Café Humorístico

14 Comments


Paraíso e Inferno...


O Paraíso é aquele lugar onde o humor é britânico, os cozinheiros são franceses, os mecânicos são alemães, os amantes são brasileiros e tudo é organizado pelos suíços.

O Inferno é aquele lugar onde o humor é alemão, os cozinheiros são britânicos, os mecânicos são franceses, os amantes são suíços e tudo é organizado pelos brasileiros.

Recebido por mail


E agora, um desafio: se o cabo-verdiano ali estivesse, como se poderia enquadrar nesta história? Estou curioso por saber a opinião da clientela margosa...




You may also like

14 comentários:

neulopes disse...

O Paraíso é aquele lugar onde o humor é caboverdiano, os cozinheiros são caboverdianos, os mecânicos são alemães (enganei-te), os amantes são caboverdianos e tudo é organizado pelos suíços (enganei-te outra vez).

O Inferno é aquele lugar onde o humor é coreano, os cozinheiros são americanos, os mecânicos são árabes, os amantes são israelitas e tudo é organizado pelos iranianos.

P.S.: Deus queira que essa mensagem não tenha sido interceptada por um satélite russo.

Anónimo disse...

Cabo-verdianos são basofos ou basof tanto no sentido barlaventista como sotaventista...

e portugueses?

João Branco disse...

Hehe Neu, excelente!

Anónimo, estás à vontade para botar mandrongo na salada...

neulopes disse...

Pois é, João
Será que se pode chamar isso de "globalização"?

Dundu disse...

O Paraíso é aquele lugar onde o humor é brasileiro, os cozinheiros são portugueses, os mecânicos são alemães, os amantes são caboverdianos e tudo é organizado pelos japoneses.

O Inferno é aquele lugar onde o humor é alemão, os cozinheiros são britânicos, os mecânicos, carpinteiros, canalizadores e pedreiros são caboverdianos, os amantes são japoneses e a energia eléctrica é garantida pelo dream team caboverdianos e portugueses (qualquer semelhança com a Electra, como é obvio, é a pura realidade) .

João Branco disse...

Hahaha Dundu, gora bô matâm...

Teatrakacia disse...

Eu só acrescentava os caboverdianos lá onde já estão os brasileiros... e, juntos, no paraíso ou no inferno, acrescentavam mais valia às máquinas.
Tchá

João Branco disse...

Hum por alguma razão somos um brasilim?

Sisi disse...

Faço minhas as palavras do Tchá.

João Branco disse...

Ouviste Tchá?

Anónimo disse...

No paraíso, o Cabo-verdiano so poderia estar como cozinheiro e isto é, a caboverdiana. No Inverno, obviamente estaria na organização!
Uma cliente margosinha

João Branco disse...

Margosinha, olha que há excelentes cozinheiros «machos»!

Anónimo disse...

João branco, acredito e sei que há excelentes cozinheiros "machos" mas penso que nestas nossas paragens não é bem assim. São as mulheres que imperam na cozinha, até porque o macho cv não está para ir para a cozinha...sente-se menos...macho!
Poderia também dizer que os caboverdianos poderiam ser amantes num e noutro contexto, porque abundam em ambos os formatos! E tenho dito!
Margosinha

João Branco disse...

E dizes bem, Margosinha!