Declaração Cafeana

11 Comments



Tenho achado uma piada tremenda ao cliente que por aqui anda com as suas frases cinematográficas. Começou com o Clark Gable e o famoso "Frankly, my dear, I don't give a damn", uma espécie de "estou-me a cagar" aristocrático, com um pouco de mais classe, que vem repetindo até à exaustão. A frase é retirada do filme E Tudo o Vento Levou, onde o personagem interpretado pelo galã dá uma vassourada tremenda à pobre Scarlett que, perdida de amores, se humilha praticamente se ajoelhando aos pés do seu adorado, perguntando desesperada "if you go, where shall I go, what shall I do?" Bem, como acontece na maioria das vezes em que as mulheres acham por bem se humilhar desta forma, acabou ouvindo o que não queria.

Agora mesmo, arranjou outra, também bem clássica, a do Robert de Niro, no filme Taxi Driver, que no auge da sua loucura revoltada, treina o uso de uma arma em frente ao espelho, falando consigo próprio, numa deliciosa sequência que já me inspirou uma cena na peça O Doido e a Morte, protagonizada pelo Luis Morais: "You talkin' to me? You talkin' to me? You talkin' to me? Then who the hell else are you talkin' to? You talkin' to me? Well I'm the only one here. Who the fuck do you think you're talking to?" Neste caso, o que o cliente deverá querer dizer, de forma criativa, é quem é que eu me julgo para estar a dirigir-lhe a palavra, que o melhor seria ficar no meu canto se não quero levar com um tiro na testa. Mesmo que seja um tiro metafórico.

Devo dizer que, como cinéfilo que sou, estou a adorar a brincadeira. Não sei quem é, mas desconfio. Aliás, tenho quase a certeza quem é o artista. Sugiro-lhe que continue, sempre anima aqui o estabelecimento. Há muitas frases fantásticas na história do cinema prontas para usar, ditas em cenas marcantes por personagens não menos famosos. Como aquela do Marlon Brando n'O Padrinho, quando afirma: "I'm going to make him an offer he can't refuse." Portanto, estejam à vontade. Na falta de cinema no Mindelo, sempre nos vamos entretendo. E pelo menos ninguém se arrisca a acordar com a cabeça de um cavalo empapada em sangue em cima da própria cama.





You may also like

11 comentários:

Anónimo disse...

Ess Sr. CLark ê um tacaçon de nerv!

Pimintinha

Anónimo disse...

Ó João, é caso para se dizer:
Play it again Sam!

Peço desculpas se estraguei a deixa a alguém! :)

Abç
ZCunha

Anónimo disse...

Olá JB

Não consigo deixar de te felicitar pela forma como tens encarado estas provocações e pela tua cultura cinéfila. Como eu gostaria de ser como tu! Perante provocações, manter a calma e até achar graça. A mim salta-me logo a tampa. Vou passar a vir mais vezes ao teu blog, pois tenho aprendido muito.

Continue assim.

Biscoito Fino

Anónimo disse...

Estays con miedo, Frank?
Mario Moreno Cantiflas - Cantiflas e as suas pistolas!

JB disse...

Boa! Mais sugestões aqui de tiradas cinematográficas famosas? Quem se habilita?

Amendes disse...

Uma bica pingada para quem acertar no filme:

I'm Tony Montana, you fuck with me, You fucking' with the best"

Mantenhas

JB disse...

Dito por Al Pacino, em Scarface!

amendes disse...

"MAIS DO QUE MÁQUINAS PRECISAMOS DE HUMANIDADE"

A passabo pau!

Ivan Santos disse...

JB, humildemente sugiro que cries um "Café Cinéfilo" dedicado às falas marcantes do cinema...!!!
que tal?
abraço

Ivan Santos disse...

Já agora: "Gooood morniiing Vietnammm"

argumentonio disse...

ah...! agora entendi a referência ao Casablanca e a uma das suas magníficas falas!! estes finais de manhãs de sábado são muito ilustrativos!!!

bem gizado, J., é de amor

;_)))