Declaração Cafeana

13 Comments



O anúncio do novo Governo de Cabo Verde trouxe, independentemente dos nomes escolhidos, uma boa notícia: o Ministério da Cultura volta a ser autónomo e a ocupar o lugar que merece na orgânica do elenco governamental. A junção da pasta do Ensino Superior com a da Cultura foi um lapso que, felizmente, não perdurou durante muito tempo. 

Resta-me agora dizer algo sobre a escolha do novo ministro, Mário Lúcio Sousa, de quem sou amigo e admirador, e portanto, suspeito para emitir qualquer opinião que possa ser considerada imparcial. Mas tudo bem. O que me apetece dizer é que prefiro um artista experiente na pasta do que um tecnocrata que não conhece o meio, nem os agentes culturais, nem as suas preocupações, muito menos as difíceis condições em que os artistas desenvolvem os seus percursos criativos em Cabo Verde.

Ora, Mário Lúcio, com o currículo que tem como músico, compositor, dramaturgo, escritor e artista plástico (área que explorou pouco e abandonou cedo) pode ser um triunfo poderoso. Além do mais é jurista, mesmo que não exerça e portanto domina os meandros de um dos sectores que mais falhas apresenta em toda a estrutura das políticas culturais no país: a legislação. 

É um homem que tem material produzido de reflexão na área e cabe-lhe agora criar as condições para que o que tem defendido possa ser aplicado na prática. Não sendo gestor - não se pode ter tudo - é também alguém com capacidade de ouvir os outros, assimilar, julgar e agir segundo aquilo que julga ser o melhor para a área. 

Já lhe chamam a versão Gilberto Gil cabo-verdiana. Se o percurso e o trabalho desenvolvido vier a confirmar esta doce ironia, só lhe fica bem, até porque estamos a falar de um ministro, também ele artista e músico, que revolucionou todo o panorama da aplicação de políticas públicas nesse imenso país que é o Brasil. 

Tudo o que aqui vai escrito não é o garante que venha a ser um bom Ministro da Cultura. Eu acredito que possa vir a ser. Agora é dar tempo ao tempo e esperar que aconteça o que certamente todos desejamos: que as políticas públicas na área da Cultura durante a próxima legislatura representem uma profunda viragem naquilo que foi a inércia, a incapacidade e a falta de criatividade que a caracterizou durante os últimos anos. 


You may also like

13 comentários:

Anónimo disse...

"Já lhe chamam a versão Gilberto Gil cabo-verdiana." hahahahah O interessante é que quando o vi com o "novo look" no cabelo há já algum tempo, pensei para comigo "hmmm, este quer ser o próximo Ministro da Cultura."!!!! Dito e feito!!!
E.

Anónimo disse...

Hum... boa sorte?!

Joaquim Saial disse...

Saudações ao novo ministro. Que tudo lhe corra de feição, porque se assim for, decerto também correrá para a cultura cabo-verdiana.

Adriano Reis disse...

João, fico feliz com esta bela noticia, de qualquer forma é bom ter alguém nessa pasta que sabe o quanto precisamos e sofremos pelos o ex-ministro que não tem sensibilidade cultural e só pensaram nas politiquice.

O único pedido que faço por agora ao Lúcio que revê mais urgente possível a questão do Eden-Park.

Saudações

Miguel Barbosa disse...

Para mim, o produtor cultural João Branco; devia ser o Ministro da Cultura.
João Branco merece. Pena que mora num País em que o mérito não tem valor.
Pena para a cultura (já que tem que ter um ministério)...

Anónimo disse...

Bem haja! Pela sensabilidade, pelo conhecimento e pelo relacionamento, Mário Lúcio Sousa tem os pergaminhos para ser um 'excelente' Ministro da Cultura. Foi realmente uma boa escolha de José Maria Neves. Ousar é preciso...

Filinto Elísio

JB disse...

Miguel, agradeço as palavras mas não me parece que tenha o perfil (nem a vontade) para tal tarefa hercúlea. Estarei, como sempre, atento e dando a minha contribuição enquanto criador e, como disseste, produtor cultural. E espero, sinceramente, que o MLS consiga levar o barco a bom porto.

Abraço

Anónimo disse...

JB
Grande lucidez e maturidade, sobretudo humildade, esse seu último comentário, coisas que petizes de hoje ( leia-se Abraão), não reconhecem valor. Continue a fazer o teu papel.Abraço

Lily disse...

Se o seu trabalho como ministro for à altura do seu trabalho como artista, por certo desempenhará uma boa função.

Bitim disse...

Hummm... Mario Lucio como ministro da cultura!? não sei, não. Tenho dúvidas... Depois daquele video-clip que gravou no vulcão do fogo todo nú, mostrando até os seus... bem não digo o nome porque é feio.
Mas desejo-lhe boa sorte!

Anónimo disse...

Vai ter uma acessoria invisivel do Princezito. Penso que vai ser aberto a muitos promotores, tem rede de contacto e influencias, daí que já tem 75% de sucesso garantido. Ele já está na pele da cultura mais 20%. 5% está com a forma que conseguir rodar a maquina afecta. O salario e as benesses obrigar-le ão a fazer esse 5%. Funcionara

Katy disse...

Que as novas oportunidades da cultura sejam para todos os artistas e não somente para os amiguinhos

Anónimo disse...

os amiguinhos. um perigo a serio. ja se "rumora" que já começaram a fazer pressão por blog, cartas, telefonemas, emails e sms. ML aguenta firme!

Estes que se autam de homens da cultura são terriveis, pelos vistos o choro está a valer a pena.

Amiguinhos, o perigo...