Um Café Curto

4 Comments




Depois do comportamento dos senhores deputados na sessão da manhã da Assembleia Nacional só me vinha à cabeça uma frase do dramaturgo Nelson Rodrigues:

"Hoje é muito difícil não ser canalha.
Todas as pressões trabalham para o nosso
aviltamento pessoal e colectivo."

Se estes senhores são representantes do povo, estamos mesmo entregues à bicharada! Se os dois maiores partidos, que constitucionalmente representam mais de quatro quintos dos cabo-verdianos tivessem um pouco de coragem, a solução seria simples: processos disciplinares nos dois deputados que pisaram o risco e extravasaram uma discussão política para o campo do insulto pessoal. Inadmissível. Mas claro que todos sabemos que isso nunca irá acontecer...

Além disso, esta sessão só veio demonstrar, mais uma vez, que o senhor Presidente da AN não tem pulso para dominar o plenário. Não o respeitam e não se faz respeitar. Parece o actual treinador do FC Porto, credo!




You may also like

4 comentários:

Bitim disse...

A canseira e hegemonia do Primeiro-Ministro no poder é tão proporcional como a teimosia e caducidade de Carlos Veiga na oposição.

zito azevedo disse...

Creio que à conta de um "status quo" que tem pontuado toda a segunda republica de messivas doses sempre do mesmo ou do pior, os deputados se sentem uma espécie de semi-deuses a quem tudo é pemitido usando e abusando do voto polular que os elegeu para trabalharem em prol do país e do povo e não para reforçarem os alicerces da sua própria indignidade e se pavonearem nas asas da vaidade mesquinha de quem nada ou pouco enxerga para além dos próprios umbigos. Incultura democrática, pura e simples!

Anónimo disse...

Porque estranham tanto o comportamento desses deputados? Eles são aprendizes de Alberto João Jardim e desse ninguém fala de processo disciplinar ou de quanto ruim ele é para a democracia portuguesa. Todo o mundo ri...

Tony Aguiar (aguiartony@live.pt)

JB disse...

Mas o Jardim interessa alguma coisa para o que se passa na Assembleia Nacional de Cabo Verde?

Não entendi essa...