesmo os jornais "respeitaveis" em Portugal falam dos problemas ocorridos numa perspectiva racial e não como um problema entre Portugueses.

João Branco disse...

Crioulo, nem tanto ao mar nem tanto à terra. Reduzir o problema dessa «guera urbana» a um problema entre portugueses, seria querer tapar o sol com a peneira, como se costuma dizer. Houve ali, claramente, uma luta entre africanos e ciganos, a questão étnica estava presente e foi decisiva para que tivesse acontecido o que aconteceu. Isso é muito claro. E reconhecer isso não é ser preconceituoso ou racista, é simplesmente ver as coisas como elas são...

Su disse...

O nome diz Èvora...Lisboa...Porto...diz tudo...é Portugal!!!!

João Branco disse...

Querias!

CrioulodeLisboa disse...

João, concordo contigo que houve uma componente étnica dado que cada um dos agrupamentos que se confrontaram eram da mesma etnia, mas também houve outras componentes de cariz social por exemplo. A questão é foi um grupo de marginalizados que chocou com outro grupo de marginalizados.

João Branco disse...

Com certeza!

bé disse...

Epa,desculpem me mas parabens ao nelson pela sua vitoria na sua individualidade...os jogos olimpicos qd nasceram na grecia antiga premiavam a individualidade...a nacionalidade veio depois...

João Branco disse...

Também é verdade, Bé. Mas aí, porque damos parabéns a uns e não damos a outros? É porque, talvez, muito dos jogos vão para além da individualidade e jogam com questões de Nações, países, culturas, étnias, etc.