Declaração Cafeana

9 Comments


Não sei se o mesmo é também comum nas tomadas de posse dos titulares de cargos públicos em Cabo Verde mas costumamos ver nos filmes e nos noticiários de alguns países que quando um técnico ou político assume uma comissão de serviço pública, seja para Ministro ou para Juiz, tem que colocar a mão esquerda num livro - a Biblia ou a Constituição do seu país, por exemplo - levantar a mão direita e prestar um juramento solene.

Este juramento, trocando por miúdos, quer dizer mais ou menos que o fulano promete comportar-se como deve de ser, honrar o cargo e quem o nomeou, prestigiar o país, assim Deus o ajude, etecetera e tal. Esta cerimónia tem sido esvaziada de sentido e significado porque o descrédito e a falta de vergonha é de tal forma generalizada que quem assim jura pode estar já no dia seguinte a meter a mão no bolso do povo com a maior impunidade. Mas esta cerimónia tem também um significado simbólico que, à partida, permanece válido: quem presta serviço público, não só tem que fazer bem o seu trabalho como tem que prestar contas do que faz ao povo ou a quem o represente.

Isto tudo para dizer que é espantoso verificar como em Cabo Verde certos titulares de cargos públicos se mantêm no cargo, ad perpetum memorian, mesmo que todos saibam - a começar pelos seus superiores hierárquicos - que estes são incompententes, inertes, irresponsáveis e que não dignificam nem o cargo nem quem os mantêm sentadinhos no sofá dos gabinetes climatizados. Estamos perante a grande alegoria da incompetência generalizada.

Há vários casos destes, mas o último é o escândalo que representa a actual situação energética na capital de Cabo Verde. Cortes e mais cortes, prejuízos incalculáveis para o cidadão e para a economia nacional, degradação da imagem do país no exterior e a provocação de um stress generalizado na população cujas consequências sociais são dificeis de contabilizar mas fáceis de adivinhar. Perante isto o que acontece ao mais alto nível? Nada. Rigorosamente nada. A não ser uma patética conferência de imprensa onde se anuncia os novos tempos que aí vem com um tsunami de medidas que nos transformarão nos pioneiros mundiais das energias renováveis! Só podem estar a brincar mesmo!

Medidas concretas, assumpção de responsabilidades, puxões de orelhas, pelo menos um pedido de desculpas públicos pelos transtornos causados, nada disso se viu. Nem na própria empresa que gere os destinos da água e luz no arquipélago, nem nas direcções gerais correspondentes, muito menos no Ministério que tutela a área. Já nem se dão ao trabalho de arranjar um bodezinho expiatório.

Quanto a mim, o apelo e a exigência é simples: obviamente, demitam-se.




You may also like

9 comentários:

Luís T disse...

Pois ...
2 Terços do seu post assentam que nem uma luva ao meu país: Portugal. O único terço que se não aplica é o corte sistemático do fornecimento de energia eléctrica.
Já passámos essa fase, felizmente!
Quanto ao resto ... mudam as moscas mas a "coisa" é sempre a mesma.
Um bom fim de semana para todos, se possível sem cortes de energia.

zito azevedo disse...

Ámen!
Zito

Anónimo disse...

Tantos anos de demagogia havia que ter um preço muito alto... infelizmente.
Francisco

Amílcar Tavares disse...

Assino por baixo.

Mas também não se viu clientes indignados à porta da empresa a pedir explicações ou algo mais severo.

Em boa verdade, o cabo-verdiano anda muito manso. E quando se é brando para com os gestores da coisa pública, logicamente, acontece tudo aquilo que escreveste e mais alguma coisa.

E continuará a acontecer.

Anónimo disse...

De há muito que o Director Geral da Energia deveria ter sido demitido, por falta de ideias. È que o homem está aí há mais de uma década, com um desempenho a todos os títulos negativo.

O PCA da ELECTRA deve merecer o mesmo: ser demitido.

A culpa de toda esta trapalhada no sector de energia deve-se à fragueza dos quatros ministros que tutelaram ou tutelam (2001 a 2004e ded 2007 a esta data) o sector.

È pena que o ex-Ministro da Economia João Pereira Silva, tivesse caído na armadilha montada por um conhecido "lobista" nacional...

Hà quase um ano, o Governo determinou que na Boa Vista se fizesse a subconcessão da concessão de que a ELECTRA é coincessionária...Mas como a transferência faz perder o "power" aos mandões da ELECTRA a coisa tem andado a nível de caracol.

Manu Moreno disse...

Amilcar(aplauso)...Nos Praenxes somos cavalos bravos nas festanxas de Gamboa...!!!

ManuMoreno
Kel abxom di kuraxom!!

Manu Moreno disse...

Dexam manda um palavriadu Djonsa!

PRAIA dja karapati na mi
moda'l n'ka sabi kuze'
O' Praia dexam bai
Largam...Pintcham
si kre' n'kai
Mas ka bu maltratam
nem ka bu atazanam
Praia dexam bai pa undi ki n'naci
Praia dexam bai
pa undi nha biku sta n'teradu
Praia dexam bai
ki bu sta dexam dizusperadu
O' Praia n'sabi ma bo' e' ka dimeu
mas tambi, bo' e' ka di dinheru
Ntchiga li di burru
Goci dja n'kre' bai
nem si for a pe'
N'dizimbarka di Barku Vitoriosu
mas goci nha dizeju e' bai
nem si for di kanoa
O' Praia disprega di mi
Ka bu lambuxa na mi, mas ki si
O' Praia di rotcha runhu
Di tcheru pipi di tareku
Di sombra cinzentu
ki n'pensaba bu era branku albu
O' Praia bo e' kumpridu
so' nha passu ka tchigabu
nem nha folgu ka ta bastabu
nem nha altura ka ta alkansabu
nem nha largura ka ta okupabu
nem nha sabideza ka ta n'ganabu
nem nha buniteza ka ta atraibu
PRAIA, bo' e' Mai sem sirbintia
Bu troka ropa
bu muda sapatu
bu transa kabelu
bu simenta kaminhu
nem bu ka pinta bechu
nem pardueru bu ka limpa
Mas koitadu e' bu fidju Djeu
ki dja bu decha na soiti di bentu
PRAIA, mudjer di Homi sem sirbintia
sem kuraxom...
Ki nem luneta ka troka.

Kel Abxom di Kuraxom!!!
ManuMoreno

JB disse...

Excelente, ManuMoreno, el Poeta!

ManuMoreno disse...

Obrigado Djonsa!!!
Kel abxom di kuraxom!!!
ManuMoreno