Cafeína

2 Comments



“Os tentáculos da escrita. A escrita é um polvo, um molusco versátil. Tem infinitos recursos. Escapa sempre. Abstractiza-se. Disfarça-se, adensa-se, adelgaça-se, esconde-se. Impele-se rápida. Compreende tudo: ascese, consolo íntimo, entrega; fluxos, refluxos, invasões, esvaziamentos, obstinação feroz. O seu rigor é místico. É uma infinita demanda. Perscruta o inaudito. Sideral Alice atravessa todas as portas, todos os espelhos. Cruza, descobre, inventa universos. A escrita é um fragmento do espanto, já alguém o disse.”

Ana Hatherly, in «Tisanas»

Via: aqui




You may also like

2 comentários:

Lily disse...

A propósito da escrita, transcrevo uma passagem do livro que estou a ler:
"Escrever é usar as palavras que se guardaram: se tu falares de mais, já não escreves, porque não te resta nada para dizeres". (No teu Deserto. MST).

Eu digo... que concordo... mas não totalmente...

zito azevedo disse...

A escrita é, sem sombra de dúvidas a escultura da palavra!
Zito