Todos os anos, a rede social mais famosa de todos os tempos, escolhe e seleciona por nós, os momentos mais marcantes do ano, que na verdade mais não é do que uma matemática dos post's e fotografias que originaram maiores reações por parte dos amigos. Seja como for, não deixa de ser um interessante retrato do que de mais importante aconteceu durante o ano. 

Inspirado nesse mural, eis as imagens do ano:

Janeiro

Em Janeiro, uma visita à SP Escola de Teatro e um encontro histórico - para mim, claro - com o grande diretor Antunes Filho, o mais marcante do teatro brasileiro do último século.

Fevereiro

Uma experiência marcante, encenar Quarto do Nunca, no Teatro Vila Velha, em Salvador. Foi um sucesso! Um energia só possível com gente boa e empenhada. Regresso cansado, muito cansado. Mas feliz, muito feliz!

Março

Estreia e temporada de Escola de Mulheres. Segundo vários comentadores, uma obra prima do teatro crioulo! Na foto, com Janaina Alves, grande atriz, mulher e companheira de todos os dias e Renato Lopes, um dos actores mais promissores da nova geração.


Abril
Auto-retrato de um assassino de peças de teatro. Aviso desde já que todos os meus cúmplices serão condenados comigo numa mesma fogueira!

Maio

Venho por este meio avisar que, segundos estudos científicos publicados recentemente pela tão aclamada Universidade da Vida, a tendência para mandar o politicamente correto para a puta que o pariu, aumenta de forma exponencial com a idade. Obrigado.

Junho

O divertimento com as filhotas Laura e Inês é sempre fundamental para manter a sanidade mental que os novos tempos exigem! E o espírito cloun está sempre presente cá em casa!

Julho

Foi pensando no meu querido amigo Bento Oliveira que dei o meu expediente em conseguir estas folhas de rosmanim, que logo tratei de defumar, para afastar koza rum e más energias da minha casa, da minha família e das pessoas que amo. A casa cheira maravilhosamente bem e eu, como não podia deixar de ser, estou pronto e cheio de força para responder aos próximos desafios! Muita paz e luz pa tud gent!

Agosto

A peça "Teorema do Silêncio" do Grupo de Teatro do Centro Cultural Português do Mindelo ganhou todas as 4 categorias da Mindel Awards 2013 dedicadas ao Teatro: Melhor Peça, Melhor Dramaturgia (Caplan Neves), Melhor Ator Fonseca Soares) e Melhor Atriz Janaina Alves). 


Setembro

Setembro, mês de estreia para "Tempêstad". Temos que estar orgulhosos, claro! Foi um grande, magnífico e generoso trabalho de equipa! Onde tudo estava canalizado para não dar certo! E como Shakespeare tão bem sabia, é nessas alturas que as melhores coisas da vida acontecem!

Outubro

Atualizando o meu currículo, acabei de descobrir que "Tempêstad" foi a minha encenação número 50. Brutal, não?

Novembro

Sérgio Grilo, deixa-nos. E deixa um enorme vazio a quem o conheceu. Grande homem, grande ator, grande alma. Até sempre! (na foto, apresentação de Closer, no festival Mindelact 2012).

Dezembro

Hoje é o dia especial do meu amor, Janaina! Apenas quero que tenha um dia em que ela sinta que tem muita gente, espalhada por três continentes, que a admira, e que elogia a sua inteligência, talento e beleza. Ela merece tudo. Merece ser feliz, e essa é minha missão! E porque hoje ela merece, em todos os outros dias ela merece também e mais ainda. Hoje é o dia especial do meu amor, Janaina! Parabéns!



Começa o tempo onde a mulher começa, é sua carne que do minuto obscuro e morto se devolve à luz. Na morte referve o vinho, e a promessa tinge as pálpebras com uma imagem. Espero o tempo com a face espantada junto ao teu peito de sal e de silêncio, concebo para minha serenidade uma ideia de pedra e de brancura. És tu que me aceitas em teu sorriso, que ouves, que te alimentas de desejos puros. E une-se ao vento o espírito, rarefaz-se a auréola, a sombra canta baixo. Começa o tempo onde a boca se desfaz na lua, onde a beleza que transportas como um peso árduo se quebra em glória junto ao meu flanco martirizado e vivo.

