Crónica Desaforada

24 Comments





Óbito? Não, obrigado!

1. Tem-se falado muito e escrito ainda mais sobre a pouca dinâmica da cidade do Mindelo, sobre o seu aparente adormecimento, a sua apatia criativa, a sua megalomania reivindicativa. Eu próprio aqui no Café Margoso, e por diversas vezes, tenho reflectido sobre a urbe e a sua maior ou menor dinâmica, tendo por vezes manifestado algum desagrado pelo seu estado de letargia. 

2. Entretanto, estive quase um ano fora de S. Vicente, com um interregno no Verão passado, e esse distanciamento permitiu-me, entre outras coisas, uma análise mais nítida sobre a realidade agora que passou cerca de um mês relativamente ao meu regresso. Quando não estamos emersos no objecto observado, isto é claro para quem estudou ciências sociais, a clareza das nossas observações fica, desde logo, potenciada. 

3. Mindelo está a acordar e, espantem-se, parece não querer dormir na forma. Podemos sempre nos queixar do abandono dos políticos, da inércia dos empresários ou da falta de criatividade dos artistas e criadores da ilha, mas a sensação que eu tenho é que a cidade pulsa, indiferente a leituras mais ou menos exageradas, mais ou menos alarmantes, mais ou menos oportunistas. 

4. No programa do "Março - Mês do Teatro" participaram treze grupos de teatro. Sim, treze. Activos, vivos, fazendo teatro. Sim, no Mindelo. Nas escolas, nos bairros, nas casas particulares. Há dificuldades, faltas de apoio? Vamos fazer. Mostrar o trabalho. E depois reivindicar. Não temos lugar para ensaiar? Não faz mal, ensaiamos no nosso quintal, no terraço, na rua. A maioria das peças demonstraram uma falta de maturidade gritante, alguma falta de cuidado no preparo? Talvez, mas a vontade de mostrar trabalho, de participar, de dizer presente foi maior, o que não se pode criticar. 

5. Neste momento é rara a semana em que não há um lançamento de algum livro, um concerto para a apresentação de algum novo trabalho discográfico, uma palestra. Assiste-se ao nascimento de um novo cine-clube, a uma nova dinâmica da Academia Jotamont, entra-se num Centro Cultural do Mindelo de cara lavada, passeia-se pelos diversos bairros durante o final de semana e ouve-se música em bares, hotéis, restaurantes, existem dois locais bem no centro que promovem bailes populares à moda antiga, com música ao vivo, pelo menos uma vez por semana, grupos de capoeira invadem a Praça Nova, a Praça D. Luís, a Ponta d'Água. 

6. Certamente, continuamos com muito por fazer. O apodrecimento trágico do Éden Park, a indefinição gritante de critérios, projectos e mesmo falta rumo para a utilização de espaços públicos como o antigo Centro Nacional de Artesanato, a réplica da Torre de Belém ou o próprio Centro Cultural do Mindelo, a má-língua e desentendimentos entre os próprios artistas, algum desânimo e a falta de autio-exigência de novos valores, são tudo sintomas de uma cidade que reclama atenção.

7. Estes dias loucos, com o Congresso dos Quadros na Diáspora ou a comemoração dos vinte anos do jornal Artiletra, contribuiu para uma movida acima do habitual, mas não se pense que é apenas foguetório temporário. Cada vez mais, espaços comerciais, bares, cafés e outros espaços alternativos apostam na música ao vivo, na projecção de filmes, na actuação e na performance, na promoção de exposições de fotografia ou pintura, para atrair clientela. 

8. S. Vicente tem o mais antigo e maior festival de música do país, um festival internacional de teatro que é orgulho de toda uma Nação, o carnaval mais criativo com participação popular em larga escala, tem a única escola superior de artes do arquipélago e, espantem-se, tirando o caso do festival de música, tudo isto é produto da iniciativa privada, a tal cidadania que se diz adormecida na ilha do Porto Grande.

9. Andamos na rua e cruzamo-nos com artistas plásticos, músicos, instrumentistas, actores, encenadores, criativos, estudantes de arte e design, intelectuais, escritores, poetas, e claro, loucos, pés descalços, vendedores de jornais, polidores de calçada, velhos proxenetas, negociadoras de café e toda a casta de gente com toda a espécie de profissões, mais ou menos liberais. A cidade pulsa. 

