Café Horroris Causa

13 Comments


A amnésia do leão é a glória do caçador

"Soube, com espanto, que a Universidade do Mindelo decidiu atribuir um doutoramento honoris causa ao Professor-Doutor Adriano Moreira, escolhendo para tal o dia 10 de Dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

De acordo com o site da dita Universidade, farão o elogio e o apadrinhamento do homenageado dois respeitáveis cidadãos cabo-verdianos: Onésimo Silveira e Germano Almeida.

Não pondo em causa as qualidades académicas do Professor-Doutor Adriano Moreira, não posso deixar de pensar que conceder-lhe o Doutoramento Honoris Causa no Dia Internacional dos Direitos Humanos, tendo sido ele o autor da Portaria 18539, de 17 de Junho de 1961, que instituiu o Campo de Trabalho de Chão Bom – onde estiveram presos, em condições de inumanidade, mais de duas centenas de nacionalistas de Angola, Guiné e Cabo Verde – é, além de uma notável demonstração de humor negro, uma afronta à memória dos homens e mulheres que lutaram pela libertação dos seus países do jugo colonial português. Não se trata de perpetuar ódios, mas de respeitar a memória das vítimas.

No cemitério da Vila do Tarrafal permanecem ainda os restos mortais dos guineenses Cutubo Cassamá e Biaba Nabué, falecidos no campo a 12 e 24 de Novembro de 1962. Morreram também, em consequência da sua detenção no campo, os angolanos António Pedro Benge (13 de Setembro de 1962) e Magita Chipóia (13 de Maio de 1970). Muitos outros presos – alguns dos quais cabo-verdianos – vivem ainda as consequências dos maus tratos sofridos no campo mandado reabrir pelo agora homenageado no Dia Internacional dos Direitos Humanos.

Estranho o menosprezo da Universidade do Mindelo pela história recente do seu próprio país. É certo que vivemos tempos de amnésia e indiferença, mas temo que um povo que ignora o seu passado ponha em causa o seu futuro. Até por que, como lembra o provérbio africano, “enquanto o leão não escrever a sua História, a glória será sempre do caçador”.

Diana Andringa


Adenda: nada a acrescentar ao que a jornalista Diana Andringa escreve aqui. Esta homenagem é apenas mais um (triste) sinal dos tempos que correm. Margoso mais margoso, não há...



You may also like

13 comentários:

Emanuel Ribeiro disse...

Nada nem ninguem pode dal o que não tem! O "IESIG" (AKA Universidade do Mindelo) ao pretender dar o RECONHECIMENTO ACADÉMICO, que ele próprio, como instituiçao de Ensino, nao possui, e por mera procura de visibilidade, comete pois, esses erros crassos de avaliaçao, metendo a pata na choça! É urgente que uma alta autoridade para o Ensino Superior comece a reconhecer quem é de facto Universidade porque isso obrigaria as instituiçoes de ensino superior a criar capacidades endógenas antes de se lançarem nessas infelizes operaçoes para inglês ver!

daivarela disse...

Em declarações à imprensa, José Maria Neves defendeu que a polémica "é o sal da democracia", em que "o pior é haver unanimismo", razão pela qual preferiu destacar Adriano Moreira como um "amigo" de Cabo Verde, realçando o papel desempenhado nas negociações para a Parceria Especial com a União Europeia (UE).
http://noticias.sapo.cv/lusa/artigo/13457245.html
:::::::::::::::
Se ele diz que é nosso "amigo", quem sou eu pra discordar?
Conheço um senhor chamado Mirú que daria uma melhor resposta, mas pronto...

Tchale Figueira disse...

Obrigado pelo artigo, que reforça o meu no Arco da Velha e no facebook, mostrando o meu descontentamento com este abesurdo. Houve um politico que apareceu criticando: ninguem falar do Honorius Causa do Pedro Pires... Foram duas ditaduras, e eu fui vitima: Saí deste país com 17 anos para fugiar a guerra colonial e aos fascistas, meu pai foi preso aqui nos anos do partido unico, tinha ele 80 anos. Não guardo rancor, aprendi a perdoar, mas em quanto existir memória, não podemos ignorar factos.

David disse...

Espanta-me alguém que nutre uma pública admiração por vários históricos do Partido Único de CV que fizeram tudo o que o regime fascista Pt fez, com a agravante de serem cabo-verdianos, venha se indignar com tal homenagem ( esses digníssimos lutadores pela “liberdade” da pátria inclusive mantiveram logo a seguir à independência, o campo do Tarrafal para os mesmos fins!) . A coerência é uma virtude que se tem ou não se tem…

JB disse...