- Para consagração da noite erguerei um violino, beijarei tuas mãos fecundas, e à madrugada darei minha voz confundida com a tua.


Helberto Helder





Como habitualmente, no Café Margoso, faço as minhas escolhas para os acontecimentos mais marcantes do ano, em Cabo Verde e a nível internacional.

Eis as escolhas do Margoso:

Figura Internacional do Ano



Papa Francisco

Nunca fui crente de nenhuma religião e não poucas vezes me incomodou a postura da Igreja Católica e seus acólitos sobre tantos assuntos. Considero o mandato do antecessor de Francisco um desastre e a sua renúncia uma boa notícia para a humanidade. A grande surpresa para mim foi a postura, as ações concretas - muitas delas de enorme coragem - e as opiniões, no sentido de conseguir recuperar um pouco o crédito perdido pelo Vaticano. Hoje, os católicos tem um Papa que sabe sorrir e entende qual o seu papel. Um avanço enorme que trás alguma esperança mesmo aqueles que, como eu, não se revêm na religião católica. 


Acontecimento Internacional do Ano



Morte de Nelson Mandela

Não podia ser outra a escolha. Foi uma figura global que desapareceu e as reações chegaram de todas as regiões, quadrantes, hemisférios. As cerimónias fúnebres foram um desfile que nunca mais acabava de líderes do mundo inteiro que não quiseram deixar de lhe prestar a última homenagem. Inclusive aqueles que anos antes foram contra a sua liberdade...


Figura Nacional do Ano



Jorge Carlos Fonseca
O Presidente da República tem vindo, neste seu segundo ano de magistratura, a melhorar o seu desempenho a todos os níveis, quer político ou institucional, quer na forma como se relaciona com o povo e, em particular, com os artistas. Como não podia deixar de ser, a sua mensagem alusiva ao Dia Mundial do Teatro teve um impacto enorme, principalmente fora de Cabo Verde, onde o espanto e a admiração por ter-se um Presidente que fale sobre e com os que fazem teatro foi a nota dominante. 


Acontecimento Nacional do Ano



O desempenho dos Tubarões Azuis
Uma seleção de futebol que uniu todos os cabo-verdianos, com uma prestação memorável na Copa Africana das Nações. Depois não só uniu, mas deixou os crioulos a sonhar com uma possível presença no Campeonato do Mundo, no Brasil. A utilização indevida de um jogador, ainda muito mal explicada, deitou por terra uma possibilidade que nem era assim tão longínqua quanto isso. E do sonho se passou ao pesadelo com a culpa a morrer solteira, mais uma vez.


Muito interessante o trabalho de Anka Zhuravleva, "descoberta" pela minha digníssima e amada esposa Janaina. Descobri depois que ela é sagitariana - como a Jana - e que vive, desde 2013, na cidade do Porto.

Tudo coincidências, claro. Mas tão deliciosas quanto as suas imagens. 










Veja mais do incrível trabalho desta grande artista, aqui




10 mil contos. Pumba! Nem se pode argumentar que isto será com o dinheiro dos contribuintes, pois está anunciado que há patrocínios a cobrir a maior fatia dos custos. Mas agora eu pergunto: a troco de que contrapartidas? E quando aparecerem iniciativas privadas e essas mesmas empresas vierem dizer (como dizem quase sempre): "já gastamos todo o orçamento, não podemos fazer nada", como é que fica? Podem dizer que é prenda de natal, mas eu chamo a isto concorrência desleal. Mas o Mindelo festeja, não é? E isso é o que importa mais! Dexpox de sab, morrê ka nada! Boas festas!




Nesta polémica do concerto de final do ano em S. Vicente, este é o melhor texto que li sobre o assunto e aqui fica, com a devida vénia ao seu autor. 

