Um Café com uma nova moral

4 Comments


Achei este mail delicioso e não resisto em partilhar. Novos tempos, novas tácticas...

«Nada como a paciência e a psicologia para resolvermos problemas domésticos, não?
A maioria das pessoas considera hoje em dia que “pegar pesado” com as crianças seja inapropriado.

Eu tenho usado outros métodos para controlar meus filhos quando ocorre "um daqueles dias". E um método, especialmente, tem se mostrado muito eficiente: é simplesmente levar a criança para dar uma volta de carro.

Durante o tempo que dura a volta, não falamos... e deixo tempo para que ela reflicta sobre seu comportamento. Não sei se são as suaves vibrações do veículo que os relaxa, ou simplesmente o fato da criança ficar distante por um tempo das suas distracções habituais: TV, playstation, computador, etc. O que sei é que meus filhos, depois da volta de carro, ficam muitíssimo mais tranquilos.

Creio que o contacto visual que temos durante todo o tempo é o que realmente consegue estes resultados tão bons. Mando uma foto que tirei num desses passeios. Se quiser pode utilizar a técnica. Garanto que funciona. Este método é muito útil também com sobrinhos, primos e netos.

Veja um exemplo na foto abaixo!»









You may also like

4 comentários:

Kuskas disse...

ahahahahahahahahahahahahah

Essa é muito boa. Com a minha filha faço o seguinte: se ela estiver a fazer birra (chorar espernear), faço uma imitação dela e ela cala-se e fica a olhar para mim com uma cara de quem diz " a minha mãe é completamente doida".

Tem resultado, mas quando não resulta nada como o canto da sala com a cara voltada para a parede :D

Sarabudja disse...

ahahah Vais ter aqui os pseudo pedagogos e os outros todos à perna. Fantástico.

Neves disse...

E eu acho bem recorrer ao método antigo, ou seja: cinto, vara e palmadas!
Porque há um ditado popular que diz: "Se não fazes a criança chorar, ela te fará chorar"

JB disse...

Credo, Neves! Uma palmadinha pedagógica de vez em quando e isto é... com mão leve. Cinto e vara? Numa criança? Brincamos...