Declaração Cafeana

2 Comments




Um dos aspectos mais interessantes na Internet é descobrirmos autênticas jóias que, de outra forma, passariam certamente despercebidas à maioria dos mortais. Um dos últimos tesouros que se cruzou comigo  graças ao meu amigo Fernando Mota, neste fantástico mundo virtual, foi uma conferência do maestro americano, de origem inglesa, Benjamim Zander, sobre música clássica. Segundo ele, apenas 3% da população gosta ou aprecia este género musical e em vinte minutos ele nos dá uma inestimável lição, partindo de uma obra de Chopin que vai, ou tem essa pretensão, diz ele, de nos por a todos a adorar música clássica.

Vale a pena ver. Ouvir com atenção. Entre outras coisas, e esta espantosa frase queria deixar aqui registada, ele afirma o seguinte: «eu tenho uma definição de sucesso: para mim é muito simples. Não está relacionado a dinheiro, fama ou poder. Está ligado a quantos olhos brilhantes eu tenho ao redor de mim.» Isto é algo que me diz muito porque eu sempre defendi que a minha função, enquanto criador na área das artes cénicas, era ajudar a que as pessoas fossem um pouco mais felizes depois de ver um espectáculo. Essa felicidade pode estar relacionada com divertimento, claro, mas também com reflexão e com emotividade.

Infelizmente, ainda vivemos num país onde ouvir música clássica nas rádios é sinal de que alguém importante terá falecido, provavelmente alguma figura de Estado. Num país musical como o nosso é fundamental alterar esse paradigma, combater esse preconceito. Mesmo tendo em conta o pessoal que vive no arquipélago e que tem que se sujeitar aos limites de navegação impostos pela Telecom, volto a frisar, vale a pena parar e ver este video com atenção. Sublime lição. Aqui.

 


You may also like

2 comentários:

Rosi disse...

Eu acho que sempre fiz parte do 1º grupo. My son is a good piano player, and only plays classical music, and he is 17 :)

Ângela Assis disse...

... e assim o mundo muda! Magistral capacidade de comunicação. Partilhem-se lições destas.