Declaração Cafeana

19 Comments


Ao que parece um dos vocalistas do grupo brasileiro Só Para Contrariar, que só para contrariar não entusiasmou por aí além quem esteve no local ou quem assistiu pela televisão, gritou não, uma, nem duas, nem três, mas sim sete vezes, algo parecido com isto: "que bom que é estar aqui com o povo da África do Sul!" Bem que a multidão lá tentava dizer, assobiando e gritando, que isto podia ser África, mas do Sul tinha pouco e de África do Sul não tinha mesmo nada, que passado pouco tempo lá vinha o homem, todo entusiasmado, gritando outra vez "que bom que é estar aqui com o povo da África do Sul!"

O episódio não me provocou qualquer espanto. Outro exemplo aconteceu com um taxista carioca que nos levou do hotel para o aeroporto, no Rio de Janeiro, e que, conversa vai conversa vem, quando soube que éramos cabo-verdianos, lá anunciou, todo entusiasmado: "eu tenho uma cunhada, que é cabo-verdiana. Vive lá, no vosso país, no Funchal." Lá tivemos que explicar ao senhor que o Funchal ficava na ilha da Madeira e que esta era um território português, ao contrário de Cabo Verde, país livre e independente desde 1975. Bem, pelo menos este acertou na zona. Madeira e Cabo Verde, fazem ambos parte da chamada Macaronésia.

Digo isto esperando não ofender ninguém, mas apenas como resultado da minha experiência pessoal: a ideia que os brasileiros tem de África, em geral, e de Cabo Verde, em particular, é em 99% dos casos (estimativa minha) completamente desfasada da realidade. A forma como se organizam fóruns e mesas redondas intitulados "Portugal - Brasil - África", por exemplo (já participei em vários), como se a África fosse uma entidade estatal, social, cultural, económica e histórica única, mostra como, mesmo nos meios mais informados como os académicos, ainda há muito por fazer para mostrar que não há uma África, mas sim muitas Áfricas (entre as quais, Cabo Verde), e que nem todas são dominadas por leões, cubatas e tambores tocando freneticamente em cerimónias canibais.


Fotografia: "Dja Segredos Africanos" de Marta Ferreira




You may also like

19 comentários:

Daniel Serrano disse...

Bravo! E do time de cá, mas que concorda e apoia os daí!

forte abraço

GL disse...

Olá
PARABENS, pelo espaço bem conseguido.
Faz muito tempo, que leio o teu blogg,e adoro sobretudo as cronicas desaforadas, mas nao sei porque nunca tinha pensado em deixar um comentário. hoje o desafio que lançaste dos seguidores deixar um comentário para atingires o 100, fez-me mudar de ideias.
em relaçao a tua opiniao sobre o conhecimento que os brasieliros tem de Africa em Geral e de Cabo Verde em Particular, devo dizer que concordo plenamente contigo. vivi episodios muito similares aos que descreveste, no Brasil. quando dizia ser de Cabo Verde, muitas diziam, Ahh ... Cabo Frio(localidade brasileira) e eu explicava que nao, que Cabo Verde fica situado em Africa, e ai eles replicavam, ahh Africa do Sul.

Mais uma vez obrigada pelo prazer que me proporciona a leitura das tuas cronicas
GL

djoyamado disse...

A mim também não surpreende essa visão. No entanto, acho que as coisas têm mudado, mesmo que pouco. Recentemente, dez anos volvidos, estive em Fortaleza e Natal e percebi que já não somos tão desconhecidos.Evidentemente, que em relação a Fortaleza, é óbvia a mudança, mas gostei de sentir em Natal e em partes do Interior do Estado do Rio Grande do Norte que as pessoas têm algum conhecimento básico sobre Cabo Verde. De todo o modo, sempre aparecem situações hilariantes: estava eu numa reunião, numa comunidade do interior do Rio Grande do Norte (Povoado Cruz de Currais Novos, na região do Seridó)e um Senhor que estva ao meu lado, ao saber que eu tinha ido de Cabo Verde, que fica na África, disse-me: "Quando voltar lá p'ra tua terra, peça pró Joel Santana (actual treinador da Selecção da África do Sul) voltar pró Flamengo,que a gente tá precisando..."

batchart disse...

Ao que parece bo também bo ta kum ideia bastante distursid de afrika.
"komkentão" Afrikkka..."dominadas por leões, cubatas e tambores tocando freneticamente em cerimónias canibais."

Telmo Luz disse...