10. Além de que também me parece ser esta uma cidade capaz de olhar para dentro e de discutir os seus problemas. Fê-lo durante estes meses com o ciclo de debates, "Mindelo - Temos Cultura?", organizado pelo Centro Cultural Português - IC. Com certeza que há muitos problemas, estamos carecas de saber quais são. A resolução de muitos deles passam pela implementação de políticas públicas, por um lado, e por uma mudança de mentalidades dos próprios criadores, por outro. Mas que ninguém se atreva a passar ao Mindelo uma certidão de óbito criativa, cultural ou artística. Porque a cidade está viva, orgulhosa do que é e continua a dar (e a ser) exemplo. 

Mindelo, 21 de Abril de 2011

(foto, aqui)





You may also like

24 comentários:

Anónimo disse...

graaande foto!

Anónimo disse...

Portanto, concluindo, a cidade está viva. Vida essa que é passada a olhar para dentro e a discutitir os seus problemas.

zito azevedo disse...

Folgo com a boa nova de uma afirmação de vitalidade, a todos os niveis, de que esta prosa parece ser testemunho.

Anónimo disse...

La está, o olhar para o umbigo!

Ja está a delirar porque houve o seu tal mês de teatro!

Tudo vai bem em Mindelo!

Somos finos, gente da pesada!!!

Acho que o Joao Branco, ja merece o seu certidao de nascimento de boice de Soncente!!!!

Sempre bajofe, mesmo morrendo de fome e sem onde cair de morto!!!

Soncente, ê Soncente!! Um exemplo para todos os outros ilhéus copiarem e mesmo todo o mundo, caramba!!!!!!

Txau

JB disse...

Anónimo, falei de uma cidade cabo-verdiana, que é aquela onde eu vivo e cuja realidade conheço.

Qual é a razão para tanta azia?

Não entendi.

Anónimo disse...

Azia ha da sua parte que mistura leite em pó com pô d'arroz!

Deixe-se de delirar porque você nao conhece nada de Soncente; conhece a Praça Nova e as duas ruas que vao até à sua casa.

Ja alguma vez passeou por Monte Sossego de Tras? Ja foi espreitar os bairros miseraveis de Covada de BRUXA, ja se embrenhou pelos fundos de Ilha de Madêra, Fonte d'Inês, Pedra Rolada?....

Deixe-se de armar em conhecedor profundo porque você nem conhece a fundura da sua garganta!!!

Ou entao escreva as suas larachas, mas tem de aceitar também a critica demolidora, porque eu também sou boice de Soncente, e conheço profundamente a minha ilha;

Alguma vez subiu ao cucuruta de Monte de Cara?!

Eu ja fui descansar ali depois de um dia a correr atras de cabras no sopé da Montanha!

E eu nao sou anonimo, pois tenho um nome aqui:

Txau

daivarela disse...

Não sei porquê, mas quando leio essa crónica é como se te estivesse a ouvir na rádio.
A tua escrita está-se a tornar mais radiofónica do que de blogosfera o que pode ser considerado 'alta traição ao movimento' (rsss), punido com cortes de energia (Electra) e cortes de internet (Telecom).

Gostei da leitura sobre Mindelo

JB disse...

Este senhor Txau - original pseudónimo! - em vez de falar do problema resolve falar da pessoa e como não conhece nem sabe do que está a falar acaba fazendo figuras destas.

Vamos lá a ver: o caro senhor Txau não me conhece e para que fique a conhecer um pouco melhor eu vou me dar ao trabalho de responder às suas tão pertinentes perguntas:


A resposta é afirmativa em relação a todas as perguntas que colocou menos no caso da cucuruta do Monte Cara. Sim, conheço. Sim, já lá fui. Sim, tenho amigos por lá.

