Plágio 21: A Grande Conversação

4 Comments


Numa troca de mail's com um amigo meu «diasporiano», ele escreveu algo como isto: «hoje o melhor da nossa cultura (debate, reflexão, informação, etc.) passa pelos Blog’s. Cabo Verde e os cabo-verdianos estariam mais pobres se não existisse o movimento bloguista sob essa belíssima “bandeira” BLOGUE DE CABO VERDE que em boa hora criaste, e é hoje uma imagem de marca fortíssima. Só por isso (imaginação, criatividade e dinamismo) já teria valido a pena.»

Eu concordo com ele. E tenho dito aqui várias vezes o quanto importante é, e pode vir a ser ainda mais no futuro, próximo e longinquo, o movimento blogueiro cabo-verdiano. O último exemplo, com o movimento do direito à educação das estudantes grávidas, mostrou isso mesmo. Pois bem, o italiano Giuseppe Granieri, no seu livro «Geração Blogue» sublinha isso, e vale a pena ler alguns excertos:

Então ele escreve assim:

«Graças [aos blogues], e aqui está a grande novidade, a Rede modificou-se: a [sua] difusão «finalmente ligou» milhões de pessoas, convertendo-a de rede de conteúdos em infraestrutura de discussão. Nesta perspectiva, os blogues são o anel que faltava entre uma aspiração planeada há anos e a sua realização prática.

Com os blogues, às enormes potencialidades da relação já implícita na Rede vieram juntar-se as facilidades de acesso, a capacidade de memória e as possibilidades de pesquisa típicas da Web (que os outros sistemas de qualquer modo apenas emulavam). Mas, diferentemente dos outros instrumentos, os blogues reagrupam os conteúdos por pessoa, fornecendo aos indivíduos um instrumento de identificação fortíssimo. Isto facilita a relação quer entre sujeitos que já se conhecem, quer com sujeitos que iniciam um novo contacto a partir do zero.

Como muitas vezes refere Paolo Valdemarin, é muito mais fácil conhecer a fundo um bloguista que se lê todos os dias do que um colega de trabalho. As relações que se instauram são sólidas, visto que a profundidade da relação que se alcança através daquilo que se escreve e lê é nitidamente superior à que se pode obter em muitos casos (não todos, é claro) de relações pessoais fora da Rede. De facto, são diferentes os tempos e os modos de relacionamento. Ao manter um blogue empenhamo-nos por completo e exprimimo-nos com a ponderação certa, que a escrita permite e que a expressão oral por vezes nega. No blogue aprofundamos, limamos, desenvolvemos o nosso pensamento de um modo que, sem este traçado cronológico, não seria possível. Através desta «história intelectual confiada à Rede» as pessoas conhecem as nossas ideias, as nossas opiniões e as nossas preferências. E interagem connosco.

Sobretudo, através dos blogues escolhemos e somos escolhidos, mas confrontamo-nos também com temas ocasionais, com base em critérios de afinidade e de interesses comuns. Evidentemente, tornando público o nosso percurso intelectual somos sempre julgados, na prática, de cada vez que alguém nos lê. A maior parte das vezes este juízo é inclusivamente público (através da possibilidade de comentar os posts), e isto contribui para reforçar a noção de que pertencemos a uma comunidade intelectual em que o relacionamento dita as regras. (...)

Além disso, os blogues instauraram um modelo de comunicação dialógica que já atinge transversalmente todos os outros instrumentos (desde as mailing lists dos fóruns, passando pelos sítios tradicionais). Para que haja um diálogo é necessário que os interlocutores se individualizem. Nos fóruns, nos BBS, nas listas de discussão, isto verificava-se a nível local (ou seja, dentro do fórum, dentro da mailing list); agora verifica-se a nível global, gerando aquela a que os anglófonos chamam «The Big Conversation» (e que hoje é a metáfora mais bonita para falar de Rede).»



Fonte: bitaites




You may also like

4 comentários:

Marco disse...

«Plágio 22» é um título provocador :)

Já agora, caro amigo de Cabo Verde, corrige aí uma gralha no teu texto: o Granieri é italiano, não é brasileiro.

Um grande abraço!

João Branco disse...

Ah ok Marco. Vou tratar de corrigir. Um abraço e obrigado pela visita!

Teatrakacia disse...

Não há dúvida nenhuma, para mim, que o movimento 'bloggueru' que liga a comunidade crioula global, por um lado, e a 'geração blogue' a nível mundial, não vão deixar que o planeta seja mais o mesmo!
Interessa-me e preocupa-me mais, saber o que vem a seguir ao 'big conversation'... 'so what?... and now?' Sim, aconteceu, mudou quase tudo, agora o quê? Leva-nos aonde?
Porque estou certo de que tem que levar à acção. Depois da 'grande conversação' algo tem que mudar... para melhor!

João Branco disse...

Nós já somos diferentes por causa disso, crescemos, nos conhecemos melhor... Já só isso, muda muita coisa, acredita!