Declaração Cafeana

7 Comments


Estávamos em pleno festival Mindelact 2001, quando as televisões davam, em directo, imagens dos incríveis e mais do que improváveis ataques terroristas contra a nação mais poderosa do mundo. Ninguém acreditava muito bem no que estava a ver. Aviões comerciais contra as duas torres mais simbólicas de Nova Iorque, um outro espetando-se em pleno Pentágono, ou um quarto avião a caminho do Capitólio. A histeria tomou conta do planeta nesses dias e das diversas conclusões tiradas nesse dia, há oito anos atrás, há uma que permanece comlpetamente válida: o mundo nunca mais foi o mesmo.

E o mundo ficou, em primeiro lugar, mais perigoso. O contra-ataque norte-americano não se fez esperar e o 11 de Setembro foi o pretexto que faltava à administração Bush para colocar em prática a sua política belicista, quase toda ela ministrada a partir de interesses privados relacionados com o negócio do petróleo e do seu comércio à escala mundial. As imensas medidas de segurança desde aí implementadas, nomeadamente nos aeroportos, lembram-nos, diariamente, que vivemos hoje num mundo muito mais perigoso, onde as novas tecnologias permitem que se programem (e financiem) sofisticados ataques terroristas a partir de umas rochas algures no Afeganistão.

Passados oito anos o que resta? Séries, documentários, filmes e uma certeza que me abala o pensamento de cada vez que esta data é lembrada. Os ataques do 11 de Setembro, pelas circunstâncias em que aconteceram, tendo em conta o como e o onde, são o resultado de um dos episódios mais mal contados da história mundial contemporânea e teoria da conspiração vai, teoria da conspiração vem, ninguém me convence que este golpe fenomenal foi apenas o resultado da acção de meia dúzia de fanáticos religiosos. Basta ver quem foram os maiores beneficiados com toda esta história.




You may also like

7 comentários:

songo disse...

JB, até tenho receio de perguntar... esta foto é real ou é temática?

de qualquer das formas é disturbador.

Tchale Figueira disse...

Porque naquele dia os grandes Chefes não foram Trabalhar? Gripe suína? Ou foram avisados por quem?

Segredo dos Deuses!!!!!!!!!!

Anónimo disse...

Amén!

Anónimo disse...

"Que las hay, las hay"!

a) RB

JB disse...

Songo, é real.

Tchalé, estavam a visitar as criancinhas...

Anónimo, idem.

RB, las hay, sin!

zito azevedo disse...

Como disse, TODOS os 11 de Setembro
são sinistros, seja qual for a história que se conte ou a que ficou por contar!
Zito

Paulino Dias disse...

JB,

O mais arrepiante, é que nao foram (apenas) os interesses ligados ao petroleo a influenciar os rumos da policita norte-americana desde entao: foram os interesses ligados a industria das armas. Investigaçao: averigue quem foram as pessoas que Bush colocou nos lugares cimeiros da sua administração nas 3 primeiras semanas depois de tomar posse. Depois veja a evolução do orçamento para o exercito. Depois cruze com a evolução das encomendas a industria armamentista e quem foram as empresas contratadas...

Posto isso, uma perguntazinha propositadamente do tipo teoria-de-conspiração acaba por aflorar-se inevitavelmente: o que significou REALMENTE o 11 de Setembro???

Um escritor Sul-africano (Andrew Feinstein) esta a preparar um livro sobre a corrupção no comercio mundial de armas. Ja publicou um best seller sobre a corrupaçao no ANC e nas encomendas do exercito sul-africano. Ansiosamente à espera...

Um abraço,