O senhor Txau, que pelo tom deve ser rapaz novo, não sabe que já fizemos espectáculos de teatro para crianças em todas as escolas da ilha, o que tem sido uma bela lição para nós, porque ficamos a conhecer zonas como areia branca, monte sossego trás (e frente e lado), fonte d'inês, fonte cônego, fonte francês, cruz, cruz joão d'évora, ribeira bote (várias vezes nos apresentamos no centro social), ilha de madeira, pedra rolada, ribeirinha, madeiralzinho, chã de alecrim, chã de faneco, chã de cemitério, alto de miramar, alto de s. nicolau, fonte filipe, cruz de papa, ribeira de craquinha, campim, dji de sal, ribeira de julião ou toda aquela zona de rua de coco e, claro, a morada.

Vivo em S. Vicente desde 1992, tendo começado por viver em Monte Sossego, antes mesmo de haver pavilhão, passei para o monte, não muito longe da Praça de Estrela (quando ainda havia canteiros com as estrelas desenhadas na praça), depois para a rua do coco, depois para o alto de miramar, depois alto de s. nicolau, e vivo agora em chã de monte sossego, não muito longe desse tal monte sossego trás que para o senhor Txau é algo tão escondido que só mentes brilhantes como a dele tem lá acesso.

Já percorri a ilha de S. Vicente a pé de lés a lés, várias vezes, monte verde, miradouros pouco ou nada conhecidos e tomei banho em quase todas as suas praias, públicas ou desertas. Seja a Cova de Inglesa, seja a Praia Grande do Calhau, seja Norte Baía, muito antes de haver estrada Calhau - Baía, seja nas praias a Este de Salamansa, pouco conhecidas e de dificil acesso, outras cujo o nome não me lembro de tão incógnitas que são.

Isto para dizer que é sempre chato ver pessoal a falar do que não sabe, julgando as pessoas sem saber da missa a metade, lançando um fel que só a mesquinhez pode justificar, e acabando por passar completamente ao lado do que realmente interessa.

S. Vicente ou o Mindelo estão realmente mal? Porquê? Quais os argumentos? Como podemos melhorar? Onde estão os principais condicionalismos? etc, etc, etc.

Como vê, caro Txau, há mil e uma coisas mais interessantes a conversar e debater aqui do que os meus conhecimentos em geografia local, o que pode ser feito sem essa tal agressividade que demonstra e que é pouco justificável, pelo menos no actual contexto.

P.S. A fundura da minha garganta, por acaso, não conheço. Nunca me preocupei em estar em frente ao espelho com a boca escancarada a tentar ver o que a natureza humana fez para que não fosse visto!

Boa páscoa!

Anónimo disse...

Ai é, nao conheço nem sei do que estou a falar?

Quer que eu ponha a nú a sua ignorância sobre determinadas lacunas culturais que de vez em quando exibe aqui nesta sua mercearia?!

Do que é que quer que fale aqui?!

Nao fique epidérmico com criticas que lhe sao feitas, homem!

Você ja esteve a apontar alguns nomes geograficos de Mindelo para convencer tolinhos que de facto conhece!

A quem quer fazer crer que CONHECE o fundo da Ilha da MADEIRA ou a Zona de Bruxa da Bela Vista?

Oh homem passar fugazmente por essas arrebaldias de Mindelo, nao quer dizer CONHECER.

Concehcer é viver com o povo dessas zonas; beber um groguinho com eles, viver os problemas miserarveis do dia a dia e nao ir armado em actor ou dador de liçoes num dia tal, a horas tal e com carro parado à esquina de um clube qualquer que a populaçao da zona nao frequenta!

Percebe ou quer ainda continuar a fingir?!

Eu nao preciso de o conhecer para falar de si!

Se tivessemos que conhecer pessoalmente as pessoas nao seria possivel falar de Camoes, Eça ou Pessoa;

Eu nao falei da sua pobre pessoa que nao me interessa para nada; eu falei do cronista, do actor, do homem de cultura que pensa que pode falar com autoridade de tudo e mais alguma coisa da minha terra, tendo chegado ha dias, em 1992, como você mesmo reconhece a Cabo Verde.

Nao fel nenhum! Apenas critica livre e aberta. E você o que é que tem contra o meu pseudónimo?

Chateia-lhe que eu seja Txau! Entao olhe txau e fique calmo porque Soncente é minha ilha e falo dela como bem entender!!!!

Libertinna disse...

