Cafeína

5 Comments


«Estou convencido de que, apesar dos enormes obstáculos existentes, há uma obrigação crucial que recai sobre todos nós enquanto cidadãos: de com uma determinação intelectual inflexível, inabalável e feroz definir a verdade autêntica das nossas vidas e das nossas sociedades. É de facto uma obrigação imperativa. Se essa determinação não se incorporar na nossa visão política, não tenhamos esperança de restaurar aquilo que já quase se perdeu para nós — a dignidade do homem.»

Harold Pinter, in «Discurso de Aceitação do Prémio Nobel»


Comentário Cafeano: isto para dizer que se nos queixamos da nossa classe política e dos dirigentes partidários, muitas vezes com toda a razão, também é verdade que todos temos uma quota parte de responsabilidade por este estado de coisas. Para mudar é preciso agir. Para melhorar é crucial reflectir. Para criticar é fundamental estar-se bem informado. Para fazer-se parte do todo, é lógico que façamos a nossa parte. Com cabeças na areia, assobios para o lado, bolhas fraudulentas, insultos anónimos, riolas assassinas e a máxima do cada um por si, não vamos lá.


Imagem: pescada no Jumento





You may also like

5 comentários:

Sisi disse...

FALOU E DISSE...o espírito crítico (construtivo)e de acção muita falta tem feita ao nosso querido país.

João Branco disse...

Concordo!

Teatrakacia disse...

Aí está! Concordo plenamente, e aproveito para repetir o que aqui deixei há poucos dias: 'Temos a classe política que merecemos!' E isto é válido para todos os sectores (as classes) d'alguma forma 'carburadores' do desenvolvimento do país.

Kuskas disse...

Eu estou a trabalhar a tanto tempo com a classe politica, que nem lhes presto mais atenção. Mas uma coisa que não abdico de fazer é enquanto cidadã exigir dos meus representantes no Parlamento o especial favor de não brincarem com a minha inteligencia.
Não canso-me de enviar cartas, de aborda-los sempre que os encontro.
Nessa sessão parlamentar por duas vezes tive vontade de gritar das galerias da Assembleia onde eu estava sentada, o quanto os deputados e os Ministros me metem pena , para nao dizer nojo, devido aos discursos tristes e intervenções repletos de ignorancia que deitam pela boca fora.

Se um terço da população do pais, escrevesse aos deputados e aos Ministros sobre as coisas que os afectam enquanto cidadãos talvez a nossa classe politica pudesse melhorar.
Mas cmo dizem" a esperança é a ultima a morrer"

João Branco disse...

Kuskas, que comentário desaforado! Bem ao meu gosto. Olha, a verdade é que a malta não se está para chatear. Fala-se, esperneia-se, mandam-se as bocas da praxe, mas na hora da acção... Está quieto!

Por isso a tua atitude é exemplar.