"Tem Mandioca no fim do ano de São Vicente 

Kassav (palavra em crioulo antilhano que significa mandioca) é uma banda de zouk de Martinica e de Guadalupe formada em 1979. 

Realmente não entendo as vossas críticas pela vinda dos Kassav para nos dar música no final de ano no Mindelo quando se sabe que Cultura significa cultivar, e vem do latim colere. No final do ano estaremos a cultivar mandioca na Rua de Lisboa. Acho perfeitamente normal que o pelouro da Cultura da Câmara Municipal de São Vicente ofereça esta prenda (mandiocada) após um ano a investir a promover a Cultura da (na) ilha. Por exemplo, quem não se lembra dos vários concursos literários para jovens escritores/poetas, ou das exposições colectivas de jovens artistas promovidas pela CMSV ao longo de 2013? E dos projectos musicais que a CMSV aparece como co-financiador para jovens artistas e que hoje estão no mercado discográfico a enriquecer ainda mais Cabo Verde? Quem não se lembra do Roteiro Turístico da ilha que qualquer forasteiro pode adquirir e conhecer as belezas de São Vicente? Quem não se lembra dos livros co-financiados pela CMSV? Das formações aos jovens dançarinos, actores e outros agentes teatrais? Ou dos fóruns, seminários e palestras no âmbito cultural desenvolvidos ao longo do ano? Ou de acções com foco na cultura criativa, digital, artes visuais? Quem não se lembra do plano para exigir trabalhos definitivos no cinema EDEN PARK ou então a sua expropriação ao abrigo da lei que classificou como Património Nacional o Centro Histórico do Mindelo feita através da lei de Base do Património Cultural (lei 102/III/90 de 29 de Dezembro).

Bom... eu não me lembro mas isso não significa que não tenham existido, nera." 

 Dai Varela - jornalista




Qual crise! Qual dexmurs! Qual cluster do Mar! Mindelo é, cada vez mais, um Cluster da Paródia! Soncent é sab, é sab pa cagá, oh! Nada como a festa permanente para alimentar um estado de anestesia social! Crise na ilha do Porto Grande? Não me façam rir. I Love Mindelo!




Mais um belo passeio, proporcionado pelo Centro Cultural Português / Pólo do Mindelo, numa das actividades culturais mais originais dos últimos tempos.

Desta feita, o passeio é dedicado ao querido e saudoso António Aurélio Gonçalves, o nosso Nho Roque,

6º passeio: dia 21 de dezembro

Os lugares de António Aurélio Gonçalves
Guia: Dr. João Delgado Cruz
Ponto de encontro: biblioteca do CCP, às 9h00
Custo: 300$00
Inscrições na biblioteca do Pólo do Mindelo do Camões / Centro Cultural Português


“Sem ter feito parte do grupo fundador da revista Claridade, António Aurélio Gonçalves marca a diferença no panorama literário de Cabo verde. Inovador e arrojado, assenta na estética realista e naturalista oitocentista os alicerces da sua produção escrita, colaborando na fundação da modernidade literária cabo-verdiana. Apegando-se sobretudo ao mundo mindelense, procura temas pessoais e sociais, indicadores da decadência familiar, tão ao gosto naturalista. A análise é minuciosa e objectiva, dando especial destaque aos aspectos reais da vida social da sociedade e às personagens, cuja conduta é regida pela hereditariedade e pelo meio ambiente. Nesta condução pelos males sociais, Gonçalves dá primazia às personagens, em especial às personagens femininas, sobre as quais é centrada toda a narrativa.”

Maria João Gama in “O Universo Feminino em António Aurélio Gonçalves”, edição IC-CCP, 2009



Nelson Mandela
(1918 - 2013)





Porque isto das redes sociais como vem, assim vai, achei por bem publicar aqui na íntegra uma sequência de comentários de um post meu no Facebook, a propósito do Éden-Park. Não faço mais comentários, porque o que cada um escreve torna muito claro o que carácter de cada qual. Tomei a liberdade de colocar em destaque as partes que me pareceram mais interessantes. Também corrigi os erros ortográficos e gramaticais (e eram muitos), para amenizar um pouco a coisa. 

