Perguntas Cafeanas

5 Comments





O facto de os atores e atrizes do Mindelo terem a tendência de falarem o crioulo da ilha onde estão a atuar e não o seu próprio crioulo, é um sinal de adaptação, de generosidade ou o que é? 

À melhor promessa, ofereço um café





You may also like

5 comentários:

Joaquim Djack disse...

Talvez seja mais de adaptação que de generosidade. Pior seria se alupekassem, a torto e a direito. Isto é, se falarem no crioulo da ilha onde actuam, a mensagem será melhor compreendida, embora saibamos que todos os cabo-verdianos entendem todos os cabo-verdianos em todos os crioulos. E muitos crioulos (que, repito, todos entendem) são uma riqueza a manter.

Braça teatral,
Djack

zito azevedo disse...

Eu diria que mais do que adaptação ou generosidade, a atitude me parece de respeito para com os espectadores a quem conferem, assim, um entendimento mais imediato das suas representações, poupando-os a um exercício de tradução mental simultânia...É como num filme dobrado: poupa-se a distracção das legendas!

JB disse...

Oh djack, pode até ser, mas é interessante verificar que o contrário nunca acontece. Nunca vi um actor do Fogo, da Brava, do Maio, de Santo Antão ou de Santiago a actuar em crioulo de Soncent só porque está no Mindelo.

Porque será?

Joaquim Djack disse...

Porque a gente do Mindelo talvez tenha mais genes portugueses. Haverá povo que saiba falar mais línguas (mesmo quando não sabe falar bem nenhuma) e tenha mais vontade de se fazer entender que os Portugueses? Há algum português que não se saiba desenrascar em qualquer parte do mundo e deixe de arranjar emprego ou fazer uma compra por não saber falar a língua local? Os Mindelenses também são assim, são gente cosmopolita que gosta de se dar com toda a gente e de se fazer entender por toda a gente. Bem, estas minhas afirmações talvez pequem por exagero, porque eu sou um militante fanático mindelense, mas há de qualquer modo um pouco de verdade nelas.

Braça multilingue,
Djack

Anónimo disse...

O cabo-verdiano tem uma boa "plasticidade" na língua dai que consiga emular muito bem diferentes línguas e sotaques. O povo de Sotavento pelas peculiaridades da fonética do seu criolo, o sotaque é mais vincado quando falam outra língua ou mesmo criolo de Barlavento. Não é má vontade é uma dificuldade acrescida...lembro os espanhóis a falarem o inglês, poucos perdem o sotaque.