Cafeína

6 Comments




"Quem manda, afinal, são sempre outros. Esses outros assinam com o nome genérico de «o mercado». Nunca as televisões deram tanto espaço ao que dizem os donos dos bancos. A fronteira entre o caráter nacional ou internacional destas instituições bancárias esbateu-se mais do que as categorias de «esquerda» e «direita». E vamos percebendo que algo de divindade devem ter esses grandes banqueiros porque estão acima das crises e porque debatem algo que se afastou do domínio dos comuns mortais: o futuro. Já que mandam mais do que os governos, devia haver eleições para os donos dos bancos. Haja democracia!"

Mia Couto - escritor moçambicano



You may also like

6 comentários:

Anónimo disse...

importante distinguir banqueiro de bancário, este um simples peão nesse jogo de poder, que não tem nada de divino...

Anónimo disse...

importante distinguir banqueiro de bancário, este um simples peão nesse jogo de poder, que não tem nada de divino...

Anónimo disse...

Mas quem é Mia? De que democracia fala ele?

A democracia do partido unico da FRELIMO quando ele era dos serviços de informaçao, quer dizer da PIDE da Frelimo?

Ou quando era bufo na Tempo ou no AIM?

JB disse...

Quando se aponta um dedo para o outro, tem-se três voltados para nós próprios...

zito azevedo disse...

Eleições para banqueiros? Mas nós nem políticos sabemos escolher!...

Anónimo disse...

Nao se aponta dedo nenhum! Mia Couoto era um bufo da Frelimo e està provado!