Um comentário de muito mau gosto, o do David. Mas pronto, essa questão do gosto, ou se tem ou não se tem...

Rui Lanceiro D. disse...

Se os ditadores cabo-verdianos do PAICV ( que traíram o povo que diziam querer libertar ) podem ser “honoris causa”, qual a razão para que um ministro de uma ditadura a beira-mar plantada não possa também sê-lo, esse pelo menos é Doutor mesmo!!!! Se em CV convivemos com os nossos ditadores convertidos à democracia sem qualquer objecção, tb podemos fazer o mesmo com os ajudantes de ditadores de além-mar…Gente estranha essa que acha que há os MAUS E OS BONS ditadores…!

David disse...

Quando se trata do (não) respeito dos direitos humanos básicos, do (não) respeito do Homem como um ser livre em todas as suas dimensões…tenho de discordar consigo: NÃO SE TRATA DE UMA QUESTÃO DE BOM GOSTO MESMO!!!!

Emanuel Ribeiro disse...

Sobre as declarações de Maria Neves, digo o seguinte: O HOMEM POLÍTICO cabo-verdiano acredita que por ter um mandato do povo para gerir a coisa pública tem legitimidade para opinar sobre tudo e todos, e que a sua palavra é LEI. Daí as atrocidades que vão debitando por aí nos mídias. SENHOR PRIMEIRO MINISTRO, EM MEMÓRIA DE CABRAL E TODOS OS MÁRTIRES DA REVOLUÇAO EU PEÇO-LHE UM SÉCULO DE SILÊNCIO!!!

JB disse...

É de mau gosto, porque o senhor não me conhece de lado nenhum para estar a dizer o que disse. Tão simples quanto isso...

Até porque, como é público e notório, tenho amigos de todos os lados da chamada "barricada" política nacional, que o são por razões que em nada tem a ver com a política.

Brito-Semedo disse...

Vou dizer aqui o quye disse em outra lugar:

"Isso sem dizer que em Cabo Verde ainda não existe uma Academia e sem tradição de praxes académicas. Para mim, o mais grave é o facto de a UM ter menos de 1 ano de existência, portanto, ainda em consolidação, com uma grande percnetagem de docentes com a licenciatura e praticamente sem doutores! O próprio Reitor da UM, Albertino Graça, recebeu o grau de doutor por estes dias (!). Caso para se dizer que isso é mais uma brincadeira de Carnaval do que outra coisa! Por outro lado, o Professor Doutor Adriano Moreira, enquanto académico, não precisa dessa "honra" que, ao fim e ao cabo, é mais para quem atribui o grau! Enfim, o que é preciso fazer para se dar nas vistas!..."

Anónimo disse...

VISÃO MARGOSO DE GENTE MARGOSA DÁ GOSTO MARGOSO.
NÃO É A 1º VEZ QUE ESTE PROJETOR DE ESCOLA SUPERIOR TINHA FEITO DIATRIBES. ANTES TINHA JUNTADO A OPUSDEI E A MAÇONARIA NO SEU HÁREM PARA LISONJIAR OS NOVOS SAUDOSISTAS DO IMPÉRIO. ASSIM É QUE É. ATÉ NÓS SERMOS NOS MESMOS VAMOS CAVALGANDO NOS BRAÇOS DOS PSEUDO FAZEDORES DAS NOSSAS COISAS... VIVA A SAUDADE DOUTROS TEMPOS.

Anónimo disse...

O David tem razao; o JB tem razao apenas ao denunciar oAdriano Moreira.Mas JB tem de aprender a aceitar criticas e reagir bem a criticas. O David tem de saber que JB tem reacçoes tipicas dos antifascista para eles o mau é sempre o fascista, o homem de direita, enquanto na esquerda, no comunismo sempre foram anjos. Pois bem, é pura mentira e fascismo e comunismos sao duas faces da mesma moeda. JB tem de aprender esta verdade historica.Obrigado ao David; e ja agora ao JB nao temos que conhecer as pessoas para estarmos de acordo ou nao com elas.
Leitor encarteirado

JB disse...

Leitor anónimo: podes, quando não tiveres mais nada do que fazer, de procurar um texto aqui onde eu escrevo essas mesmas palavras que tu colocas na minha boca. Depois disso, conversamos.

Abraço e obrigado pela visita!