O texto inicial

"O Governo e a própria Câmara Municipal de São Vicente têm nas mãos o poder de ressuscitar o ex-cinema Eden Park. Eis a manchete do caderno cultural Kriolidadi. Para tanto, segundo a jurista Eva Marques, basta usarem as competências que lhes são atribuídas pela Lei de Expropriação, no caso do Governo, e o Código de Postura Municipal por parte da edilidade."

Afinal, o argumento de que "não se pode fazer nada porque é um imóvel privado" não é o assim tão óbvio! Parabéns Eva Caldeira Marques por ser a primeira eleita de Soncent a tomar uma posição pública em defesa do Éden Park.

Maguy Moniz: Expropriações só em casos convenientes...só em casos convenientes.
29/11 às 20:49 

João Branco: Pois!
29/11 às 20:49

Helena Fontes: Mas, isso de expropriações não são coisas de partidos comunistas????   
30/11 às 10:04

José Fortes Lopes: A batata quentíssima está nas mãos deles. Vamos ver como é que se desenvencilham. è importante que os cidadãos continuem a ser ser intervenientes
30/11 às 15:10

João Branco: Não se expropriaram terrenos para fazer estradas?
30/11 às 15:24

Maika Lobo: Éden Park é o único prédio em SV que se encontra fechado? Quantos prédios do Estado se encontram fechados e em ruínas? Porque sempre Éden Park?
1/12 às 3:30

João Branco: Porque não o Éden Park? Como subestimar a importância que este edifício histórico teve para Cabo Verde, em geral, e para o Mindelo, em particular. Sinceramente, e sem querer polemizar, não entendi o alcance do seu comentário, Maika Lobo! Brasa!
2/12 às 12:33

Maika Lobo: Deixe de disparate sr. João Branco! Prédio histórico? Quantos prédios que desempenharam no seu país o mesmo papel que o Éden Park é que demolidos? Dezenas, meu caro! E o senhor protestou alguma vez ? Deixe de falar de coisa que você não sabe e não percebe! Para sua INFORMAÇÃO nesta sexta feira chega a S. Vicente, dia 6 Dezembro, uma equipa de técnico que vem preparar os projetos e o inicio das obras de recuperação do Eden Park. Se a Câmara Municipal for ágil na decisão, essas obras iniciarão antes do fim do ano! Expropriação? Isso já nem se faz nem na Rússia nem na China! Aplicação das posturas municipais? Vocês não sabem do que falam! Procurem assuntos importantes e deixem de perseguir os investidores privados!
há 13 horas 

João Branco: Essa foi muito boa! O senhor Maika Lobo, que pelos vistos está mandatado para defender os interesses desses tais "investidores privados" que deixaram o Éden Park apodrecer aos olhos de todos, vem agora com essa grande novidade e fala "se a CMSV agir"? Se? Mas afinal em que ficamos? O Éden Park é a mais importante sala de espetáculos e de cinema de Cabo Verde. O senhor, que parece que está tão bem informado sobre o futuro do Éden Park, esclareça-nos a todos então: qual o projeto de recuperação, quais os prazos, o que vai acontecer àquela zona NOBRE da cidade? Agradecimentos!
há 13 horas 

David Medina: "Investidores privados" foi muito bom 
há 13 horas

Maika Lobo: Eu represento esse investimento privado e senhor Branco não tem nada a ver com isso. Estou informado e o senhor Branco nada tem a ver com isso. O sr. Branco passa a vida a fazer teatro e este é mais um teatro que faz! Não tenho nada para lhe informar sobre os prazos e sobre os projetos! Continue a fazer teatro e talvez é disso que o sr. percebe. Quem é o senhor para estar a pedir satisfações aos outros?
há 12 horas

João Branco: Eu tenho ver com isso como todos os mindelenses tem a ver com isso! Acho que o senhor está enganado. E está tão nervoso, porquê? Qual o problema? Não se vai resolver tudo a bem? Então: ainda vamos festejar juntos, porque ambos queremos o melhor para aquele lugar, não é senhor Maika Lobo! Paz e amor na terra, que estamos quase na época natalícia!
há 12 horas 

