Declaração Cafeana

5 Comments



A forma como Cabo Verde se despediu de Cesária Évora foi bela, emocionante e histórica. Pela primeira vez em muitos anos, que eu me lembre, o ironicamente designado Palácio do Povo, foi realmente do povo e foi o palco escolhido para homenagear a sua maior representante. O povo, esse, disse presente de uma forma extraordinária, prestando um tributo que vai ficar para a história do arquipélago. Esteve bem o Governo, esteve bem o Presidente da República, esteve bem S. Vicente e Cabo Verde. Os discursos, tanto do Mário Lúcio como o do Presidente, foram sentidos, poéticos e reveladores da dor sentida por todo um povo. O tributo foi feito, mas muito mais há por fazer.

Duas medidas urgem, no imediato: em primeiro lugar, um novo baptismo, tão rápido quanto possível, do Aeroporto Internacional de S. Pedro, com o nome de Aeroporto Internacional Cesária Évora, de onde ela tantas vezes saia para espalhar o nome de Cabo Verde pelo mundo. Em segundo lugar, a preparação, com gente empenhada, preparada e tecnicamente qualificada de uma candidatura da Morna a Património Universal da Humanidade, canção nacional de Cabo Verde, como aconteceu com o Tango, na Argentina e, mais recentemente, com o Fado, em Portugal. Duas iniciativas que não nos vão trazer a diva de volta ao nosso convívio diário, mas irão, certamente, contribuir para engrandecer toda a monumental herança que ela nos deixou. É hora de sermos dignos dela.

@Foto de João Barbosa, todos os direitos reservados






You may also like

5 comentários:

Paulino Dias disse...

Duplamente apoiado, caro JB!

Abraço, feliz Natal.

JB disse...

Obrigado, Paulino. Igualmente, boas festas.

Álvaro Ludgero Andrade disse...

Disseste em dois paragrafos o que nos vai na alma. Obrigado e, passada a tristeza, um Feliz Natal e um Ano de sucessos e saude.

Mantenhas txeu.

Kriolbox disse...

Penso ser a altura ideal caro JB, pois nesse momento em que o mundo inteiro, através de Cise, conheceu o gostinho de Morabeza. Há que dar continuidade ao trabalho já realizado e criar um legado, cantar Sodad de Cesária, realidades de Manuel d'Novas, e as ilhas de Ild Lobo. Precisa tambem de muito sangue novo, talento, inovação, mas consciente da sua CULTURA.

Anónimo disse...

Em primeiro lugar o "ironicamente Palacio do Povo" tem uma historia ideologica. E' coisa do PAIGC quando chegou em 74, com os guerrilheiros a dizerem que o entao Palacio do Governador, era coisa do colono português pelo que se tinha que adoptar um novo nome passando a chamar-se Palacio do POVO.

So que durante muitos anos, toa a gente continuou a chamar-lhe Palacio do Governador, como alias aconteceu com a Praça Nova, que puseram o nome de Amilcar Cabral, mas que ninguém chamava por esse nome.

Ja agora ja chamam ao Palacio de Palacio do Povo? Se ja o chamam é de facto ironico, pois foi um Partido que se dizia ser do Povo, mas que hoje so tem ricos e ladroes.

Quanto ao AEROPORTO DE S PEDRO, nao estou de acordo que seja mudado de nome, mesmo que esse nome seja a grande Cize. E' que o aeroporto tem uma historia, é um patrimonio. Ja agora proque nao mudar o nome de S.Vicente? De S Nicolau e por ahi fora?

Eu acho que a melhor soluçao para agradar a toda a gente, era o de Chamar ao aeroporto Aeroporto de S Pedro -Cesaria Evora.

E porquê? PoRQUE quando se refere ao Aeropoorto de S pEDRO, nao é porque deram o nome de S PeDRO ao Aeroporto, mas porque se encontra na localidade de S Pedro.

Ora bem é como quando se diz Aeroporto do Sal Amilcar Cabral. As pessoas continuam a dizer vou para o Aeroporto do Sal, apesar de o nome ter sido mudado para Aeroporto Amilcar Cabral.

Enfim, eu acho que o nome da Cesaria devia ser dado a Escola de ARtes, musica, teatro,etc etc. %Mas repito toda a gente ficaria a ganhar se tivesse acrescentado apenas CESARIA EVORA ao Aeroporto de S Pedro.