Constatação

9 Comments




É simples, enquanto amar e for amado, e tiver aqueles que mais amo por perto, assim serei feliz. Posso me zangar, enervar, ficar mais ou menos triste por alguma reacção inesperada de algum amigo, posso me precipitar, errar, tremer, arriscar. Posso não querer dizer nada ou falar mais do que a conta. Posso ser atacado, por conhecidos ou desconhecidos. Tenho a possibilidade de desenvolver a minha arte onde, mal ou bem, tento produzir e crescer. Mas tudo isso é tão pequeno, juro-vos! Tudo isso é tão pequeno perto do significado portentoso de se estar vivo, de nos sentirmos vivos e principalmente, de sabermos que não perdemos a nossa capacidade de amar e de bem receber o amor de quem nos ama.

O resto é digestão.



You may also like

9 comentários:

Anónimo disse...

deduzindo, a moça da foto é a origem e o alvo do teu love?

Blah disse...

Não tenho nada a acrescentar :-)

maria
http://makeupblah.blogspot.com/

MM - Lisboa disse...

Gostei!

zito azevedo disse...

Agora percebo porque é que um tio meu, amigo íntmo da filosofia e do vinho tinto, costumava dizer-me: - ...e, não te esqueças, nunca, de que viver é coisa vulgar: o verdadeiro milagre, que até os ateus admitem, é a gente amar a vida e os que povoam a nossa!

Anónimo disse...

Porque o que conta, vendo bem,
é dar sempre um pouco mais...!

"Podes dar uma centelha de lua,
um colar de pétalas breves
ou um farrapo de nuvem;
podes dar mais uma asa
a quem tem sede de voar
ou apenas o tesouro sem preço
do teu tempo em qualquer lugar;
podes dar o que és e o que sentes
sem que te perguntem
nome, sexo ou endereço;
podes dar em suma, com emoção,
tudo aquilo que, em silêncio,
te segreda o coração;
podes dar a rima sem rima
de uma música só tua
a quem sofre a miséria dos dias
na noite sem tecto de uma rua;
podes juntar o diamante da dádiva
ao húmus de uma crença forte e antiga,
sob a forma de poema ou de cantiga;
podes ser o livro, o sonho, o ponteiro
do relógio da vida sem atraso,
e sendo tudo isso serás ainda mais,
anónimo, pleno e livre,
nau sempre aparelhada para deixar o cais,
porque o que conta, vendo bem,
é dar sempre um pouco mais,
sem factura, sem fama, sem horário,
que a máxima recompensa de quem dá
é o júbilo de um gesto voluntário.

E, afinal, tudo isso quanto vale ?
Vale o nada que é tudo
sempre que damos de nós
o que, sendo acto amor, ganha voz
e se torna eterno por ser único e total".

(José Jorge Letria)

a) RB

Adriano Reis disse...

Caro João,
É assim mesmo, o amor é tão bonito que não podemos inibi-la.
Temos pouca oportunidade de amar e deixar-se amar e quando o coração fala é lindo e bonito. má nada!

Faco figas e conspira ao universo que sejas muito feliz e que continuas a inspirar-nos a deitar cá para fora tudo é que bonito.
Gostei muito mestre!

JB disse...

É isso mesmo caros amigos!

Abraço a todos.

Anónimo disse...

É meu caro ..eu tb com uma dessas "o resto seria digestão" e uma digestão bem fácil! Como n estou com a tua sorte terei q recorrer a um saisfrut ....

Anónimo disse...

E esta é a razão porque já não publicas mais posts.