Cafeína

3 Comments



«Imagine desprender-se da conjunctura actual que lhe exige dureza, máscaras, agressividade... e admita que gosta das coisas leves, por isso se emociona com uma música, um poema, o voo de uma borboleta, uma criança e a sua inocência, as estrelas, o mar, o céu... admita que é mais fácil ter coragem de ser leve. Não implica se tornar hippie, freira ou monge tibetano... é simplesmente admitir que é leve e vivê-lo no seu dia-a-dia. Ouse.»


Lúcia Cardoso - Sunhador (aqui)





You may also like

3 comentários:

retiro o que disse... disse...

apaixonei-me por este espaço.

Parabéns.

zito azevedo disse...

Mas, meu bom amigo, que mais haveríamos de fazer, se é precisamente a nossa capacidade inata de ousar isso e outras coisas que nos mantém longe da loucura...

JB disse...

Retiro o que disse, espero que não retires essa... hehehe Abraço!

Zito, mas ousamos tão pouco, hoje em dia, tão pouco...