JB boa resposta apesar de ser apologista de respostas um pouco mais drásticas a comentários de gente medíocre como os do Sr Txau: o fundo da retrete e nem mais uma palavra.

De tão ignorante, não percebeu que em nenhum momento o texto aplaude a situação degradante de alguns bairros desta cidade. Há bairros degradados em todo o país e já se escreve muito sobre isso nos blogs cabo-verdianos e procura-se soluções, há na realidade bairros degradados em quase toda a parte deste planeta, escolher abordar outras temáticas para este individuo é olhar demasiado para o umbigo. Um conselho da Libertinna. Olhe mais para o seu umbigo, mas um olhar demorado e de preferencia em silencio.
A humanidade agradece!
JB: Adorei o texto

Assin: A Libertinna
(http://libertinna.blogspot.com)

JB disse...

Senhor txau (não, não me incomoda, porque raio me havia de incomodar?), de novo, fala do que não sabe. Julga sem conhecer. Opina sem substância. Escreve com raiva cega, sabe-se lá de quê e porquê.

Por acaso, não posso parar o carro "na esquina de um clube qualquer" porque nem carro tenho.

Relaxe, homem. Vá tomar um banho na laginha ou numa dessas fantásticas praias desta ilha que vc tão bem conhece e tanto ama, mas ame vendo também o lado positivo das coisas. Esfrie a cabeça, porque "epidérmico" aqui está a ser o senhor.

E mais uma vez, não rebate, só insulta. Não refuta, só escreve meia dúzia de frases feitas de quem está incomodado não se sabe muito bem com o quê.

Quer discutir ou conversar sobre a situação de S. Vicente? Vamos lá. Mas seja mais substancial. E não se esqueça de que quando tem um dedo apontado para a minha pessoa está com três apontados sobre si próprio.

Libertina: obrigado pelo comentário e pelo link do seu blogue, que vou ler e visitar com todo o cuidado.

Feliz páscoa

Anónimo disse...

E' com a Libertinna, que passa a vida com a cabeça metida na sanita, que està a contar?!

E nao me venha nem você nem a libertininha com a cantiga de vitimizaçao porque estou a responder usando palavras dela: sanita!

Vê-se mesmo pelo pseudonimo de libertina que essa ahi passa a vida com o focinho metido na sanita e a apanhar e nem se dà conta do que se passa à sua volta.

Quem discutir a agenda de Soncente? A sério ou é a bricncar?

Entao comecemos por ser mais responsaveis.

Você nao pode estar a traçar quadros a cores desta Ilha como acaba de traçar, sabendo que mais de 50 por cento da populaçao islena mindelense està no desemprego ou no sub-emprego. E aqueles que têm um emprego ganham uma miséria.

Como pode falar dessa maneira duma ilha que nao tem uma sala de cinema, uma opera, um teatro municipal, 5 bilbiotecas, duas galerias de arte, uma universidade que valha, escolas disto e daquilo, casas de cultura aqui e acola?

Como pode falar desta ilha dessa maneira, sem termos pelo menos dois jornais diarios, 5 radios privadas e associativas, umas tantas televisoes? Como falar dessa maneira numa ilha onde nao ha exposiçoes de nada, nem de fotografia, nem de pintura nem raios que o partam?

Como pode falar duma ilha dessa maneira, onde nao ha livros publicados (quantos foram publicados desde janeiro?) 5 livros? Nem isso; Deixe de cotnar estoria estoria!

Onde estao os criadores de artes, os itnelectuais para pensar esta gaita? E' libertinna? Ela leu Justine de Sade? Ou é amante de Maloch?

Diz-me o Joao Branco, que nao sei opiniar? Qual é a sua bitola?s As redacçoes de um menino do liceu? Onde estao os conteudos dos seus escritos? O que é que se aprende? A analisar o V Canto de Camoes ou a desmontar as obras de Sade ou de Nietzsche?

Eu nao estou aqui para passar-lhe pomadinha como fazem esses crioulos complexados. Eu estou aqui para criticar e passar o fundo do meu pensamento. Nao para agradar, mas para questionar aqueles que insistem em tomar as gentes desta terra como eternas criancinhas sem um pensaemtnto.

