Um Café com a Sra. Clinton

11 Comments


Tenho um amigo, com quem gosto de conversar, que é militante do maior (e único) partido da oposição cabo-verdiano. Como grande parte das conversas acaba sempre por ir parar à análise de algum aspecto da actualidade, o que mais ouço é a sua postura crítica em relação ao actual estado de coisas. Há poucos dias fiz-lhe um desafio: "tenta lá encontrar um exemplo, um só, por muito pequeno e insignificante que possa parecer, onde possas dizer que o Governo agiu bem." Não foi capaz. Não porque não fosse pessoa para o dizer, se encontrasse algo, mas porque não viu, do seu ponto de vista, nada de nada por onde pudesse pegar para responder ao meu desafio.

Ora bem, tendo em conta todos os elogios que foram feitos ao país em geral, e ao Governo em particular, pela Sra. Clinton, actual Secretária de Estado dos EUA, a mais poderosa Nação do mundo, pensei cá com os meus botões que afinal de contas algo de bom há-de existir para se falar da situação actual dessa forma, até porque os serviços americanos, secretos e não secretos, são conhecidos por prepararem muito bem as suas lições para não falar ao desbarato. ou seja, algo não bate certo entre o que se ouviu nestes dias e a impossibilidade demonstrada para proferir um elogio que fosse.

Estas foram declarações que devem ter inchado de orgulho o nosso Primeiro-Ministro. E para ilustrar, aqui está uma das mais significativas: "se não querem ouvir os Estados Unidos, pelo menos olhem para Cabo Verde e vejam o exemplo do que é boa governação e esforço para o crescimento económico, respeito pelos direitos humanos e trabalho pela melhoria da qualidade de vida da sua população.” Esta é, está bem de ver, uma retumbante vitória diplomática do actual Governo e será utilizada vezes sem conta, está bem de se prever, como prova provada de competência a quem, como esse meu amigo, é incapaz de apontar uma medidazinha que seja como positiva em oito anos de Governação.

O certo é que 40 anos depois de pisar a Lua pela primeira vez, um outro importante cidadão dos Estados Unidos pisa um território mais ou menos parecido, a ilha do Sal, em Cabo Verde, e perante o mundo afirma que esta democracia insular pode parecer um pequeno passo para o homem, mas é certamente um grande passo para a humanidade. Ou se quisermos ser mais correctos, a Secretária de Estado disse que o que ouviu sobre Cabo Verde "foi música para os meus ouvidos". José Maria Neves não diria melhor! Ou se fosse de S. Vicente, talvez tivesse pensado, "uabá, sabe pa fronta. Agora é ke ninguém ta pode ke mim!"




You may also like

11 comentários:

alugomeparasonhar disse...

Oi João,

Pois com certeza...mas ha quem esteja pior...muito pior, incomparavelmente pior governado.

Por exemplo nós, os primos mandjacos...aqui do lado...O teu amigo que venha cá passar uns dias!

eh,eh,eh

Amílcar Tavares disse...

Ai esse hábito bem cabo-verdiano da bazófia...

Amílcar Tavares disse...

Gostei do se não querem ouvir os Estados Unidos, pelo menos olhem para Cabo Verde. Talvez ajude a abrir os olhos daqueles que gostam dos inconsequentes chavões anti-EUA: imperialismo, ingerência, arrogância...

PS: Encontrei um glog "gémeo" do Margoso: http://cafecomnoticias.blogspot.com/

JB disse...

Alugo... ele vai ler isto, de certeza!

Amílcar, lembras-te da minha crónica, "O elogio da arrogância"? Ah pois, há coisas que justificam um bocadinho de bazófia...

Quanto ao resto, tens razão, é uma daquelas frases... Quanto ao café, tenho uma zona de link's só com cafés, mas faltava-me esse! Boa.

P.S. Bom ver-te de novo a comentar com força aqui no Margoso. Abraço.

zito azevedo disse...

