Perguntas Cafeanas

24 Comments



E se, derrepente, não houvesse mais fronteiras?


À melhor resposta, ofereço um café





You may also like

24 comentários:

Valdevino Bronze disse...

Talvez fosse tudo mais natural, mais tolerante...
Talvez não existisse aquela célebre sensação do "Proibido", e as pessoas nem se embarcassem literalmente, por exemplo, na aventura que é a EMIGRAÇÃO ILEGAL.
Falando da emigração, mesmo a LEGAL, muitas vezes acontece que a pessoa que vai não gosta, mas simplesmente não volta para o País de origem porque existem muitos "Mitos", imposições até (por parte da Sociedade), que fazem com que estas pessoas pensem que têm de ser compensadas por essa "Conquista", o facto de terem conseguido o Visto de Entrada num País estrangeiro.
Assim, fica-se num dilema:
1. Se voltarem sem nada (Diga-se com uma mão à frente e outra à trás, passo a expressão), são marginalizados pela sociedade;
2. Se ficarem, em muitos casos, estão condenados a levar uma vida dura, infeliz e com a pressão de provar as si mesmas de que essa foi a melhor opção.
Se não houvesse fronteiras essa questão não existiria. Obviamente que a questão das fronteiras não se resume à questão da emigração!
Mas isto é um exemplo de pequenas coisas que não existiriam e que hoje têm um impacto visível nas sociedades, principalmente as de acolhimento.
Exagerando um bocadinho, o mesmo impacto teria a legalização das drogas leves...
Enfim, tudo muito "TRIVIAL"!
Não sei porque mas adoro esta palavra! Hehe
Contradizendo-me: - Assim como está, a coisa tem mais piada!
Val

Nivaldo Pereira disse...

Com ou sem fronteiras os homens continuam os mesmos...

zito azevedo disse...

Onde elas não existem, o homem encarrega-se de as erguer!
Zito Azevedo

Ivan disse...

Nos dias que correm, nos quais as coisas acontecem instantaneamente de forma assustadora e numa velocidade avassaladora, será que ainda temos fronteiras!!?

Mr.Guimarães disse...

Era vê-los a mijar arvores para começar tudo de novo.

Joshua disse...

E se de repente não houvessem mais fronteiras eu teria que procurar outro tipo de trabalho porque ficaria sem "clientes".

JB disse...

Val, é mesmo isso!

Nivaldo, mas com menos obstáculos tudo ficaria mais fácil, não?

Zito, se dispensassem os vistos!

Ivan, vai dizer isso a quem fica horas a fio à porta dos consulados europeus a pedir visto, ou aos africanos que arriscam a vida a entrar na Europa de piroga...

Mr. Guimarães, o espírito animal é o que prevalece?

Sarabudja disse...

A minha questão é: e por que é que existem? Quem se sente dono de um país? Por que é que uns entram pela porta grande e outros passam bem perto da porta do inferno para entrar numa terra que devia ser de todos?
Meio pueril esta ideia, mas indigna-me saber que se passam horas à porta de embaixadas,e tantas vezes em vão (a velha história: -já não há senhas para hoje!"), que há xicos espertos que se aproveitam de situações gritantes para extorquir dinheiro, constroi-se a ideia que se é dificil entrar então, seguramente, é bom.


Caro João, permita-me que me dirija assim, penso que há outras barreiras que se deveriam abolir. Mentalidades que deveriam abrir, saber receber para melhorar.
Blogs como este são um sinal de alguma mudança , evidência de que um conjunto de pessoas se junta para conversar sobre temas importantes, acrescento, realmente importantes como este,que essas pessoas se preocupam com coisas que vão para lá do comezinho, que não "vomitam" teses elaboradas com palavras compridas e dificeis para falar do que toca a todos, do que fazemos e deviamos pensar com naturalidade. (ainda estou a digerir a entrevista da Sara Tavares no Programa Câmara Clara! Aconselho)

Gosto deste espaço. Agradam-me os temas. Partilho frequentemente da opinião do autor e de clientes do Café que embora Margoso, é bem cheiroso.