Eu q morei no Brasil sei bem o q é isso.A ignorância deles acerca do Continente Africano até dói.
Mas lá fui sobrevivendo a isso cm mais ou menos pena deles.
Pra dar um exemplo, na semana passada foi encontrado o corpo de um Brasileiro em algum país da Africa mas eles n colocaram o país q foi.Ai fui no forum e tentei os lembrar q África é mt grande e são mts paises e q deviam colocar o nome do pais.Na noticia seguinte(a minha modestia n me permite dizer q foi por causa do meu comentário,LOL) já vinha o nome do país e tudo o mais.
Em relação ao festival, tb reparei nisso mas cm um bom mindelense ,achei melhor cair no gozo tb e comecei a incentivar os meus amigos a gritar Viva Mandela.Pro gajo n se sentir só heheheheheh

JB disse...

Daniel, obrigado e volte sempre.

GL, obrigado pelas palavras. E pela amostra, espero que possas deixar comentários mais vezes!

Djoy, fartei-me de rir com essa história.

Batchart, leste, leste, mas não entendeste nadica de nada...

Telmo, muito bom. Viva Mandela! hehehe

PSS disse...

Em relação a isso de não conhecer África o pior que pode acontecer não são os Brasileiros na sua ignorância nos chamarem de África de Sul. O Pior mesmo são os portugueses que acham conhecedores de tudo ("afinal fomos nós que descrobrimos isso tudo pá!") quando afinal não conhecem nada ! De facto desde de escola primária isto "leões, cubatas e tambores tocando freneticamente em cerimónias canibais" é que se transmite ao main strem cultural e o que se aprende e transmite de geração em geração. Para o cidadão comum português isso "leões, cubatas e tambores tocando freneticamente em cerimónias canibais" mesmo depois de 500 anos de não sei o quê é que é a verdade. Creio que é menos pior ser completamente ignorado na nossa identidade como fazem os brasileiros do que deparar com gentes de idéias e preconceitos difíceis senão diria mesmo impossíveis de serem ultprassados!
De facto os brasileiros podem ser ignorantes mas uma coisa é certa, a ignorância deles não nos cola nenhum epitáfio racista. O que é pior ? Não saber onde fica Cabo Verde e pensar que Cabo Verde fica no Funchal (visão do taxista Brasileiro), ou pensar que se sabe onde fica Cabo Verde e achar que ai toda a gente vive-se em " cubatas e tambores tocando freneticamente em cerimónias canibais" (visão do taxista português)

Ivan Santos disse...

Só pra variar...excelente post!!
Estudei no Brasil, mais concretamente Araraquara, interior do estado SP. Cidade pacata, universitária...cheirando a meio académico...contudo, a visão de África como aqui frisada era bastante defasada...td se resumia em África do Sul e Angola!!!
Logo no primeiro ano senti a necessidade de organizar uma semana de áfrica juntamente com o Nucleo de apoio a pesquisa afro-descendente da universidade, para poder dismitificar um pouco a ideia de uma África como um todo. Foram dias bastantes esclarecedores e tbm desafiantes, mas o melhor de td foi sair com um sentimento de dever cumprido, tipo: "já fiz a minha parte"...
A semana até hoje continua a ser realizada...!!!
abraço

Sisi disse...

Sem querer ser preconceituosa, mas os brasileiros, e os americanos tb, têm pouca noção geográfica.
Contudo, a cena mais triste deste tipo que já ouvi, foi uma colega minha de faculdade (portuguesa)que me perguntou se Cabo Verde ficava na Guiné Bissau. Até tentei perceber a confusão por causa da ligação do passado entre os dois paises, mas ao longo da conversa percebi que ela não sabia sequer onde ficava África.

Tiago disse...

Não querendo generalizar, mas generalizando e, portanto, talvez dizendo asneira: parece-me que há povos que, mais do que outros, vivem virados para o seu próprio umbigo e depois, claro está, fica tão mais difícil perceber onde é que estão os outros...

Lily disse...

Estou como diz o Tiago, "Não querendo generalizar, mas generalizando"... realmente conheço muitos brasileiros com umas noções estranhas de geografia...Mas também conheço muitos outros (e tenho familiares brasileiros) muito bem situados no planisfério... Há sempre os melhor e pior informados, como em qualquer povo.
Só algumas curiosidades: Cabo Verde fica em Angola, "O Marrocos" não fica em Africa (Então fica onde? Fica no Marrocos, Inshalá!!!)... e o Ceará fica lá pró Sul do Brasil...
A Sara Palin também achava que África é um país.
De facto, o continente Africano é falado muitas das vezes no seu todo, mesmo quando a referência é feita a alguns países de África. Ouve-se muitas pessoas a dizerem que "estiveram em África" ou "viveram em África" e na verdade visitaram um país... é estranho. Mas uma vez mais, há muitos brasileiros que que generalizam a "Europa". Nem que venham visitar apenas um país europeu, vêm "viajar na Europa"...