Alguém me disse, não sei quando nem a que propósito que, na apredizagem da política, existe uma disciplina que dá pelo nome de diplomacia que é, nem mais nem menos, do que a arte de saber dizer aos outros aquilo que eles gostam de ouvir!
Zito Azevedo

entremares disse...

Li duas vezes o post inteirinho, para ter a certeza de que não me estava a escapar nada... e sabes que mais?

Fez-me lembrar aquele dizer popular ( pelo menos aqui em Portugal ) do copo meio cheio... que para os optimistas está quase cheio, e que para os pessimistas está quase vazio...

Só fui a Cabo Verde uma vez, à Ilha do Sal. Conheço portanto muuito pouco. Das do que me lembro, sei o suficiente para saber se prefiro guardar as boas ou as más recordações. E a politica também devia ser assim. O mundo não é preto e branco, não há só governos ruins e boas oposições e vice-versa. Existem muitos "cinzentos" e misturas, existe muito "crioulo"... e não saber reconhecer isso é não querer aceitar a realidade, não é?

( Desculpa o comprimento do comentário... )

Um óptimo fim-de-semana para ti...

Tchale Figueira disse...

Cabo Verde é um estado de espirito e consciencia. São quinhentos anos aqui a dar no duro... com Tugas, Francis Drake, Hillary Clinton, Paigc
(cv) Mpd, mormones, Jeovás, Reino de Deus ETC... Somos os Africanos mais espertos deste planeta. Modestia a parte: Nos e bom pa CAGÁ... PENSAMOS E LOGO EXISTIMOS? OU, EXISTIMOS E LOGO BAZOFAMOS MEDIOCRIDADE?...

M.Estevao disse...

Interrompo aqui os comentários sobre este artigo, para informar a todos os amigos do João Branco que ele, desde ontem - Sábado - à tarde, vive um das grandes tristezas, apesar de ser esperada, mas nunca conformada, que é a morte dos nosso mais entes queridos. Pois é, morreu-lhe em Portugal, a querida MÃE. Dra. Isabel Alves Costa, de 63 anos de idade. Uma das pessoas mais cultas e empenhadas nas causa do teatro em Portugal. Ex-directora artística do Teatro Rivoli no Porto e actual directora do teatro de marionetes do Porto. Ela foi atriz e director de teatro. Morreu de morte repentina. Que descanse em paz, lá onde estiver. Os meu sinceros pêsames ao meu amigo, colega e compadre João Branco, à esposa Bety e às filhas Laura e Inês.

djoyamado disse...

Oi Joao, uma outra consequência das declarações da Sra Clinton é o reforço da nossa ligação ao Continente Negro, que costuma gerar debates (inclusive, aqui na blogosfera nacional). Penso que, a partir de agora, que nos foi posto o rótulo de Timoneiros da Nova África, vão se esfriar um pouco outros (macaronésios, povo do atlântico, parceiros especiais da União Europeia...).

Abr

PSS disse...

Esta foto tem algo de interessante. Não sei se repararam mas quem tem ascultadores para tradução simultânea é só o primeiro ministro. Bom a não ser que pela foto não dê para ver os ascultadores de Hillary. Porque será ? Há várias opções 1) A Srª é fluente em Português para entender as perguntas feitas em português ? 2) Os jornalistas ai presentes (incluindo os "pseudo" de TCV) são todos fluentes em inglês. 3) A conferência de imprensa era só para jornalistas americanos. Há e há ainda mais outra : o primeiro ministro não entede o criol de Sal. Ele entede só Kabuverdeano Alupekiano de Santiagu !

o mundo visto daqui disse...

Ai esse hábito caboverdiano de dizer mal de tudo o que aí se faz... é bom criticar sim, mas sempre sempre não anima ninguém e não é verdade. Por Portugal há o mesmo hábito/costume/vício... heranças que importa erradicar aí, sejam os governso quias forem: porque o mundo é feito de matizes, nem tudo mau, nem tudo bom, muitos assim-assim...