Café Visual

7 Comments

Porque (algumas) imagens valem por mil palavras





«Kola Boi» de Luisa Queirós




You may also like

7 comentários:

catarina disse...

Definitivamente, se pudesse, entupia as minhas paredes com os quadros dela... que delícia...

João Branco disse...

Podes crer, Catarina! E quando virem a última série de quadros que ela está a fazer! Dedicado a navios naufragados em CV... É qualquer coisa...!

Teatrakacia disse...

Uma única palavra: Sublime!
Tchá

Margarida disse...

Definitivamente qualquer obra da Luísa Queirós vale mais do que mil palavras, João. Tive a sorte de "invadir" o seu universo um dia destes, no Mindelo, e passar a manhã a contemplar os "Navios Naufragados" e toda aquela parafernália de personagens e estórias que a Luisa transmite nas telas. Brilhante!

João Branco disse...

Margarida, eu não me canso de dizer. Essa ultima serie dos trabalhos da Luisa é algo que está muito próximo do conceito de obra-prima...

neulopes disse...

Quanto à Luisa, dispenso comentários porque não adjectivos que cheguem para descrever um artista com alma.
Agora, quanto à questão de um a imagem valer por mil palavras, digo que pode valer ainda por muito mais. O pior é quando há milhares de palvaras que não consigam formar uma imagem. Isso é que é triste (Bla?)

João Branco disse...

Por isso se diz sempre, bla bla bla!