Percebe? Quer mesmo debater, ou quer pomadinhas de Liberticinnas que nem sabem assumir o que vomitam para dentro da sanita?!!!!

Txau

Anónimo disse...

1992?! Nâo conheces nada da ilha nos anos 70 e 80's?! estás a brincar! e ainda escreves um texto fazendo as pessoas acreditar que tudo esta indo bem só porque o teu teatrizinho foi realizado.

Mindelo é uma cidade cultural sim! mas não porque tem um festival de teatro ou um festival da Baía, tem cultura porque o povo o criou desde os tempos de caniquinha, bailes de castilho, mendingas, sanjon, Gincanas de carro, escolas de breakdance( capoeira deste teu tempo).

O teu discurso è de morada, alguma vez sentaste na santina da ribeira bôte? ou ficaste de pê durante a noite a conversar na ponta de fin ou na avenida de Holanda ou na ponta de damata?

Tu e o Cesar deviam imediatamente repensar os vossos textos sobre soncente; um aviso!!!!

JB disse...

Enfim: se a gente critica não pode por isto ou por aquilo. Se elogia também não pode por isto ou por aquilo. Muito do conhecimento não é apenas vivencial, pode ser testemunhal, falando com quem viveu realidades outras, conversando, questionando, investigando.

Sim, já estive sentado na ponta de ribeira bote ou na avenida de holanda, nessa e noutras pontas, nessa e noutras praças e não me sinto mais sabedor do que todos os outros sobre Soncent por causa disso. Mas que raio?!

O que nos vale é que estamos aqui cheios de doutorados sobre a ilha. Pena que não aparecem mais vezes para nos brindar com os seus conhecimentos.

Continuem assim que eu aprendo e aplaudo.

Libertinna disse...

Realmente estupidez não tem resposta porque como se pode debater com um individuo que acredita que só se poderá escrever sem negativismos sobre a ilha que tanto diz conhecer quando ela tiver "umas tantas televisões (TV Pulu conta?), 5 radios privadas (porque não seis?), casas de cultura aqui e acolá (no seu quintal?), escolas disto e daquilo (de mediocridades como as que enuncia?)"Entre outros delirios que deve ter escrito sob efeito de muito grog de baloi, tipicos de quem muito fala e pouco faz.

Talvez se falasse menos e fizesse mais pela sua ilha teriamos menos delinquentes nesta cidade porque voce é um deles.

Pergunta-me o que leio pois deve ter admiração por quem realmente lê porque pelo vocabulario que usa já se percebeu que não domina muito a lingua.

leia você metade desses autores cujo nome deve ter encontrado no google porque esta libertinna além de enfiar comentários como o seu na retrete (repare que o termo utilizado foi esse e que para isso não é preciso ter lá a cabeça, faço-o de longe porque me mete nojo), também o vence em qualquer discussão sobre os autores ou temas que quiser já que a sua incapacidade zurra através das suas palavras vãs.

Além do mais é um covarde que se esconde por trás do anonimato para arrotar o seu fel e descarregar as suas frustrações nos blogs alheios.

Continue a sua baixeza se o João Branco o permitir porque este fórum não me pertence.

Foi um desprazer senhor covarde.
Assin: A Libertinna

Anónimo disse...

JB, apenas evidencie que falas das tuas vivências e das tuas impressões e mais nada. Sem grandes pretensões. E pronto, resolve-se o problema com os anónimos. Eles só querem criticar, mais nada. Nem vale a pena lhes dar atenção.

Anónimo disse...

Oh Joao Branco, o que é que tens contra "doutorados"?!

Eu sou DOUTORADO, professor e director de teses de Filosofia politica. E' isso que você quer ouvir?!

Porque é que de repente resolve gozar com leitores que criticam o que você escreve sobre a nossa Ilha?

Vê-se mesmo que você vem do mundo comunista que nao aceita criticas.

Fique a saber que toda a gente tem direito a criticar mesmo que nao seja doutorado como dizes com desprezo;

Vem ao caso, que eu sou mesmo DOUTORADO e sei que você nao está abalizado com conhecimentos especificos para falar nem de cultura nem politica na minha terra.

