Cafeína

12 Comments


A carta de um homem (sobre as mulheres):

«Não importa o quanto pesa. É fascinante tocar, abraçar e acariciar o corpo de uma mulher. Saber o seu peso não nos proporciona nenhuma emoção. Não temos a menor ideia de qual seja o seu manequim. A nossa avaliação é visual.

Isso quer dizer, se tem forma de guitarra... está bem. Não nos importa quanto medem em centímetros - é uma questão de proporções, não de medidas. As proporções ideais do corpo de uma mulher são: curvilíneas, cheinhas, femininas.... Essa classe de corpo que, sem dúvida, se nota numa fracção de segundo.

As muito magrinhas que desfilam nas passarelas seguem a tendência desenhada por estilistas que, diga-se de passagem, são todos gays, e odeiam as mulheres e com elas competem. As suas modas são muito rectas e sem formas, e parecem agredir o corpo maravilhoso das mulheres. Não há beleza mais irresistível na mulher do que a feminilidade e a doçura. A elegância e o bom trato são equivalentes a mil viagras. (...)

Se a natureza lhes deu estas formas curvilíneas, foi por alguma razão, e eu reitero: nós gostamos assim. Ocultar essas formas, é como ter o melhor sofá embalado no sótão. É essa a lei da natureza... que todo aquele que se casa com uma modelo magra, anoréxica, bulímica e nervosa logo procura uma amante cheinha, simpática, tranquila e cheia de saúde. (...)

Algumas linhas no rosto, algumas cicatrizes no ventre, algumas marcas de estrias não lhes tira a beleza. São feridas de guerra, testemunhas de que fizeram algo em suas vidas, não tiveram anos "em formol", nem em Spa... viveram!

O corpo da mulher é a prova de que Deus existe. É o sagrado recinto da gestação de todos os homens, onde foram alimentados, ninados e nós, sem querer, as enchemos de estrias, de cesárias e demais coisas que tiveram que acontecer para estarmos vivos.

Cuidem-no!
Cuidem-se!
Amem-se!
A beleza é tudo isto. Tudo junto!

Assinado: um homem»


P.S. Este texto foi-me enviado por mail por uma cliente do Café Margoso, a quem agradeço. Mas devo dizer, como nota final, que me parece que as mulheres crioulas já andam a seguir estes conselhos há muito tempo. O que vos parece?

Imagem: DDiarte




You may also like

12 comentários:

Anónimo disse...

Concordo que as mulheres criolas já andam a seguir esses conselhos há algum tempo.
Pena que aliada ao cuidado com o corpo, andam um tanto esquecidas da alma e do intelecto.

É que algumas belas mulheres criolas são um desastre quando abrem a boca

Um abraço Da kel bom

João Branco disse...

Xiii! Quem responde a esta «provocação»? (E eu até concordo com ela, mas penso que não tem nada a ver com género, homem ou mulher. Num caso como noutro, é maior a preocupação com o fisico do que com o intelecto. Não é um monopólio feminino, longe disso!)

Anónimo disse...

Olha João se é por uma questão de genero, completo dizendo que os homens criolos estão cada vez melhores: corpos bem trabalhados, musculos no devido lugar, roupa da moda, perfumes finos, o corte de cabelo certo, mas uma GRANDE parte são só EMBALAGEM.

Acho que a cultura do fisico começa a ficar preocupante aqui em CV. E a futilidade é cada vez maior, tanto a feminina como a masculina.

Da kel bom

João Branco disse...

Agora sim, estamos em sintonia!

Anónimo disse...

Superficiais, banais e demasiado preocupadas com as aparencias. Mas ainda há homens que procuram isso, pelo menos, nem que seja para uma "one nigth stand". É que falam, falam e podem ter à frente a mulher mais "gordinha, inteligente, discreta no vestuário e com um rosto lindo", que vao sempre preferir a "top model despida, oca por dentro e carregada de maquilhagem" par depois no final da noite dizerem: "SAI DI NHA VIDA. A BO É UN MONSTRO";)

João Branco disse...

Olha que há muitos homens que devem preferir as meninas «ocas». Dão muito menos «trabalho»!

Anónimo disse...

Nunca li nada tão mais acertado João.
Aí é que está, as "ocas" não dão trabalho.
Não se conhecem, nem ao seu próprio corpo e não conhecendo não sabem avaliar. Tudo o que lhes é dado é bom, especialmente, se vem de um "homem" que cheira bem, que veste bem, que tem um corpo todo definidinho e musculoso, tem um prado ou similar e tem dinheiro.
As probabilidades desse homem ter duas enormes e invisíveis orelhas é grande mas elas não enchergam um palmo a frente do nariz como poderão ver o invisível?
Respeito muito a mulher pois sou uma mas nós as caboverdianas precisamos começar a querer mais de nós. Interessar-mo-nos por coisas mais profundas e não apenas com a "bunda" bem feita, roupas, sapatos, perfumes e afins... Precisamos exercitar e enfeitar também nossas almas, nossas cabeças...
Abraços
Nude

João Branco disse...

Eta, Nude! Excelente comment...

Kuskas disse...

Olha a Nude. Ela é uma das minhas;)

A maioria das minhas colegas dizem que tenho obsessão com a idade, tenho 3.2, porque eu não aparento a idade que tenho.
Nisso elas tem razão: em alguns casos aparento ter 16 anos e em outros 32, e ainda em outros 50 anos.
É que a minha avó que faleceu aos 98 anos, sempre me dizia que a idade está dentro da cabeça de um de nós.

Me preocupo com o meu corpo mas não sou daquelas que não come chocolate porque engorda, ou não toma sol porque envelhece a pele.
Para tudo há um meio termo.

Mas que me dá cada vez mais vontade de vomitar, ao ouvir as conversas/comentários sobre cabelo, sapato, roupa, ou sobre a aparencia da minha cara metade (por não se enquadradar no tipo, bonito, gostoso, com dinheiro a sobrar e .....oco), isso dá.

E ainda por cima me dizem que por eu escolher muito é que acabei com um "pé rapado" AHAHAHAHAH

É triste dizer isso, mas as cabo-verdianas estão ficando cada vez mais parecidas com as Brasileiras - e isso não é um Elogio.

João Branco disse...

Eta, eta, eta, muita calma nessa hora! Hum,... será a influência das novelas... a nossa sociedade esta cada mais «globolizada»?

Sisi disse...

Também já tinha recebido esta carta por e-mail e é realmente um ponto de vista muito interessante e que todas as mulheres deviam ler. Qto a tua pergunta João, concordo contigo, as mulheres crioulas começaram a perceber que embalagem bonito sem conteúdo não vale de muito junto dos homens. No que toca a parte do corpo da mulher, as crioulas nunca tiveram muitas preocupações com o peso qdo este não é em excesso, até porque nós primamos sempre por umas boas curvas, pois de certa forma é nossa imagem de marca, e sabemos que os caboverdeanos ñ gostam de mulheres magras.

João Branco disse...

Olha, essa vale uma cafeana. É já a seguir!