Café Cinematográfico

5 Comments



Quando será que vamos todos perceber que o Éden Park já lá não está, não por culpa do Governo ou da Câmara Municipal, mas sim por culpa nossa? Culpa nossa, sim, que abandonamos o cinema para ficar em casa a ver vídeos pirateados. Essa é que é essa.


“O mar e o cinema 
eram as únicas formas de sair da ilha.”




O olhar documentarista de Blaufuks conduz-nos a São Vicente (Cabo Verde), pelas memórias que o cinema deixou nesta ilha. Assente num interessante trabalho de pesquisa, tanto pela riqueza dos depoimentos, como pelas imagens, “Eden” é um filme que mergulha no imaginário contemporâneo de um povo e de um lugar através da relação destes com o cinema. (Catarina Cabral)

Na próxima semana, duas sessões, dias 29 e 30 de Junho, no Centro Cultural do Mindelo.



You may also like

5 comentários:

Olavo disse...

Permita-me discordar de ti, caro João. A nossa relação com a 'sétima arte', tanto na produção como nos meios de fruição mudou muito nas últimas décadas. O verdadeiro cinéfilo, talvez uma percentagem não muito avultada da população, irá sempre ao cinema. Salas como o Eden Park não se enquadram muito bem com 'o negócio' do cinema da actualidade. Mas, o Eden Park é um património de São Vicente. Há muita memória e cultura ali produzidas, como, por ex. o primeiro discurso de Baltazar Lopes, as máquinas e os filmes que foram vandalizados, etc, etc. Cabia ao poder público assumir essa conservação e promoção!

JB disse...

Tudo isso é verdade Olavo, mas se os mindelenses não tivessem, pura e simplesmente, abandonado o cinema, o Éden ainda estaria vivo. Não poucas vezes assisti a sessões no cinema onde não estariam mais do que 2/3 pessoas na sala inteira. Muito triste.

Anónimo disse...

durante toda a minha adolecência fui ao Edém todos os sábados na sessão das 6 e 30. Lembro-me de ver a pequena sereia ou o rei leao com o cinema cheio e as pessoas iam de facto ao cinema e depois à praça brincar à roda,mesmo com 13, 14, 15 anos............os valores mudaram....os adolecentes não querem mais esss tipo de coisa.

Anónimo disse...

Quanto a essa questão é sempre bom "lembrar" às pessoas q existiu esse cinema, mas agora só resta lamentar. Parece q ninguém está interessado ($) em trazer de volta essa parte da cidade do Mindelo.

Anónimo disse...

Ir ao cinema não é algo que todo mundo gosta. Muitas vezes tem que se aturar pessoas mal educadas que, por ordem do destino, estão mesmo ao lado de ti. Ficam constantemente a comentar o filme como se em vez de um filme fosse uma partida de futebol e têm a plena obrigaçao de fazer o relato ou riem alto de uma maneira insuportável ou então por acidente acertam-te com uma cotovelada e ainda há o famoso barulhinho de comer pipocas. Algumas pessoas preferem ver um filme na privacidade e tranquilidade de casa onde não tem que se ficar apertadinho numa cadeira sem poder se levantar sem incomodar os outros.
O mal não é as pessoas não irem ao cinema porque elas têm o direito de poder dispensar este elemento cultural se assim bem entenderem, as pessoas podem abandonar o cinema se assim escolherem. O mal é terem eliminado a possibilidade de escolha e as pessoas que gostam de ir ao cinema não poderem porque não têm essa opção.