Maika Lobo: Não, não estou nervoso e nunca estive. Eu não tenho medo de nada nem de ninguém! Se eu tivesse algum medo, não assumiria esse papel publicamente! Mas quando vejo pessoas a fazer politiquices com tuta e meia, não fico calado, mas nunca! Quem disse ao sr Branco que o Eden Park é um património histórico está tão tão equivocado que o Sr.
há 12 horas

João Branco: Eu não falei de medo, o senhor é que falou. Eu falei que o senhor está nervoso e isso vê-se em cada intervenção que tem aqui. Não deixa de ser curioso... depois de virem a público possibilidades LEGAIS de resolução pelo Estado ou pelo Município desta vergonha, eis que aparece um representante dos donos! Não é uma coincidência interessante?
há 12 horas

Maika Lobo: Mais uma vez, deixe de disparate! Ninguém teme qualquer intervenção de quem quer que seja! Com quem é que o sr Branco pensa estar a dirigir?
há 12 horas

João Branco: Não sei. Não faço a mínima ideia. Apenas sigo o que vem sendo dito na comunicação social. Sinceramente, não faço a mínima ideia de quem seja o senhor. Perdoa-me a ignorância. Devia saber?
há 12 horas

Maika Lobo: Tudo o que o sr Branco diz é baseado em preconceitos e presunções! Mas isso é seu problema e é teatro medíocre, sr Branco.
há 12 horas

João Branco: Pronto, está mesmo nervoso. Facto!
há 12 horas

Maika Lobo: Não queira me ver nervoso! O sr é uma cassete? Repete sempre?
há 12 horas

João Branco: Eu não. O senhor é que fala, fala, fala e não diz nada. Porque ninguém tem nada a ver com o que o senhor possa ter a dizer sobre o Éden Park, não é? O senhor é dono da verdade e tudo o que foi escrito desde que o Éden Park foi abandonado e largado à sua sorte, servindo de latrina pública, na principal praça da cidade, é mentira, porque o senhor é que tem a verdade. Uma verdade com a qual ninguém tem nada a ver com ela! E como advogado (?) devia saber que quando uma das partes segue para o insulto é porque lhe começam a faltar argumentos... Será?
há 12 horas

Aldirley F. B. Gomes: Mas Sr. Maika Lobo o que seria preciso mais para considerarmos o Éden Park um património histórico?
há 12 horas

Maika Lobo: Então todos os prédios do mundo que alguma vez serviram de salas de espetáculos ou cinemas seriam património histórico. Nunca vi isso em parte nenhuma do mundo!
há 12 horas

João Branco: Vê-se mesmo que o senhor não é do Mindelo para dizer uma barbaridade dessas. Enfim!
há 12 horas 

Aldirley F. B. Gomes: Meu caro...qualquer caboverdiano nas ilhas ou no mundo sabe que o Éden Park não é e nunca foi apenas uma sala de espectáculos e/ou de cinema. Agora que não queira ver ou que nos interesses "subjacentes" não caiba esta definição são outros quinhentos.
há 12 horas

Maika Lobo: Sou de Cabo Verde! Também defendo que o cinema da Praia não é nenhum património histórico. Quer puxar a discussão para o bairrismo? Isto prova que esgotou os seus argumentos! Algumas pessoas que nada representam nos seus próprios países, ignorados completamente nos seus próprios países, acabam de pisar os nossos aeroportos, viram-se intelectuais, especialistas em tudo, dão opiniões sobre tudo, e acham que aqui só há tolos e tontos. Sima ta flado na nôs terra: ba pisca grilo
há 12 horas

João Branco: As palavras a quem as escreve. E quem quiser tentar compreender o que se passa, é tão simples, tão claro, que eu encerro a minha intervenção por aqui. Boa noite, meu caro!
há 12 horas

Maika Lobo: Boca fechada, a mosca não entra.
há 12 horas


Mindelo, 04 de Dezembro de 2013