Sonata de Outono

5 Comments






[Eu sei que vou te amar - Vinicius de Moraes]





You may also like

5 comentários:

Anónimo disse...

Uma outra SONATA DE OUTONO:

"Inverno não é 'inda mas Outono
Na sonata que bate no meu peito
Poeta distraído, cão sem dono
Até na própria cama em que me deito

Inverno não é 'inda mas Outono
Na sonata que bate no meu peito
Acordar é a forma de ter sono
No presente e no pretérito imperfeito

Mesmo eu de mim próprio me abandono
Se o rigor que me devo não respeito
Acordar é a forma de ter sono
No presente e no pretérito imperfeito

Morro de pé
Mas morro devagar
A vida é afinal o meu lugar
E só acaba quando eu quiser

Não me deixo ficar
Não pode ser
Peço meças ao Sol, ao céu, ao mar
Pois viver é também acontecer

A vida é afinal o meu lugar
E só acaba quando eu quiser

(José Carlos Ary dos Santos, cantado por Carlos do Carmo)

a) RB

Anónimo disse...

Linda para ouvir neste Outono chuvoso por estas bandas

Dia bom

HF

zito azevedo disse...

Está provado: não é, apenas, o Vinho do Porto que melhora com a idade!
Zito

Lily disse...

Isto é música para os meus ouvidos... e para a minha alma...
;)

JB disse...

Muito bem, RB, comentar poesia com poesia fica sempre bem.

HF, igualmente!

Zito, com certeza!

Lily, fico feliz por isso.