Guida disse...

JB bom post, mas acredita que estragas-te-o com "leões, cubatas e tambores tocando freneticamente em cerimónias canibais."

Anónimo disse...

João, eu xinguei o dito cantor na frente da televisão...o negão está proibido de voltar à Baía por 10 anos, até aprender alguma geografia...

Djinho

JB disse...

Guida, precisas urgentemente de te esforçar mais para reconhecer uma ironia e o seu respectivo contexto. Eu próprio, já ouvi de várias pessoas, comentários de espanto, porque os nossos espectáculo de teatro não tinham tocadores de tambores. A verdade é que a visão que uma grande maioria tem de África é sustentada por essa frase, promovida por filmes como o "Àfrica Minha" ou o "king Kong". Poderia dizer a visão de "tambores, doenças e falta de água", enfim, pegas no exemplo que quiseres para SIMBOLIZAR uma imagem redutora que muitos tem do continente, que não é, OBVIAMENTE, a minha. Até porque não faria sentido escrever este post e depois reduzir o continente a essa frase, não te parece?

nocas disse...

Não poderia deixar de dar o meu contributo
Infelizmente, por estar fora de “nha terra”, só deu para acompanhar o festival da baía das gatas através da rádio e também pela Internet, por fotografias e também alguns vídeos que deu para “matar sodad”.
"que bom que é estar aqui com o povo da África do Sul!" uma vez, duas, ainda é aceitável, agora, ate perder a conta do numero de vezes (acredito que tenha sido mesmo 7 vezes)…não pode ser, é inadmissível, não tenho nada contra a África do Sul, mas como qualquer cabo-verdiano, não gostei mesmo nada de ter escutado repetidamente a mesma frase. Curioso é que estava a “assistir” o festival com a minha namorada e a propósito dessa frase, também começamos a falar de algumas coisas “engraçadas” de também temos ouvido ultimamente por parte de alguns amigos brasileiros que conhecemos, isso porque estou em Portugal a estudar, a minha namorada é portuguesa, divido um apartamento com um amigo que é moldavo, que por sua vez e casado com uma brasileira (que mistura) … “super gente boa" e então as vezes a mesa, conversamos muitas coisa sobra Cabo Vede, Brasil, Portugal, Moldávia, e numa dessas conversas, entre outras coisas, fiquei a saber que o povo brasileiro não tem nenhuma descendência africana, e que a cor “escurinha” da pele deles, é da mistura dos “brancos ” que chegaram nas caravelas e dos índios que lá existiam… O mais curioso é que as pessoas em causa (dessa referida afirmação), são assim bastante “escurinhos” e com o cabelo um bocado “crespo”, por isso aqueles índios deveriam estar um bocado “contrariados”…
- Foi o que aprendemos na escola… depois disso, já não tive mais argumentos, desisti e recomendei alguns livros de história, vamos ver!
“Não generalizando”
Fico por aqui e deixo um grande abraço pá tud gent de Cab Verd
Um beijo para alguém muito especial @-}—“PIQUININA”

JB disse...

Bem, essa teoria é um pouco, hum, como dizer, rebuscada... Mas pronto, numa mesa que mistura pessoal de Cabo Vede, Brasil, Portugal e Moldávia, tudo é possível! hehehe

Abraço

zito azevedo disse...

Amigo JB, vai ver o homem insistiu nessa de Africa do Sul só pra contrariá...
De resto, creio que o âmago do assunto não é meramente geográfico; é uma questão de alguma cultura geral e um pouco de sensibilidade e, no caso do voalista brasileiro, houve até alguma falta de profissionalismo: o homem tinha a obrigação moral, artística e de relação de saber, exactamente, onde estava!
Zito Azevedo

Amílcar Tavares disse...

:)) Gostei da parte como se a África fosse uma entidade estatal, social, cultural, económica e histórica única, pois os lusos são os mestres nessa catalogação. O saudoso "vou para África" que vai pipocando de quando em vez nas reportagens do telejonal irrita!

JB disse...

Zito, concordo, naturalmente.

Amílcar, são resquícios e saudosismos de outros tempos...