Um Café Curto

4 Comments


1. Sábado passado, vive um grande dia. Consegui, depois de muita luta, insistência e alguma chantagem psicológica, que a minha filha Laura, de 10 anos, lesse o seu primeiro livro - daqueles que se lêm mesmo! - do princípio ao fim. Melhor do que isso, consegui (conseguiu-o ela) que o livro a agarrasse. Ontem já estava deitada no chão, com um novo livro nas mãos. Disse-me que viria hoje à Biblioteca do Centro Cultural Português, para fazer o seu cartão de leitora. Foi uma dura luta, acreditem! E haverá recaídas, uns dias sem consumo de palavras, em que a preguiça falará mais alto. Mas estou certo de que quando ela terminou esse seu primeiro livro, este se voltou para ela e lhe disse: «nha menina, ess li é apenas o começo de uma bela amizade». Que assim seja!




You may also like

4 comentários:

Sisi disse...

Muito bom João!! Pudera todos os pais tivessem essa luta com os filhos. O hábito e principalmente o gostinho pela leitura é das melhores heranças que alguém nos pode dar. Eu em pequena fui muito incitada por uma das minhas irmãs e digo, ñ há coisa melhor do que deliciar-se com um bom livro e alimentar o nosso conhecimento, que nunca é demais. E tendo em conta que hoje em dia as crianças e adolescentes(nem todas é claro) vivem fechado num mundo só delas, o dos vídeo jogos, sem conviverem com outras pessoas e principalmente sem contacto com coisas que lhes trasmite algo de proveitoso, nomeadamente os livros, é preciso sim desde cedo incutir nelas estas formas mais saudáveis de lazer.

Com certeza a tua filhinha vai apaixonar-se por este novo mundo que ela vai descobrir através dos livros.

Abraço!

João Branco disse...

E agora, Sisi, só posso dizer: «a luta continua!»... A concorrência, como bem dizes, é muito forte!

sara disse...

E verdade, a concorrencia e forte mas os bons livros no fundo ganham.

Os meus filhotes ainda nao sabem ler mas gostam de me ouvir contar historias (de preferencia no escuro).
Eu quando pequena ouvi muitas historias contadas a noite(na Praia), esta tradicao deve ter esvanecido mas nao ha nada como uma boa "storia di Lobu ku Tchibinho" para activar a imaginacao e levar a buscar outros contos em livros... pelo menos eu continuo em busca de muitos mais contos em livros.

Sara

João Branco disse...

A frase «pai, contâm un história...» é a que ouço mais vezes da minha filha Inês, de 2 anos. Espero que mantenha o gosto pelos livros e pelas estórias.