Cai o pano

9 Comments


Termina hoje o Mindelact 2009. Voltarei com mais calma para um balanço, mas desde já vos digo: nunca houve tão bom e tanto teatro como este ano. A memória da Isabel, minha mãe, esteve sempre presente e parece que iluminou tudo e todos - artistas, voluntários, público, colaboradores.

Obrigado.


Na imagem, figurino e modelo, Thaíz Lucksis, fotografada por Abraão Vicente, algures no Norte Baía.




You may also like

9 comentários:

da platéia disse...

Parabéns man.
Importanti ê sensaçon di dever cumprido.

K pro ano haja mais com igual ou mais empenho.
Quando assim é, o legado há de continuar..

Et disse...

Tinha que cair. pois, cai o pano, mas o silêncio se fez ouvir nos bateres de palmas cerebrais...obrigado JB pelos posts do Mindel... Et

Margarida disse...

João, não fui às outras edições, mas esta foi, sem dúvida, muito especial. Peças de luxo; gente cheia de histórias. Um ambiente culturalmente incrivel. Que o pano caia em grande estilo!
Parabéns e nunca percas essa força que dá alma ao festival!

Tina disse...

A foto escolhida para o cair do pano é obra! Surrealista!

Virgílio Brandão disse...

Confesso que não sou um apreciador da obra gráfica que conheço do Abraão Vicente (ainda que algumas das suas obras gráficas me lembre António Capel), mas esta foto é particularmente bem conseguida.

É uma foto com dimensão de arte.

Abraço fraterno

PS: As marcas de movimento externo retiram um maius a foto, mas é, ainda assim e para a minha percepção estética, muito bem conseguida. Pena é ver-se essas duas dimensões de movimento... paradoxalmente redutoras do espaço-tempo.

O autor, provavelmente, gostaria de ter um guindaste... e eu, gostaria de não saber onde a foto foi tirada, pois situa a minha imaginação e castra-a (desumaniza a arte, como diria Ortega y Gasset, na medida em que não dá espaço de construção ao interprete da obra).

Ah! E se as mamas da modelo estivessem livres...
(sei, sei... mas é a natureza desculpante)

Felina disse...

Parabéns pelo sucesso e sobretudo pela satisfação interior

hugo disse...

Quando tenho a sorte de contactar com Coisas superiores um espectro da tristeza atravessa-me o corpo, perante a injustiça de gente grande não ter (ainda) o seu merecido espaço.
foi um prazer e uma honra. este fugaz contacto disse-me ao ouvido que irei regressar certamente.
um grande abraço e parabéns.
obrigado por estes deliciosos dias.
hugo

ana disse...

Parabéns João!
Não me conheces mas admiro-te mto. Felicidades*

JB disse...

Obrigado a todos. Acabo de escrever um texto sobre massagens no ego (e como gosto delas...) e dou com estes comentários. Nada mais apropriado! Obrigado, mais uma vez.