O que você sabe de cultura, sobretudo em matéria do teatro, tem um nivel médio de uma licenciatura. Logo, nada de especial. O mundo europeu, onde lecciona está cheio de jovens licenciados semi-analfabetos culturais.

Conclusao: nada de esperteza saloia e fique a saber que as testemunhas deste ou daquele nao sao a verdade absoluta. Uma testemunha conta a sua visao parcial e subjectiva das coisas e vale o que vale.

Você quer liçoes de DOUTORADO?! Infelizmente nao está à altura de seguir as minhas aulas que abrangem Filosofia politica, (os grandes filosofos e pensadores da area) Ciências politicas, sociologia e antropologia politicas, que sao as minhas areas de investigaçao!!!

SIm, você pode criticar, pode falar bem e mal, mas com substância e sempre aberto a criticas outras e outras leituras!

Txau

JB disse...

Ai, ai... :)

Nada contra os doutorados. Mesmo aqueles que, de tempos em tempos, mudam de pseudónimo e animam a blogosfera crioula. Antes pelo contrário. O que seríamos nós sem eles? Sem filósofos como o senhor Txau?!

Dar lições? Eu? Longe de mim!!!! Aprendo e aplaudo. Não viu o que escrevi?

Às vezes penso que de tanto saber, o senhor deixou de ter a capacidade de entender simples frases como esta!

Se o meu 1m78 cm é pouca altura para seguir e observar o alto da sua sapiência, só tenho a lamentar o facto! Menos um aluno, quem sabe um seguidor devoto, quem sabe mesmo um sábio discipulo do seu imenso saber! Sendo assim, resta-me reduzir à minha pequena insignificância, o que nem é muito problemático, pois sempre me senti bem por lá. Ser sábio e génio não é para todos e certamente não é para mim.

E assim, como habitualmente, deixamos de falar sobre o que realmente interessa - a cidade, a ilha, o país - para falar de quem acha que sabe do que fala mesmo que nunca diga o que realmente sabe.

Anónimo disse...

Eu ja disse o que REALMENTE sei! infelizmente, você so sabe ler as palavras filosofia politica, antropologia politica, sociologia politica.....

Mas seguramente nao conhece os conteúdos desses saberes!

E' esse o seu problema. Tudo em si é aparente, é tiatre, como eu disse do outro lado!

Você interpreta se calhar personagens de Sófocles, mas é incapaz de saber ler e desmontar a essência de ANtigona. Olhe tem a ver com a filosofia, com a Justiça... nao a justiça de Cabo Verde ou de Portugal, nada de confusao!....

Mas, oh homem, eu ja lhe disse que pode falar da cidade, da Ilha, mas tem de aceitar que ha outros discursos, tem de aprender a encarar a critica.
Sabe o que é filosofia?

Filosofia, é critica! Nietzsche dizia que é apenas um punhado de homens, os excepcionais, aceitam criticas. Estude, leia as criticas de Kant para começar....

Mas caramba, teatro é também critica; representar é critica, é receber coices!!!!

Você nao tem encaixe, pá!! E' muito susceptivel!!

Sabe porqueê? Porque é comunista, é exibicionista, tipicamente de revolucionarios!

Mas que diabo, em pleno século XXI, vem esse senhor vender-nos ainda uma revoluçao comunista, gabar-se que admirou gentinha de esquerda pensando que todos o vao aplaudir!...

A critica, as liberdades, nao têm nada a ver com a esquerda, com o comunismo, com o marxismo!!!!!

JB disse...

Cada vez mais divertido. Venham mais cinco!

Anónimo disse...

Ficou sem argumentos?!!!!

O nosso homem que está sempre a dar liçoes de repente apanha um osso duro de roer resolve brincar!!

Afinal, queria DOUTORADOS a sério ou so de bajofaria?!!!

Txau

JB disse...

Argumentos?

Continuo a rir...

Anónimo disse...

Nao é certamente o riso de Bergson, que exigiria de si muitos argumentos para rir!!!!


Txau

Anónimo disse...

Oh "Txau", quando falar de comunistas, limpe a boca. O que é que o seu "capitalismo" tem de melhor ??? Já há quem lhe comece a chamar a "bomba nuclear dos novos tempos": destrói tudo, por onde passa.


Fui