Tchale Figueira disse...

O dito mundo desenvolvido gasta milhões com os seus amimais de estimação. Carne e peixe enlatado, salão para bichos ETC... Porque esta gente, não adopta os famintos do dito terceiro Mundo? Seria mais HUMANO, NÃO SERIA???????????

JB disse...

Joshua, não sabia que eras funcionário do SEF!

Tchalê, há muito terceiro mundo no chamado primeiro mundo.

Joshua disse...

Funcionária!
Não do SEF mas do apoio ao imigrante.
:)

zito azevedo disse...

JB, os Vistos são, apenas, a primeira fronteira...
Zito Azevedo

JB disse...

Joshua! Funcionária, desculpa! :) Mas o facto de deixar de haver fronteiras, não iria fazer com que deixasse de haver imigrantes (com necessidades de apoio). O teu emprego, por esse lado, está mais do que garantido!

Zito, certamente, caro amigo, certamente.

malaguitinha disse...

Depende de que fronteiras estás a falar...é que dependendo dos casos penso que devem existir (entre a liberdade de cada um, propriedade de cada um, nod direitos em geral, etc)por necessários e indispensáveis a uma coexistência social e humana sã. Noutros podiam até não existir, como na expressão artística, intelectual, etc.

JB disse...

Por acaso estava a referir-me ao sentido mais directo, isto é, fronteiras entre países. Até porque a pergunta foi inspirada na proposta do partido socialista português de livre circulação entre e nos países de lingua portuguesa (ver última declaração cafeana).

Amílcar Tavares disse...

A população de muitos países baixaria em 95%!

Nivaldo Pereira disse...

Realmente se não houvesse fronteiras muito ficaria mais fácil, mas como a Sarabudja disse seria "mais necessário" que «Mentalidades se abrissem», e acima de tudo as pessoas teriam de desenvolver um maior sentido do conjunto (algo que mesmo com fronteiras encontra-se em falta), e ao contrario do que o Amílcar T. disse, penso que teria um maior desenvolvimento global em muitos aspectos, (mas penso que já estou a ser utópico).

JB disse...

Amílcar, olha que não, olha que não. Basta ver no fluxo Portugal / Angola, por exemplo.

Nivaldo, a utopia é sempre bem vinda nos temos que correm!

Felina disse...

A terra era bem capaz de parar de girar com tanta correria a quererem mudar de país até saía da orbita

lumadian disse...

Mas elas existem?

Mr.Guimarães disse...

Exactamente Nivaldo, chama-se o Tim Burton para realizar o filme enquanto matamo-nos com giz nas mãos.

JB...afinal somos todos animais. O nosso "giz" só não chegaria a outros portos porque o Baía das Gatas 2009 está à porta. Deixa para depois de Agosto.

JB disse...

Felina, pensas realmente que meio mundo quer abandonar o seu próprio país? Hum, não me parece.

Lumandian, vai dizer isso aos refugiados!

Mr. Guimarães, :)))

GuyRamos disse...

Se ka tinha frontera?

Lajinha tava vrá un abisme
Monte Kara un pista de sky alpine

Ka tinha mas morna ta klamá mar pa se amor na terra lonje

Osiane Atlantike era un dezerte profunde y sen pexe

Ningen tava bá
Ningen tava kre bá
ken ke ba ta voltá na mei de kamin

Cabral ka tava ser erói du pove
Bana inda tava anda deskolse
Xikinhe un konte de S.Niklau
ka tinha bandera nen banderola

Nada era de nosa
nos munde un planalte
so fera
so jente jentiu ta keme jente

ka tinha kriston nen krus
Mandarin era linga de terra
y nenhun sinbron tinha direit a sê gota d'aga

ka tinha nen rezidente nen imigrante,
nen katraer nen pinote na vapor
Nen peskador nen shipshander
Nen Vos de Kabe Verde nen Kabe Verde Show


ka tinha, ka tinha,

ka tinha nen frontera
pa kria jente frontera

JB disse...

Guy, lindo, profundo e tocante. Obrigado.