O Renascimento do Éden Park?

0 Comments




Acabou de ser publicada uma longa e interessantíssima entrevista do arquitecto cabo-verdiano Carlos Hamelberg sobre o novo projecto que está a ser preparado para o Éden Park, na cidade do Mindelo. Pelo que se pode ler, estamos perante algo muito ambicioso, que procura conciliar a memória com o futuro, respeitando a história do espaço e a alma da cidade do Mindelo e dos seus artistas. Como costuma dizer o povo "quando a esmola é muita, o santo desconfia", pelo que agora é esperar pela altura em que, segundo o anunciado, o projecto para o novo Éden Park será socializado e aberto a sugestões dos interessados.

Um dos aspectos que me pareceram mais importantes é que a fachada do antigo Éden-Park será mantida e isso é uma boa notícia. Assim que conseguirmos imagens do projecto, será nossa prioridade colocá-las aqui para divulgação para todos os interessados. Aqui no Café Margoso, como sempre fizemos ao longo de mais de seis anos, continuaremos atentos à situação e não deixaremos de comentar, criticar, elogiar, cobrar e divulgar o que nos parecer relevante neste caso que a tantos apaixona.

Eis alguns excertos da entrevista, conduzida pelo jornalista André Amaral, para o Expresso das Ilhas (sublinhados meus):

"O futuro Éden Park, sendo um tributo ao antigo, não será uma réplica deste. Fazendo-lhe referência explícita, reconstituindo a fachada e o traçado original, estará projectado a partir disso numa estética arquitectónica mais híbrida e conceptualista, de uma linguagem pós-modernista, de alinhamento free-style, representando o novo em contraponto ao existente. Só assim acredito que relevara o antigo, afirmando sua memória e sua história."

"O acesso, que se quer de certa relevância histórica, terá uma faixa pedonal tipo "Passeio da fama", onde no piso serão registados nomes das grandes figuras da cultura cabo-verdiana. Assim, teremos de recriar espaços contíguos ao edifício, sem beliscar a sua estética, onde as alas temáticas desembocarão em 04 galerias (expo/café): de músicos, poetas, artistas plásticos e de teatro. No foyer que marcará a ante camara do auditório, terá imagens de reminiscência da época gloriosa de Mindelo, a época da revolução industrial, do porto grande, da arquitectura de ferro, do cosmopolitismo da época...e a morna do Bana, trazendo o saudosismo de "Vicente um vez era sabe."

"As alterações, se aceites pelos cidadãos locais e aprovadas pela Câmara Municipal de São Vicente, irão no sentido de se recuperar o "Éden Park passado" e ganhar, numa utilização inteligente e sustentável do espaço, o "Éden Park futuro"."

"Estarmos a pensar e a idealizar tudo isso significa que os trabalhos já começaram. A arquitectura, na sua componente material e imaterial, já é trabalho. A seguir teremos o envolvimento comunitário e social, já que o arquitecto não vai deixar de ouvir, considerar e dialogar com os diferentes olhares dos cidadãos sobre um espaço que já foi e pretende ser mais ainda o ex-libris da cidade. Nesse particular, o olhar dos artistas, criadores e estudiosos, bem como de outros colegas da arquitectura, não são despiciendos."

"O Éden Park reabrir as portas com toda a áurea de outrora e com toda a inovação cultural, estética, arquitectónica e urbanística que o novo projecto propõe. Será um património, pelo antigo e pelo moderno, de São Vicente. Com sala de cinema, teatro, sala a homenagear o teatro, o carnaval e o Porto Grande, espaços comerciais e de entretenimento, bem como de serviços."

Podem ler a entrevista completa, aqui






You may also like

Sem comentários: